Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


De olho na merenda escolar

 

21/09/2010

Autor e Coautor(es)
Amélia Pereira Batista Porto
imagem do usuário

BELO HORIZONTE - MG ESCOLA DE EDUCACAO BASICA E PROFISSIONAL DA UFMG - CENTRO PEDAGOGICO

Lízia Maria Porto Ramos

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Inicial Saúde Alimentação: necessidades corporais, socioculturais e emocionais
Ensino Fundamental Inicial Ciências Naturais Ser humano e saúde
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

Analisar o valor nutritivo da merenda escolar;

Fazer um levantamento dos alimentos mais consumidos e seus nutrientes quando o lanche vem de casa;

Sugerir um cardápio para a merenda escolar de modo a atender as necessidades básicas de alimentação.

Duração das atividades
4h/a
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Ter noções básicas sobre o valor nutricional dos alimentos e a necessidade dos mesmos para um funcionamento satisfatório do corpo.

Estratégias e recursos da aula

EXECUÇÃO DAS ATIVIDADES  

 Introdução: uma abordagem para o professor   

De acordo com Muniz e Carvalho (2007) o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) é uma política governamental, de âmbito nacional, que visa a suprir, no mínimo, 15% das necessidades nutricionais dos escolares durante a permanência na escola. “O PNAE objetiva, ainda, contribuir para a redução dos índices de evasão escolar, para a formação de bons hábitos alimentares e para o aumento da capacidade de aprendizagem” (SPINELLI e CANESQUI, 2002, p. 109.

Desde 1994, o PNAE funciona de forma descentralizada, segundo os princípios da Lei 8.913/94, a qual estabelece as diretrizes desse processo. Carvalho e Muniz (2007) dizem também que a perspectiva foi de permitir uma maior regularização no fornecimento das refeições; possibilitar a melhoria na sua qualidade; atender aos hábitos alimentares dos estudantes; incentivar a economia local e regional, diminuir custos operacionais e estimular a participação da comunidade.

Esse Programa atendeu, em 2005, cerca de 37 milhões de alunos matriculados na educação infantil (creches e pré-escolas) e no ensino fundamental (1ª a 8ª série) da rede pública e das escolas mantidas por entidades filantrópicas cadastradas no Censo Escolar e registradas no Conselho Nacional de Assistência Social (MUNIZ e CARVALHO, 2007, p. 03).

A merenda escolar é apontada como uma necessidade básica, mas praticamente só aborda a questão nutricional. Por outro lado, a escola se apresenta como um espaço e um tempo privilegiados para promover a saúde, por ser um local onde muitas pessoas passam grande parte do seu tempo, vivem, aprendem e trabalham. Ao articular, de forma dinâmica, alunos e familiares, professores, funcionários técnico-administrativos e profissionais de saúde, o espaço escolar oferece condições para desenvolver atividades que reforçam a sua capacidade de se transformar em um local favorável à convivência saudável; ao desenvolvimento psico-afetivo, ao aprendizado e ao trabalho de todos os envolvidos nesse processo. Podendo assim, constituir-se em um núcleo de promoção de saúde local.

As atividades educativas promotoras de saúde na escola representam importantes ferramentas se considerarmos que pessoas bem informadas têm mais possibilidades de participar ativamente na promoção do seu bem-estar.

As atividades educativas em nutrição têm espaço próprio nas escolas quando se fala em promoção da saúde e na possibilidade de ser esse um espaço produtor de conhecimento. Elas podem e devem ser utilizadas como um importante instrumento de apoio na promoção da saúde, aproveitando-se do espaço criado pelo Programa de Alimentação Escolar. Pode-se refletir, analisar e discutir hábitos alimentares e mudanças de hábitos, renda familiar e custos de alimentos, o desperdício, valor nutricional e alimentos saudáveis de baixo custo, qualidade de vida entre outros temas.

De acordo com documento do Conselho Federal de Nutrição sobre o "Panorama da Alimentação Escolar":

"A alimentação escolar tem características de assistência nutricional, desde que ofereça alimentos adequados em quantidade e qualidade, para satisfazer às necessidades nutricionais do escolar, no período do dia em que permanece na escola. (Mas também,) por ser servida na escola, adquire características de ferramenta educativa, que pode e deve ser utilizada para os fins maiores da educação, (...) habilitando o aluno a intervir na própria realidade" (Conselho Federal..., 1995).

Assim, o PNAE pode ser considerado também um instrumento pedagógico, não apenas por fornecer uma parte dos nutrientes que o escolar necessita diariamente, mas também por se constituir em espaço educativo melhor explorado, quando, por exemplo, estimula a integração de temas relativos à nutrição ao currículo escolar.

Segundo as autoras do texto, aqui adaptado, o nutricionista pode (e deve) participar de discussões, interagindo com a equipe escolar, propondo atividades com o objetivo de esclarecer a importância do PNAE; sua função na escola e contribuir para o reconhecimento dos limites e das possibilidades que apresenta como instrumento educativo em nutrição. Rever o papel desse Programa no ambiente escolar é importante para dar um novo sentido às atividades sobre temas mais específicos da nutrição, visando integrar as atividades promotoras de saúde na escola, para as quais algumas considerações devem ser feitas:

- Alunos, familiares, professores e funcionários técnico-administrativos devem ser vistos como capazes de mudar suas atitudes e comportamentos;

- Os adultos que nela trabalham terão que assumir-se como modelos, coerentes com o discurso feito em prol da boa alimentação;

- A escola e a comunidade deverão se interrelacionar de forma saudável, por exemplo, revendo a qualidade do atendimento prestado pela cantina e pelos ambulantes que freqüentemente encontram-se na vizinhança da escola;

 - Atividades promotoras de saúde deverão ser assumidas de modo cotidiano pelo serviço de alimentação escolar (Programa..., 2000).

Para que o conhecimento produzido no serviço de alimentação escolar seja significativo, é necessário o respeito à merendeira na peculiaridade da sua função, o acato às suas ide

ias em um ambiente de trabalho aberto à discussão de problemas. Nas atividades diárias de produção das refeições escolares é ela quem  precisa decidir o que preparar, para quantas pessoas, em determinado tempo, como servir e higienizar, utilizando-se dos recursos disponíveis na escola, entre outros procedimentos.

Para incluir a aprendizagem em saúde e nutrição como parte da cultura do serviço de alimentação escolar, produzindo conhecimento significativo, toda a escola precisa sentir-se motivada a participar desse projeto. As atividades práticas executadas no serviço de alimentação escolar podem ser objeto das atividades pedagógicas executadas pelos professores e, quando possível, intermediada por um nutricionista. Atendendo aos requisitos expostos anteriormente, o PNAE poderia utilizar o espaço educativo em que se constitui no sentido de provocar o diálogo com a comunidade escolar sobre os fatores que influenciam suas práticas alimentares diárias, possibilitando questioná-las e modificá-las, por meio da discussão de temas como: fatores condicionantes e determinantes de práticas alimentares, crenças e tabus; cuidados de higiene pessoal e ambiental; fatores que influem na produção, na distribuição e no acesso aos alimentos; cuidados no preparo e conservação de alimentos; propostas para uma dieta de melhor qualidade, entre outros.

Criar um ambiente favorável à aprendizagem, enquanto um processo social e permanente, para que todos aqueles que exercem suas atividades no cenário escolar possam conduzir sua alimentação em busca de uma vida mais saudável, é uma forma de desenvolver os recursos sociais e pessoais necessários para alcançar o estado de bem-estar. Esta é a mais relevante contribuição que o Programa de Alimentação Escolar pode dar para promover a saúde da comunidade escolar e de seus familiares.

Texto adaptado para fins didáticos de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732001000300009 – consultado em 10/09/2010, às 20:40h. 

Como vimos no texto acima, a merenda escolar pode e deve ser explorada como espaço educativo, onde através da interação entre todos envolvidos, se promova a aprendizagem e a produção de conhecimentos conceituais, procedimentais e atitudinais, tendo como referência o cardápio escolar e a qualidade de vida. Nesta aula, temos como eixo central, promover a reflexão sobre a importância desse espaço formador, propondo atividades que promovam aprendizagem, tendo como tema a merenda escolar. Um dos recursos a ser usado é a entrevista.

A entrevista constitui um valioso recurso didático, pois oferece situações reais de aprendizagem. Ela possibilita ao aluno obter informações com pessoas especializadas no assunto, mediante a própria investigação. Sugerimos que, antes da entrevista propriamente dita, o professor simule uma entrevista com os alunos, vivenciando essa experiência. Através de uma entrevista é possível  recolher dados e possibilitar que o aluno se aproxime mais da realidade que o cerca. Após sua realização, as crianças terão oportunidade de conversar, discutir, comentar sobre os conhecimentos adquiridos e organizar relatórios ou fazer uma síntese dos pontos importantes que foram tratados durante a entrevista.

Professor, observe os seguintes aspectos ao planejar a entrevista:

. definição do objetivo da entrevista (é indispensável que o aluno saiba a finalidade da entrevista);

. escolha do entrevistado

. verificação da disponibilidade de tempo do entrevistado;

. definição do local e do horário da entrevista;

. preparação das questões que vão ser encaminhadas ao entrevistado sobre o assunto em questão;

. convite pessoal ao entrevistado ou por meio de carta; quando a pessoa é muito íntima, o convite poderá ser feito pelo telefone;

. recepção do entrevistado (um grupo de alunos escolhidos previamente deve conduzir o entrevistado ao local);

. apresentação do entrevistado ao grupo;

. escolha de um ou mais alunos para fazer as perguntas ao entrevistado;

. anotação das informações (para que não se percam os dados coletados);

. discussão a respeito das atitudes do grupo no decorrer da entrevista (ser cortês, ouvir com atenção, fazer as perguntas com habilidade, não conversar durante a entrevista).

É comum o entrevistado, no final da entrevista, colocar-se à disposição dos alunos para outras perguntas; no entanto, essa situação não é obrigatória. Ao realizar a entrevista é preciso que:

. o roteiro esteja pronto e que haja papel e lápis e/ou gravador, para registrar as informações de imediato;

. as perguntas sejam feitas uma de cada vez, sem sugerir ou induzir respostas;

. se evite a insistência de perguntas que o entrevistado não queira responder;

. o entrevistador não interrompa o entrevistado nem mude de assunto;

. sejam feitos agradecimentos ao término da tarefa.

Após a entrevista, as crianças, sob a orientação do professor, farão a avaliação. Essa avaliação poderá ser feita por meio de conversas, discussões e comentários sobre os conhecimentos adquiridos durante o trabalho desenvolvido. É importante que sejam discutidas as informações apresentadas para que os alunos sintam a validade da atividade. Pode-se solicitar às crianças que façam um relatório ou esquema com os pontos mais importantes da entrevista e escrevam uma carta de agradecimento ao entrevistado. Outras informações que podem ajudá-lo nesta aula podem ser obtidas em outra aula planejada por essa equipe. Consulte o link:

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Corpo/alimentos.php 

consultado em 19/09/2010

http://www.conversasdecozinha.caixadepandora.com.br/bons-habitos-alimentares-comecam-na-escola/ 

consultado em 19/09/2010

http://educacao.uol.com.br/planos-aula/fundamental/ciencias-piramide-alimentar-nova-proposta.jhtm 

consultado em 19/09/2010

Estratégia:   

Como os alunos poderão atingir os objetivos propostos:

Os alunos poderão atingir os objetivos propostos através de conversa dialogada em que vão expor suas ideias sobre o tema e participando das atividades sugeridas para explorar o assunto da aula.   

Como o professor irá ativar esse processo:   

Levantando situações – problema para que os alunos emitam suas ideas sobre o assunto explorado; elaboração de roteiro de entrevista e realização da mesma com a merendeira da escola; examinado o cardápio da merenda escolar; propondo sugestões de mudança que possam contribuir para a melhoria da merenda, considerando os valores nutricionais dos alimentos, entre outros.

Atividade 1 

http://3.bp.blogspot.com/_9kQp0r2V0ZA/SwaxdD-ii2I/AAAAAAAAAb4/LYDRRwCJLNg/s320/Merenda_Escolar(3).jpg – consultado em 15/09/2010. 

Nesta primeira atividade propomos uma sondagem com a turma fazendo um levantamento de como as crianças utilizam e percebem a merenda escolar. Anote no quadro/giz as ideias da turma.

Faça perguntas como:

Vocês costumam trazer merenda de casa?Por quê?

Vocês gostam do cardápio oferecido pela merenda escolar?

Vocês costumam merendar diariamente na escola? Qual o prato predileto?

Vocês conhecem os ingredientes usados para prepará-lo?

Tentem se lembrar do que foi oferecido como merenda nos últimos dias na escola.

Quais foram as opções oferecidas? Qual vocês acharam mais gostosa? Por quê? Qual vocês não gostaram? Por quê?

 Na sua escola costuma oferecer frutas, legumes e verduras como merenda? Elas são oferecidas ao natural ou são usadas no preparo de algum alimento?

Em nosso corpo, os alimentos ingeridos são transformados e deles retiramos os nutrientes e a energia de que precisamos. Por isso, devemos nos alimentar diariamente, a intervalos regulares, consumindo alimentos variados. Vocês sabem dizer por que devemos consumir alimentos variados? Anote as sugestões da turma.

Os alimentos são indispensáveis para a conservação da vida. Alimentar-se bem não significa comer muito. Devem fazer parte da alimentação diária os cereais, as verduras e as frutas, o leite e seus derivados, a carne e os ovos. Agora que vocês já sabem os alimentos que devem compor a alimentação diária, pensem novamente na merenda escolar e respondam: A merenda escolar oferecida pela escola contém os alimentos indicados para a alimentação diária? Por quê?

Quando vocês trazem a merenda de casa ela contém esses alimentos? Por quê? É importante que as crianças avaliem a qualidade da merenda não só pensando no sabor do alimento, mas principalmente em seu valor nutritivo. Os alimentos fornecem carboidratos, proteínas, gorduras, sais minerais, vitaminas, fibras e água para a formação dos tecidos e o funcionamento dos órgãos.

Atividade 2 

Após a discussão, exiba os vídeos a seguir: http://www.youtube.com/watch?v=rGnoHrBuG5o – vídeo do PNAE/Brasil – consultado em 13/09/2010 – aborda o programa de merenda escolar em Apucarana – PR. Ao exibi-lo discuta com as crianças as finalidades dos programas de merenda escolar financiados pelo governo e o direito delas em reivindicar uma merenda de qualidade na escola pública.   

http://www.youtube.com/watch?v=qUN9i3RCYl8&feature=related – Conhecendo os alimentos com o Sr. Banana – consultado em 13/09/2010, às 20:55min. – aborda entre outros assuntos, o valor nutricional dos alimentos. Ao final das discussões e exibições dos vídeos, peça às crianças que, em duplas, elaborem cinco perguntas que gostariam de fazer para a merendeira da escola, sobre a merenda escolar. Discuta com os alunos os objetivos da entrevista: obter dados sobre os alimentos usados na confecção da merenda, critérios usados na organização do cardápio, cuidados necessários no preparo e se existe algum recurso usado para evitar o desperdício de alimentos. http://vimeo.com/3028185 - animação infantil sobre alimentação saudável – Turma da merenda. Consultado em 15 de setembro de 2010.   

Atividade 3  

http://iguatu.org/portal/wp-content/uploads/2009/07/751796701dc5f1be5cb89b0ca459867f.jpg - consultado em 15/09/2010. 

Entrevistando a merendeira da escola 

Professor, as orientações sobre como organizar uma entrevista com a turma, estão no texto de introdução desta aula.  

Na atividade anterior, sugerimos que solicitasse às crianças que elaborassem cinco perguntas que gostariam de fazer à merendeira da escola.

Organize os alunos em semicírculo e peça que cada dupla leia as perguntas formuladas. Para isso, retome com a turma os objetivos da entrevista: obter dados sobre os alimentos usados na confecção da merenda, critérios usados na organização do cardápio, cuidados necessários no preparo e se existe algum recurso usado para evitar o desperdício de alimentos.

Enquanto os alunos lêem as perguntas elaboradas, anote-as no quadro/giz para posteriormente selecionarem aquelas que melhor atendem aos objetivos propostos. De acordo com a disponibilidade de tempo da merendeira entrevistada, determinem o número máximo de perguntas que poderão ser feitas e quais os alunos irão fazê-las.

Algumas sugestões de perguntas:

. Você gosta do  seu trabalho?

. Como você foi escolhida para trabalhar nesta escola?

. Você foi preparada para essa função? Como?

.  Você conta com a colaboração de outras pessoas para realizar o seu trabalho? Que tipo de ajuda você recebe?

.  É difícil cozinhar para muita gente? Por quê?

.  Quais os alimentos mais usados no preparo da merenda escolar?

.  Quais os critérios usados nessa escolha?

.  Como esses alimentos chegam até a escola?

.  Qual a importância de um cardápio variado?

.  Dos pratos oferecidos, quais estão na preferência dos alunos?

.  Quais os cuidados que devem ser tomados no preparo da merenda?

.  Os alunos deixam muito alimento recusado no prato?

.  O que é feito com essas sobras?

.  Em que os alunos poderiam ajudar para evitar o desperdício?

.  Teria como os alunos participarem da elaboração do cardápio da merenda? Como poderiam fazer?

Essas são apenas algumas sugestões que podem ajudá-lo na elaboração e escolha das perguntas com a turma.

Após a entrevista, as crianças, sob sua orientação, fazem uma avaliação das informações obtidas. Essa avaliação poderá ser feita por meio de conversas, discussões e comentários sobre os conhecimentos adquiridos durante o trabalho desenvolvido. É importante que sejam discutidas as informações apresentadas para que os alunos sintam a validade da atividade. Pode-se solicitar às crianças que façam um relatório ou esquema com os pontos mais importantes da entrevista e escrevam uma carta de agradecimento à entrevistada.

Sugestões de questões que podem nortear a avaliação da atividade:

.  Todas as perguntas feitas foram respondidas de acordo com o que foi solicitado? Por quê?

.  A partir das informações obtidas, o que pode ser feito para evitar o desperdício de alimentos na escola?

.  Qual a importância do trabalho da merendeira para que a merenda escolar seja de qualidade?

.  O que aprendemos de novo com a entrevista realizada?

.  Qual a importância de conhecer as pessoas que trabalham na escola e as atividades que realizam?  

Atividade 4

Esta atividade deve ser realizada em grupo de quatro a cinco alunos. Com os dados obtidos na entrevista e demais atividades realizadas, proponha aos grupos que organizem uma sugestão de cardápio semanal para ser oferecido à merendeira da escola, como uma forma de agradecimento e de colaborar com o seu trabalho. Se possível, inclusive, selecionem algumas receitas. Antes, porém apresente esse texto para que as crianças conheçam um pouco mais sobre o valor nutricional dos alimentos. Discuta com a turma e esclareça as dúvidas.   

Para que é importante ter uma alimentação variada?

O corpo humano necessita de alimentar-se para se manter vivo. Nos alimentos podemos encontrar carboidratos, gorduras, proteínas, sais minerais, vitaminas, fibra e água para a formação e manutenção dos tecidos e funcionamento dos órgãos que compõem o organismo humano.

Uma alimentação adequada, em condições normais, permite ao corpo humano  realizar suas funções básicas e acumular energia para realizar diferentes atividades.

Os alimentos podem ser classificados em três grupos: alimentos construtores, alimentos energéticos, alimentos reguladores (vitaminas e sais minerais).

Os alimentos construtores são aqueles que ajudam o desenvolvimento do corpo, ou seja, o nosso crescimento. São considerados alimentos construtores as carnes, os peixes, o leite e seus derivados, os ovos e os grãos como feijão, lentilha, ervilha e grão-de-bico. Esses alimentos são ricos em proteínas que ajudam a formar os músculos.

Os alimentos energéticos são aqueles que mantêm a energia do corpo, para conseguirmos nos mover, respirar, fazer atividades físicas, etc. São ricos em gorduras e carboidratos (um tipo de açúcar). Essa energia pode ser retirada dos pães, arroz, cereais, batatas, óleo, leite e seus derivados, mel, doces, dentre vários outros.

Os alimentos reguladores ajudam a conservar e fortalecer o organismo, protegendo-nos das doenças, regulando a circulação do sangue, ajudando na digestão e fazendo com que os intestinos funcionem bem, pois são ricos em fibras. Esses alimentos são as verduras – alface, rúcula, couve e outros; os frutos e legumes – abóbora, chuchu, pepino, vagem, ervilha, etc; e as frutas – mamão, banana, abacaxi, laranja, morango, caju, dentre outras. Neste grupo encontramos alimentos que contem vitaminas e sais minerais.

As vitaminas costumam ser representadas por letras do alfabeto, seguidas ou não de números, como A, B(1,2,3...), C, D e E.

Os sais minerais são nutrientes que fornecem ao corpo o cálcio, o fósforo, o ferro ou o enxofre, entre outros. O cálcio é de fundamental importância na estrutura dos ossos. O ferro, presente na hemoglobina do sangue é fundamental para o transporte de oxigênio para as células. O fósforo é responsável pelo fornecimento de energia a todas as reações químicas fundamentais à vida. Os sais minerais(cálcio, ferro, sódio, fósforo, flúor) são encontrados no leite e derivados, no fígado, nos peixes, na carne, nas frutas como manga, laranja, mamão, maracujá, nas hortaliças verdes como couve, brócolis, espinafre, agrião.

Cada um desses grupos de alimentos fornece um pouco, mas não todos, os nutrientes que você precisa. Os alimentos de um grupo não podem substituir os de outros. Nem um grupo alimentar é mais importante que outro. Devemos enfatizar que para ter uma boa saúde cada indivíduo precisa de todos os grupos.

O importante é manter uma dieta equilibrada, sempre ingerindo um pouco de cada um desses alimentos, a fim de manter o organismo sempre saudável e longe das doenças.

Texto elaborado pelas autoras

As informações contidas no texto devem ser usadas para que possam organizar um cardápio que atenda às diferentes necessidades nutricionais dos alunos.  

Recursos Complementares

Para obter mais informações consulte:

http://www.tubarao.sc.gov.br/secretarias/educacao/merenda-escolar   

acesso em 12 de setembro de 2010

http://www.plenarinho.gov.br/saude/folder.2006-08-08.0121908273/hora-do-recreio acesso em 12 de setembro de 2010.    

 http://www.viaintegral.com/via2007/paginas/piramide.htm acesso em 12 de setembro de 2010 

http://www.whala.com.br/merenda-escolar-voce-sabe-o-que-seu-filho-come/ acesso em  15 de setembro de 2010.    

Avaliação

Avaliar numa perspectiva formativa implica estar atento à construção de conhecimentos conceituais, comportamentais e atitudinais de nossos alunos durante todo o processo de ensino e aprendizagem. Por isso é importante estar atento a todo o percurso do aluno enquanto aprende: suas ideias iniciais, aquelas apresentadas durante o trabalho desenvolvido, à maneira que relaciona com os colegas, sua atitude investigativa e crítica, no decorrer da aula, o seu envolvimento e participação nas diferentes atividades realizadas.   

Feitas estas considerações, propomos mais um momento para que os alunos sejam avaliados em relação aos objetivos propostos inicialmente. Nesta aula tivemos como foco das atividades realizadas, a merenda escolar. Considerando o que foi discutido e as informações obtidas:

1.      Faça um levantamento dos nutrientes presentes nos alimentos oferecidos na merenda escolar.

2.       Se você traz merenda de casa ou compra na cantina da escola, faça um levantamento dos alimentos mais consumidos e seus nutrientes.

3.      A sua merenda atende às necessidades básicas de alimentação?

4.      Apresente sugestões que possam melhorar a qualidade da merenda.        

Opinião de quem acessou

Sem estrelas 0 classificações

  • Cinco estrelas 0/0 - 0%
  • Quatro estrelas 0/0 - 0%
  • Três estrelas 0/0 - 0%
  • Duas estrelas 0/0 - 0%
  • Uma estrela 0/0 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.