Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Alelismo múltiplo ou polialelismos

 

22/11/2010

Autor e Coautor(es)
Andrea da Silva Castagini
imagem do usuário

CURITIBA - PR SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Suelen Fernanda Machado

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio Biologia Transmissão da vida, ética e manipulação genética
Educação Profissional Recursos Naturais Técnico em Agropecuária
Educação Profissional Recursos Naturais Técnico em Agricultura
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

Determinar o que é alelismo múltiplo e como procede o mecanismo de transmissão das características determinadas por este padrão genético. Pesquisar sobre o alelismo múltiplo e as características dos seres vivos influenciadas por este mecanismo genético. Pesquisar sobre alelismo múltiplo e engenharia genética.

Duração das atividades
3 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

1° e 2° Lei de Mendel.

Estratégias e recursos da aula

Inicie a aula relembrando os alunos da 1° e 2° Lei de Mendel e suas proporções nos cruzamentos. Qual a característica que ambas as leis tem em comum? Mas será que todas os caracteres podem ser explicados apenas com a 1° e 2° Lei de Mendel? Suponha que uma característica genética de uma planta diplóide seja controlada por apenas um gene e que este gene apresente apenas 2 alelos (“A” e “a”). Quantos genótipos são possíveis nesta espécie (para esta característica)? Quantos fenótipos são possíveis considerando a presença de dominância completa? E se a dominância foi incompleta, quantos fenótipos são possíveis? Sendo assim como classificar a herança do fator sanguíneo ABO em seres humanos? Estas questões devem ser respondidas no caderno individualmente.

Leve os alunos ao laboratório de informática e acesse o recurso 1° LEI DE MENDEL.

Genética – 1ª Lei de Mendel (também disponível em:http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnica.html?id=9723 acessado dia 08/09/2010) 

 A partir da visualização, peça que eles respondam no caderno as questões abaixo: De que maneira a 1° Lei de Mendel está relacionada com o polialelismo? Que exemplos podem ser levantados que ilustrem o alelismo múltiplo? A característica genética do fator ABO do sangue é dada pelo que se chamam de polimorfismo genético, ou alelismo múltiplo.

ATIVIDADE 1

Solicite aos alunos que pesquisem sobre o alelismo múltiplo (ou polimorfismo genético). Nesta pesquisa deve constar além do conceito e das variações deste tema, também as proporções fenotípicas e genotípicas de cada variação e exemplos de cada subtema.

Leve-os ao laboratório de informática. Avise que eles poderão iniciar a atividade individualmente mas o registro das informações será feito em equipes. Se o professor preferir poderá dividir as equipes já neste momento. Sugerimos equipes de 3 integrantes.

Determine um tempo de pesquisa, como por exemplo 30 minutos.

Solicite aos alunos que eles conversem em voz baixa para organizar a pesquisa e evitar que dois alunos da mesma equipe pesquisem o mesmo sítio. Lembre que além de texto é importante visualizar e pesquisar outras mídias (vídeos, áudios, imagens). Ao final da pesquisa eles deverão organizar um texto de sua autoria e colocar as referências bibliográficas de tudo o que encontrarem.

Como fazer uma boa pesquisa:

Primeiro, determine o tema a ser trabalhado, no nosso caso, o alelismo múltiplo. Dedique-se à elaboração de um plano de investigação (Onde pesquisar? Em livros, revistas e sítios da internet que tratem sobre o tema). Neste passo sugerimos que os alunos busquem nos sítios sugeridos, nos recursos complementares e também em buscadores da internet, como o Google (disponível em: http://www.google.com.br acessado dia 22/09/2010). Caso o professor deseje, ele mesmo poderá fazer um sítio de pesquisa direcionada, adicionando os sítios que ele julga mais relevantes.  Para o professor realizar um sítio de pesquisa personalizada, ele deverá acessar o seguinte endereço eletrônico: http://www.google.com/cse/manage/create (acessado dia 12/11/2010) e seguir as instruções, tais como inserir os sítios de pesquisa que ele deseja que apareçam para os alunos. Depois de pronta a pesquisa direcionada, ele poderá clicar em visualizar para ter o endereço eletrônico a ser passado para seus alunos.

Documentação e crítica bibliográficas. Nesta etapa, o aluno deve reunir a informação obtida na pesquisa, ler e refletir sobre a pertinência, profundidade e veracidade do que está escrito. A veracidade se dá ao comparar diversas referências sobre o mesmo tema. Lembrar de documentar os trechos da pesquisa com o local de onde foi encontrada (livros, revistas e sítios da internet).

Realização da pesquisa.

Leitura dos dados obtidos na pesquisa, debate dentro do grupo de pesquisa e análise do que é relevante ao tema, e como será transmitidos estes dados aos colegas.

Elaboração de um texto que sintetize as principais ideias pesquisadas. O texto elaborado pelos alunos poderá ser digitado em um editor de texto presente no computador da escola. Este texto servirá de base para as atividades a seguir.

Mais dicas de como fazer uma boa pesquisa em: http://revistaescola.abril.com.br/planejamento-e-avaliacao/planejamento/cinco-etapas-realizar-boa-pesquisa-escolar-607946.shtml?page=4 (acessado dia 11/11/2010).           

SUGESTÕES DE SÍTIOS PARA PESQUISA

UFRN, alelismo múltiplo, disponível em: http://www.cb.ufrn.br/dbg/alelismo%20multiplo.html  (acessado dia 20/11/2010).

Wikipedia, polialelia, disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Polialelia  (acessado dia 20/11/2010).

UFV, interações não-epistáticas, disponível em: http://www.ufv.br/dbg/labgen/intnepis.html  (acessado dia 20/11/2010).

Brasil escola, alelos múltiplos, disponível em: http://www.brasilescola.com/biologia/alelos-multiplos-ou-polialelia.htm  (acessado dia 20/11/2010).

Infoescola, polialelia, disponível em: http://www.infoescola.com/genetica/polialelia/  (acessado dia 20/11/2010).

Aprenda aqui, polialelia, disponível em: http://www.aprendaki.webcindario.com/textos/genetica3.htm  (acessado dia 20/11/2010).

Após a realização da pesquisa, divida os alunos em grupos de 3 integrantes, cada grupo deverá elaborar uma página Wiki onde sintetizarão o conhecimento pesquisado, com suas próprias palavras.

Sobre a Wiki...

 Wiki é um software instalado em um servidor que pode ser utilizado através de um navegador qualquer, porém, oportuniza a promoção de um ambiente virtual de colaboração na produção de conteúdos, desenvolvimento de projetos ou qualquer outra ação que exija escrita coletiva, oportunizando tornar público nossas ideias e criatividade, bem como anseios e realizações tão comuns em sala de aula, que às vezes nunca chegariam a serem compartilhadas com outros tantos profissionais que admiram, reconhecem e valorizam o trabalho colaborativo.

Wikispace  Página para criação de Wiki - disponível em: http://www.wikispaces.com/   (acessado dia 15/05/10).

Tutorial para criar páginas PBWorks – disponível em: http://penta3.ufrgs.br/tutoriais/PBWorks/   (acessado dia 15/05/10)   

Tutorial passo a passo para criar páginas PBWorks, documento PDF – disponível em: 

http://rosangelamentapde.pbworks.com/f/Microsoft+Word+-+TUTORIAL+PARA+CRIAR+UM+PBWORKS.pdf   (acessado dia 15/05/10).  

ESTRUTURA DA WIKI

 Sugerimos que o professor inicie com o conceito de polialelismo e deixe "marcas" para os alunos irem complementando. Estas marcas podem ser: - O que é polialelismo ou alelos múltiplos? Quais características são determinadas por este tipo de herança genética? Qual a diferença entre este tipo de herança genética da 2° lei de Mendel e de outros tipos de herança? Esta atividade pode ser baseada na pesquisa inicialmente feita (ou em pesquisas posteriores). Também deve explicar que os alunos devem identificar suas entradas de textos (por cores diferenciadas, ou mesmo colocando no final do texto seu nome). E que quanto mais participarem, iniciando textos ou complementando os textos anteriormente escritos melhor será sua avaliação nesta atividade.

Por que um gene pode ter mais de dois alelos? Esta pergunta pode ser respondida através da visualização do recurso EXEMPLO DE MUTAÇÃO.

Exemplo de mutação   (também disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnica.html?id=11132 acessado dia 05/09/2010).  

De que maneira a mutação no DNA pode originar novos alelos? A resposta deverá ser registrada no caderno, individualmente.

ATIVIDADE 2

Criação de história em quadrinhos

Materiais

  • Papel;
  • Lápis e lápis de cor;
  • Borracha;
  • Régua.

Esta atividade poderá ser feita em sala de aula ou no laboratório de informática. O tempo aproximado de execução é de 50 minutos.

Solicite que os alunos se reúnam novamente nos grupos. Eles devem debater sobre a pergunta anterior e as respostas que eles elaboraram. Agora devem escolher uma característica genética e criar uma sequencia de imagens que representem, estilo história em quadrinhos. Esta imagem poderá ser feita manualmente ou com recursos do computador. Os alunos devem ter pronto o roteiro da tira ou história em quadrinhos.

Para fazer o roteiro, os alunos devem ter em mente o tema, e de que maneira querem abordá-lo. Para saber mais sobre roteiro de história em quadrinhos, acesse: http://www.apiq.8m.com/dicas.html  (acessado dia 20/11/2010).

Eles poderão criar uma ou duas personagens para dialogar sobre o tema, por exemplo (E essas personagens não precisam ser necessariamente seres humanos, a criatividade pode ser expressa também nesta escolha).

Os alunos podem rascunhar no caderno o desenho e as informações dos diálogos das personagens. Depois poderão passar a limpo para uma folha em branco, onde finalizarão o desenho e informações, além de colorir (opcional) os quadrinhos.

Para saber mais sobre história em quadrinhos acesse: http://blogdivertudo.blogspot.com/2007/08/como-fazer-uma-histria-em-quadrinhos.html 

 (acessado dia 20/11/2010) e http://www.burburinho.com/20051029.html   (acessado dia 20/11/2010).

Pode-se então acessar sítios que fazem histórias em quadrinhos como o HagaQuê, disponível em: http://www.nied.unicamp.br/~hagaque/downloads.php?lang=pt-BR (acessado dia 05/09/2010).   O tutorial de como usar o programa encontra-se no endereço a seguir:

 Tutorial do Hagaquê, disponível em: http://penta3.ufrgs.br/tutoriais/hagaque/ (acessado dia 05/09/2010).   

fonte: http://www.nied.unicamp.br/~hagaque/downloads.php?lang=pt-BR (acessado dia 08/09/2010). 

ATIVIDADE 3

 Sabendo que a herança do fator ABO do sangue é dada por polialelismo, instrua os alunos a pesquisarem um pouco mais sobre este tema e elaborarem em equipe uma campanha de doação de sangue. Que slogan eles podem fazer que estimule a doação de sangue? De que maneira eles podem ensinar sobre a genética desta característica e da importância deste conhecimento? Quais os requisitos que um doador de sangue deve ter? Qual a importância da doação de sangue? Estas e outras questões podem nortear a campanha dos alunos. Eles devem pensar em materiais de baixo custo e acessíveis (de preferência que sejam recicláveis ou reutilizáveis). A apresentação poderá ser em seminário, mas o passo a passo da campanha e o resultado final devem ser publicados na Wiki.

INTERDISCIPLINARIDADE

Este tema da genética se relaciona diretamente com a estatística, sendo assim, o professor poderá buscar interagir com o colega de matemática, analisando alguns dados estatísticos de artigos de genética publicados na internet (ver em recursos adicionais).

ATIVIDADE 4

 As equipes deverão escolher um artigo científico e explicar para a turma os resultados que os pesquisadores chegaram. Este artigo deve ser de genética e deve ter ao menos uma tabela com dados estatísticos.

Os artigos científicos devem ser pesquisados pelos alunos em uma aula específica para isto. Para orientar este trabalho, sugerimos a mesma estratégia de trabalho feita na pesquisa direcionada (atividade 1). Alguns sítios sugeridos a seguir poderão facilitar a pesquisa dos alunos.

Google acadêmico, disponível em: http://scholar.google.com.br/schhp?hl=pt-BR  (acessado dia 20/11/2010).

Periódicos da Capes, disponível em: http://www.periodicos.capes.gov.br/portugues/index.jsp  (acessado dia 20/11/2010).

Capes, disponível em: http://acessolivre.capes.gov.br/  (acessado dia 20/11/2010).

Scielo, disponível em: http://www.scielo.org/php/index.php  (acessado dia 20/11/2010).

SEMINÁRIO

 A forma de apresentação é seminário e deve ser breve, tendo cada equipe o tempo de 10 minutos. O professor poderá abrir mais 5 minutos para a participação da platéia com perguntas sobre o artigo.

 Seminário é um procedimento metodológico, que supõe o uso de técnicas (uma dinâmica de grupo) para o estudo e pesquisa em grupo sobre um assunto predeterminado. O seminário pode assumir diversas formas, mas o objetivo é um só: leitura, análise e interpretação de textos dados sobre apresentação de fenômenos e/ou dados quantitativos vistos sob o ângulo das expressões científicas-positivas, experimentais e humanas. De qualquer maneira, um grupo que se propõe a desenvolver um seminário precisa estar ciente da necessidade de cumprir alguns passos:

PASSOS ANTES DA APRESENTAÇÃO: determinar um problema ou tema a ser trabalhado; definir a origem do problema e da hipótese; compreender e explicitar o tema- problema; dedicar- se à elaboração de um plano de investigação (pesquisa); documentação e crítica bibliográficas; realização da pesquisa; leitura dos dados obtidos na pesquisa, debate dentro do grupo de pesquisa e análise do que é relevante ao tema, e como será transmitidos estes dados aos colegas. elaboração de um texto que sintetize as principais ideias pesquisadas (a ser distribuído para todos os colegas). Para a montagem e a realização de um seminário há um procedimento básico:

1º O professor marca o dia do seminário.

2º cada grupo é designado para fazer:

a. Exposição temática do assunto, valendo-se para isso das mais variadas estratégias: exposição oral, quadro-negro, slides, cartazes, filmes etc. Trata-se de uma visão global do assunto e ao mesmo tempo aprofunda-se o tema em estudo;

b. Contextualizar o tema ou unidade de estudo na obra de onde foi retirado do texto, ou pensamento e contexto histórico-filosófico-cultural do autor;

c. Apresentar os principais conceitos, ideias e doutrinas e os momentos lógicos essenciais do texto (temática resumida, valendo-se também de outras fontes que não o texto em estudo);

d. Levantar os problemas sugeridos pelo texto e apresentar os mesmos para discussão;

e. Fornecer bibliografia especializada sobre o assunto e se possível comentá-la;

3° Abertura para perguntas da plateia.

 O coordenador geral ou o professor faz a avaliação sobre os trabalhos dos grupos, especialmente do que atuou na apresentação, bem como uma síntese das conclusões. Finalizando, apontamos que todo tema de um seminário precisa conter em termos de roteiro as seguintes partes:

a.introdução ao tema;

b.desenvolvimento;

c.conclusão

Ao final todos os alunos devem registrar o que aprenderam (com todas as apresentações ) na Wiki aberta anteriormente.

Debata com os alunos de que maneira o projeto Genoma (e o projeto genona humano em especial) contribuiu para o conhecimento da genética e de heranças polialélicas. E de que forma o conhecimento de polialelismo está relacionado com a engenharia genética? Este conhecimento foi relevante para o projeto Genoma?

 O debate deve ter a figura do mediador, neste caso, o professor. É dado o direito de palavra a um aluno que deve argumentar seu ponto de vista, preferencialmente referenciando com pesquisas e exemplos. É dado o direito de réplica (com tempo determinado) a quem deseje contestar o que foi dito. Caso o aluno que argumentou primeiro deseje responder, é dado a ele o direito de tréplica (com tempo determinado). A determinação do tempo fica a cargo do professor, mas é interessante que seja um tempo curto para dar dinâmica à estratégia.

Após o debate inicial o professor pode solicitar aos alunos que registrem seu aprendizado na wiki (é interessante que eles pesquisem para aprofundar seu conhecimento em relação ao projeto genoma e à engenharia genética).

Recursos Educacionais
Nome Tipo
Genética – 1ª Lei de Mendel Hipertexto
Exemplo de mutação Animação/simulação
Recursos Complementares

UFV, alelismo múltiplo e pleiotropia, disponível em: http://www.ufv.br/dbg/labgen/intnepis.html (acessado dia 05/09/2010). 

Hagaque, disponível em: http://pan.nied.unicamp.br/~hagaque/ (acessado dia 05/09/2010).  

Tutorial do Hagaquê, disponível em: http://penta3.ufrgs.br/tutoriais/hagaque/ (acessado dia 05/09/2010).  

Avaliação

A avaliação poderá se dar pelas produções dos alunos nas atividades sugeridas. Para tanto, é interessante que o professor explique o que deseja que os alunos realizem e quais critérios serão observados para a composição da nota de cada atividade. Os critérios podem ser vários, por exemplo:

WIKI – ortografia e gramática; profundidade da pesquisa, qualidade das fontes pesquisadas; número de fontes pesquisadas; pertinência ao tema; participação dos integrantes da equipe; pontualidade; organização.

CAMPANHA – criatividade, ortografia e gramática; pontualidade; organização; pertinência com o tema; profundidade da pesquisa; participação dos integrantes da equipe. CRIAÇÃO DE IMAGEM – criatividade; ortografia e gramática; organização; pertinência com o tema;

SEMINÁRIO – oralidade; pontualidade; organização; profundidade da pesquisa; domínio do conteúdo apresentado;

Opinião de quem acessou

Sem estrelas 0 classificações

  • Cinco estrelas 0/0 - 0%
  • Quatro estrelas 0/0 - 0%
  • Três estrelas 0/0 - 0%
  • Duas estrelas 0/0 - 0%
  • Uma estrela 0/0 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.