Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


“A construção da identidade através da confecção do Auto-Retrato”.

 

20/05/2010

Autor e Coautor(es)
Thalita Carlos Moreno Tomé Peres
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG Universidade Federal de Uberlândia

Rita de Cássia Roger Mariano

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Práticas de leitura
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Práticas de escrita
Educação Infantil Arte Visual O fazer artístico
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Falar e escutar
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Explorar as diferenças e semelhanças entre as crianças;
  • Compreender a importância da inclusão;
  • Atribuir signos à própria imagem;
  • Identificar marcas pessoais na maneira de desenhar e pintar;
  • Conhecer obras de artistas que expuseram seu auto-retrato.
Duração das atividades
Uma aula de uma hora.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não há a necessidade de conhecimentos prévios.

Estratégias e recursos da aula

1º Momento: Galeria de artes.

  1. Expor no corredor da escola reproduções das obras de auto-retratos de artistas como: Vicent Von Gogh, Candido Portinari, Tarsila do Amaral, Picasso, etc.
  2. No momento da roda de conversa, levantar as seguintes questões:
  • O que são aquelas imagens?
  • Quem são as pessoas das imagens?
  • O que é um auto-retrato?
  • Como fazer um auto-retrato?
  • O que expressa um auto-retrato?

3. Ler a poesia de Mário Quintana: “Auto-Retrato”.

O Auto Retrato.

No retrato que me faço

traço a traço

às vezes me pinto nuvem,

às vezes me pinto árvore...

Às vezes me pinto coisas de que nem há mais lembrança...

Ou coisas que não existem, mas que um dia existirão...

E, desta lida, em que busco pouco a pouco

minha eterna semelhança,

no final, que restará?

Um desenho de criança...

Corrigido por um louco!

Fonte: http://centenarioquintana.blogspot.com/2006/03/o-auto-retrato.html 

4. Pedir que as crianças se dirijam ao espelho da sala e observem suas características físicas e observem como elas se vêem, o que mais chama atenção diante de seus próprios olhos e qual a característica que elas mais admiram ao se olharem no espelho.

2º Momento: Oficina de Artes  

  1. Distribuir uma folha de papel machê, um pincel e tintas de cores variadas a cada criança e pedir que elas façam seu auto-retrato;
  2. Entregar uma cópia ampliada de uma foto 3X4, pedir que elas colem esta foto ao lado do desenho e fixem suas obras de arte na parede. Posteriormente, perguntar sobre as diferenças e semelhanças, levantando as seguintes questões:
  • Vocês estão parecidos com a foto?
  • O que você mudaria em você mesmo (a)?
  • Somos iguais ou diferentes?
  • Quais as diferenças encontradas em cada um nós?
  • Além das características físicas, todos nós nos comportamos iguais?
  • Nosso jeito diferente de agir, ser e pensar nos deixa especiais, vocês já pensaram sobre isso?

3º Momento: Assinatura da obra

  1. Inicialmente, diga o título das obras que foram expostas previamente nos corredores da escola e conte, em linguagem simples, um pouco sobre a vida destes pintores. Pode-se consultar o site: http://www.suapesquisa.com/temas/pintores_famosos.html   que contém importantes informações sobre a vida e obra dos artistas citados nesta aula;  
  2. Depois, pergunte às crianças se elas conseguem encontrar alguma semelhança com obra exposta, com a obra realizada por elas;
  3. Distribuir fichas no centro da sala e pedir que cada criança reconheça a sua;
  4. Entregar novas fichas em branco e pedir que as crianças escrevam seu nome livremente, observando a escrita da ficha;
  5. Fixar a ficha escrita pela criança à obra produzida por ela;
  6. Organize uma mostra com as pinturas das crianças. Se possível, convide pais e demais alunos, professores e funcionários da escola, para visitar a exposição dos alunos.
Recursos Complementares
Avaliação

A avaliação desta aula deve ser compreendida como global, contínua e formativa. É preciso direcionar as atividades, respeitando o interesse, motivação e potencialidades das crianças. Cabe ao professor observar, portanto, a concentração e envolvimento e a satisfação da sua própria produção comparada à produção de artistas consagrados. Além disso, acompanhar e redirecionar àqueles que não se sentiram motivados em desenvolver às atividades propostas.

Opinião de quem acessou

Três estrelas 2 classificações

  • Cinco estrelas 0/2 - 0%
  • Quatro estrelas 1/2 - 50%
  • Três estrelas 1/2 - 50%
  • Duas estrelas 0/2 - 0%
  • Uma estrela 0/2 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.