Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Interagindo com as cirandas na aula de Educação Física.

 

23/08/2010

Autor e Coautor(es)

Marcos Vinícios Pimentel de Andrade

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio Educação Física Dança: Valores culturais
Ensino Fundamental Final Educação Física Atitudes, conceitos e procedimentos: atividades rítmicas e expressivas
Ensino Fundamental Final Artes Dança: Dimensões histórico-sociais e culturais da dança e seus aspectos estéticos
Ensino Médio Educação Física Dança: Valores históricos
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

- Vivenciar algumas cirandas brasileiras, percebendo seus ritmos e suas características.

- Pesquisar sobre a cultura de cada região das cirandas apresentadas.  

- Identificar como essa manifestação folclórica influencia no dia a dia da população local.

Duração das atividades
50 min/1 aula
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não há necessidade de conhecimentos prévios.

Estratégias e recursos da aula

Nesta aula o professor explicará para os alunos a origem, o histórico, e os tipos de cirandas da cultura brasileira. Um dos tipos de ciranda são as cantigas de roda que consistem na formação de uma roda, com a participação de crianças, que cantam músicas de caráter folclórico, seguindo coreografias. As cantigas hoje conhecidas no Brasil têm origem européia, mais especificamente em Portugal e Espanha. As cantigas de roda são de grande importância para a cultura de um país. Através delas dá-se a conhecer costumes, o cotidiano das pessoas, festas típicas do local, comidas, brincadeiras, paisagem, crenças. Normalmente tem origens antigas e muitas versões de suas letras, vão sendo passadas oralmente pelas gerações.

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_c6lfuZ-jdVo/StNXLhtEJpI/AAAAAAAAAWQ/6agScYS5bB4/s400/jovens.jpg    

Outro tipo de ciranda são as cirandas de Pernambuco. É originada na região Nordeste mais precisamente em Itamaracá. Caracteriza-se pela formação de uma grande roda, geralmente nas praias ou praças, onde os integrantes dançam ao som de ritmo lento e repetido. O ritmo, quaternário composto, lento, com o compasso bem marcado por uma pancada forte do zabumba (ou bumbo), e acompanhado pelo tarol, o ganzá, o maracá, é coreografado pelo movimento dos cirandeiros. São utilizados basicamente instrumentos de percussão. Na marcação do zabumba, os cirandeiros pisam forte com o pé esquerdo à frente. Num andamento para a direita na roda de ciranda, os dançarinos dão dois passos para trás e dois passos para a frente, sempre marcando o compasso com o pé esquerdo à frente. Os passos podem ser simples ou coreografados.

Fonte: http://cirandadapalavra.files.wordpress.com/2008/09/ciranda-colorida.jpg    

Depois dessa explicação, o professor perguntará aos alunos se alguém conhece alguma letra ou coreografia dos dois tipos de cirandas citadas. Conforme for aparecendo os exemplos, eles vão sendo executados pela turma. Dependendo dos exemplos colocados o professor poderá sugerir algumas cantigas de roda ou cirandas de pernambuco tradicionalmentes conhecidas.

Algumas cantigas de roda conhecidas:

Caranguejo: Caranguejo não é peixe/Caranguejo peixe é/Caranguejo não é peixe/Na vazante da maré./Palma, palma, palma/Pé, pé, pé/Caranguejo só é peixe, na vazante da maré!

Atirei o pau no gato: Atirei o pau no gato, tô/mas o gato, tô tô/não morreu, reu, reu/dona Chica, cá cá/admirou-se, se, se/do berrô, do berrô, que o gato deu, Miau!  

Ciranda cirandinha: Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar  O anel que tu me deste era vidro e se quebrou  O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou  Por isso, D. Fulano entre dentro dessa roda  Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá-se embora  A ciranda tem tres filhas  Todas tres por batizar  A mais velha delas todas  Ciranda se vai chamar

Escravos de Jó:  Escravos de Jó/Jogavam caxangá/Tira, bota, deixa o Zé Pereira ficar/Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá/Guerreiros com guerreiros fazem zigue zigue zá.

Em seguida, o professor explicará que uma característica comum de quase todas as cirandas, são as danças em roda com as pessoas de mãos dadas, e essa roda não pode ser quebrada sem o cirandeiro mandar. E com esse intuito de manter sempre a roda de mãos dadas e para que os alunos estabeleçam uma relação de confiança com os colegas, o professor irá propor algumas atividades:

Atividade 1: O professor pedirá que a turma faça uma grande roda com todos de mãos dadas. Em seguida o professor pedirá que todos joguem seus corpos para trás, sem soltar as mãos dos colegas, e em seguida retorne a posição inicial. Depois farão um movimento contrário ao anterior, jogando o corpo pra frente e depois retornando novamente para posição inicial. Dando seqüência a esses movimentos de confiança, todos deverão inclinar o corpo para o lado esquerdo e para o lado direito. Por último, todos de mãos dadas deverão sentar no chão e levantar sem soltar as mãos.

Atividade 2: Continuando com a “grande roda”, o professor tocará um pandeiro para marcar o ritmo da “roda” e os alunos deverão começar girando no sentindo horário de acordo com o ritmo da batida do pandeiro. O professor deverá ir aumentando e diminuindo o ritmo da batida, para os alunos perceberem qual a velocidade que a “roda” tem que girar. O professor também poderá utilizar um apito, e quando ele apitar a “roda” muda de direção.

Atividade 3: Como última atividade dessa “grande roda”, ao som das Cirandas de Pernambuco (http://www.youtube.com/watch?v=DZmwyuJZSdg), os alunos dançarão de mãos dadas seguindo o ritmo e o movimento da ciranda. Num andamento para a direita na roda de ciranda, os alunos darão dois passos para trás e dois passos para a frente, sempre marcando o compasso com o pé esquerdo à frente.  

Para finalizar a aula os alunos terão como dever de casa explorar um pouco mais o histórico cultural das cirandas e da região de origem. Alguns pontos deverão ser colocados pelo professor para facilitar o roteiro da pesquisa: onde está localizada a Ilha de Itamaracá; quais são os outros atrativos dessa região; quem foi a Lia que deu origem a várias cirandas; e por último, como a ciranda influencia no dia a dia da população local.

Recursos Complementares
Avaliação

Como avaliação dessa aula o professor irá propor uma pesquisa mais detalhada sobra as cirandas para ser feita fora do horário da aula. Para orientar essa pesquisa, o professor selecionará alguns pontos importantes como: qual a origem das cirandas; onde está localizada a Ilha de Itamaracá; quais são os outros atrativos dessa região; quem foi a Lia que deu origem a várias cirandas; e por último, como a ciranda influencia no dia a dia da população local.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 1 classificações

  • Cinco estrelas 0/1 - 0%
  • Quatro estrelas 1/1 - 100%
  • Três estrelas 0/1 - 0%
  • Duas estrelas 0/1 - 0%
  • Uma estrela 0/1 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Yara Santiago, Bahia Street , Bahia - disse:
    yarasanti@hotmail.com

    17/03/2013

    Quatro estrelas

    Esta aula foi de grande utilidade no trabalho que estou desenvolvendo, trata-se de aulas cujo elemento motivador é a música em suas várias modalidades.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.