Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Por que não caímos da Terra?

 

16/11/2009

Autor e Coautor(es)
Amélia Pereira Batista Porto
imagem do usuário

BELO HORIZONTE - MG ESCOLA DE EDUCACAO BASICA E PROFISSIONAL DA UFMG - CENTRO PEDAGOGICO

Lízia Maria Porto Ramos

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Inicial Ciências Naturais Recursos tecnológicos
Ensino Fundamental Inicial Ciências Naturais Ambiente
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

• Perceber a gravidade da Terra como uma força de atração da Terra sobre objetos e seres.
• Identificar situações que indiquem o princípio da gravidade.

Duração das atividades
2 horas aula
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Compreensão da Terra como um planeta que gira no espaço e que nós habitamos em sua superfície.

Estratégias e recursos da aula

Introdução

É comum a criança demonstrar curiosidade em saber Por que não caímos da Terra, principalmente a partir do momento em que passa a ter a noção de que a Terra é um planeta, girando no espaço. As pessoas viverem espalhadas na superfície da Terra, sem cair no espaço, não é uma idéia fácil de ser construída e compreendida por ela. Às vezes ela repete o que já ouviu - não caímos por causa da gravidade. Mas este é um assunto que requer investigação para ser melhor entendido pela criança.

Desenvolvimento

Inicie a aula lendo o texto “O Reformador da Natureza” de Monteiro Lobato, chamando a atenção para a parte relacionada ao fato dos frutos ao se soltarem das árvores caírem no chão. Deixe que elas após a interpretação do texto como um todo falem de outras situações que já observaram sobre a queda dos objetos.

O Reformador da Natureza
Américo Pisca-pisca tinha o hábito de botar defeito em todas as coisas. O mundo para ele estava errado e a natureza só fazia tolices.
- Tolices, Américo?
- Pois então?!... Aqui neste pomar você tem uma prova disso. Lá está aquela jabuticabeira enorme sustentando frutas pequeninas, e mais adiante vejo uma colossal abóbora presa ao caule de uma planta rasteira. Não era lógico que fosse justamente o contrário? Se as coisas tivessem que ser reorganizadas por mim, eu trocaria as bolas - punha as jabuticabas na aboboreira e as abóboras na jabuticabeira. Não acha que eu tenho razão?
E assim discorrendo, Américo provou que tudo estava errado e só ele era capaz de dispor com inteligência o mundo.
- Mas o melhor - conclui ele - é não pensar nisso e tirar uma soneca à sombra dessas árvores, não acha?
E Américo Pisca-pisca, pisca-piscando que não acabava mais, estirou-se de papo para cima à sombra da jabuticabeira.
Dormiu. Dormiu e sonhou. Sonhou com o mundo novo, inteirinho, reformado, reformado pelas suas mãos. Que beleza!
De repente, porém, no melhor do sonho, plaf!, uma jabuticaba cai do galho bem em cima do seu nariz.
Américo despertou de um pulo. Piscou, piscou. Meditou sobre o caso e afinal reconheceu que o mundo não estava tão malfeito como ele dizia. Ele foi para casa refletindo:
- Que espiga!... Pois não é que se o mundo tivesse sido reformado por mim a primeira vítima teria sido eu mesmo? Eu, Américo Pisca-pisca, morto pela abóbora por mim posta no lugar da jabuticaba? Hum!... Deixemo-nos de reformas. Fique tudo como está que está tudo muito bom.

Fonte - “Ciência Hoje” das Crianças - Ano 6/ Número 30

Após a leitura, algumas questões podem ser discutidas com as crianças:
- Que tipos de mudança Américo Pisca-pisca queria realizar na natureza?
- O que fez com que mudasse de idéia?
- Por que os frutos, ao se soltarem da árvore, caem no chão?

Dentre as idéias dos alunos podemos encontrar aqueles que acreditam que os frutos maduros caem; coisas que se soltam não ficam no ar, caem no chão; por causa da gravidade.

Se durante a discussão os alunos apresentarem a idéia de gravidade como causa dos frutos caírem você pode indagá-los sobre o que eles entendem sobre gravidade relacionando ao fato de não cairmos da Terra.

Várias hipóteses podem ser apresentadas pelos alunos para explicar essa questão. Apresentaremos algumas idéias como exemplo:
- Não caímos porque ficamos dentro da Terra.
- Não caímos porque também somos atraídos pela força da Terra.
- Não caímos porque a gente fica preso na Terra.
- Não caímos porque a Terra segura a gente.

Após ouvir a opinião dos alunos proponha a investigação do problema desafio: por que não caímos da Terra. Esse desafio será investigado a partir de atividade prática com a mediação do professor que oferecerá informações, sempre que necessário, para garantir a compreensão da noção de força da gravidade da Terra .

Realizando a atividade prática

Explique as crianças que para investigar sobre a força da gravidade, serão realizadas atividades em dupla.
Explique-lhes que as atividades que serão realizadas lhes permitirão sentir como a gravidade atua sobre o corpo e observar como ela atua sobre outros objetos.

Diga o que cada dupla vai fazer e as crianças explicam o que pode acontecer.

Organize na lousa ou em papel Kraft um quadro como o modelo abaixo para você anotar “O que fazer”. As colunas “O que pode acontecer” e “O que de fato aconteceu”. Preenchemos o quadro modelo com idéias que podem ser apresentadas pelas crianças no decorrer da discussão.

Peça aos alunos que realizem “O que fazer” executando cada ordem de uma vez, enquanto você registra as idéias apresentadas pela turma para anotar na segunda e terceira coluna.

Aula Prática
O que fazer O que pode acontecer O que de fato aconteceu
1- Pular sem fazer força Sair só um pouquinho do chão Sem fazer força não tem como sair do chão
2- Pular fazendo força. Ver quem consegue pular mais alto e porquê Sair mais alto do chão. Ao fazer força conseguimos pular Só conseguimos sair do chão quando fazemos força para cima
3- Jogar um pedaço de giz para o alto e observar o caminho que ele fez Ele vai subir e depois cair no chão. Ele vai retornar ao chão, variando a trajetória de acordo com a forma em que foi jogado. 
4- Deixar cair de uma mesma altura e ao mesmo tempo uma borracha e uma bolinha de papel. A borracha cairá primeiro. A borracha e o papel caem ao mesmo tempo no chão.

Durante a realização das atividades discuta com as crianças questões como:
- Por que só saímos do chão quando fazemos força?
- Por que a borracha e a bolinha de papel caem no chão ao mesmo tempo?
- Por que tudo que jogamos para o alto volta para o chão?
- O que precisamos fazer para jogar um objeto para cima?

Professor, as atividades realizadas permitem a criança observar que sem fazer força não é possível sair do chão. Ao jogar um objeto para o alto, ele retorna ao chão e ao deixar cair dois objetos de uma mesma altura e ao mesmo tempo, eles caem juntos no chão. Através da observação de situações como as propostas é possível concluir que a Terra atrai para a sua superfície tudo que está a sua volta.

Informe à turma que a esta força de atração da Terra os cientistas deram o nome de força da gravidade.

Sugira as crianças registrar o que aprenderam escrevendo e desenhando.

Sugestão de registro:

Todos os materiais e objetos que estão na superfície da Terra são atraídos igualmente por uma força. A essa atração chamamos força da gravidade, que se dirige da superfície para o centro da Terra.

Sem a força de atração gravitacional da Terra, poderíamos dar grandes saltos com facilidade. Entretanto, teríamos muita dificuldade para retornarmos à superfície da Terra.

Recursos Complementares

Professor, a aula apresentada usou como recurso uma fábula. Como você viu um mesmo assunto pode ser abordado em diferentes linguagens e por diferentes campos do conhecimento. Os textos literários devem ser trabalhados de modo que os alunos percebam que a sua linguagem, muitas vezes, extrapola os fatos reais. Quem escreve um texto literário está comprometido com a criatividade, com a poesia, o que não impede que abordem temas de interesse da ciência e que ao estudarmos ciências não possamos utilizá-los. ]

Os textos informativos, por outro lado, contendo informações cientificamente investigadas, são usados para que as crianças possam através da reflexão, incorporá-las as suas idéias sobre o assunto. Sendo assim, fato e fantasia quando bem trabalhados, respeitando-se as suas especificidades, alimentam o raciocínio infantil e possibilitam avanços no processo de aquisição do conhecimento.

Avaliação

Avalie as crianças durante as atividades realizadas. Escute suas idéias e observe como elas participam das atividades propostas.

Individualmente proponha uma questão de avaliação que exige aplicação das idéias exploradas em sala. Peça a cada criança que escreva duas situações novas, que possam ser usadas para demonstrar a uma outra pessoa, a força da gravidade e discuta-as com a turma.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 2 classificações

  • Cinco estrelas 2/2 - 100%
  • Quatro estrelas 0/2 - 0%
  • Três estrelas 0/2 - 0%
  • Duas estrelas 0/2 - 0%
  • Uma estrela 0/2 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Gabriela Camillo, CEM , São Paulo - disse:
    gabrielacamillo5@hotmail.com

    23/02/2011

    Cinco estrelas

    Bom,é muito legal essa aula.Eu adorei.Mais eu queria que falasse um ouco sobra astronomia.No máximo até sexta-feira.Pois preciso de algumas respostas para meu trabalho.Bom.mais fora isso ta tudo jóia.Beijos.


  • delma suely santos, ESCOLA MUNICIPAL GOV ANTONIO CARLOS VALADARES , Sergipe - disse:
    psicopedagoga-delma@hotmail.com

    27/04/2010

    Cinco estrelas

    A aula muito excelente faz com quea criança participe e aprenda com prazer gostei bastane vou utilizar também .


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.