Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Poema

 

05/01/2011

Autor e Coautor(es)
Maria Carolina da Silva
imagem do usuário

BELO HORIZONTE - MG ESCOLA DE EDUCACAO BASICA E PROFISSIONAL DA UFMG - CENTRO PEDAGOGICO

Luiz Prazeres

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Práticas de leitura
Ensino Fundamental Inicial Língua Portuguesa Língua oral: usos e formas
Ensino Fundamental Inicial Língua Portuguesa Língua escrita: prática de produção de textos
Ensino Fundamental Inicial Língua Portuguesa Língua escrita: gêneros discursivos
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Práticas de escrita
Ensino Fundamental Inicial Língua Portuguesa Língua escrita: prática de leitura
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Identificar os elementos organizacionais e estruturais do poema.
  • Identificar a finalidade do gênero textual poema.
  • Compreender a os elementos que compõem um poema (versos, estrofes, rimas, disposição gráfica).
  • Conhecer as práticas sociais de produção e circulação do poema.
  • Envolver-se em práticas de produção e recitação de poemas.
  • Despertar o gosto pela leitura poética.
  • Identificar rimas, estrofes e versos.
Duração das atividades
5 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Uso da biblioteca.

Estratégias e recursos da aula

Para começar o trabalho, algumas informações a respeito desse gênero textual. Conforme Carvalho:

O poema traduz em palavras um universo desconhecido junto às emoções e permite criar possibilidades de compor pensamentos. O processo de criação de um poema leva em conta as sonoridades, pulsações e ritmos que o poeta deseja alcançar e a ideologia que ele pretende reproduzir fazendo com que a criatividade tenha espaço dentro das produções. Vale ressaltar a importância de se conhecer a diferença entre poema e poesia. Apesar de serem tratadas por muitos como sinônimos, o uso dos dois termos apresenta diferenças: Poesia: Caráter do que emociona, toca a sensibilidade. Sugere emoções por meio de uma linguagem. Poema: obra em verso em que há poesia.

Disponível em: http://www2.jatai.ufg.br/ojs/index.php/acp/article/view/861/331  

ATIVIDADE 1

Pergunte para os alunos com quais brinquedos eles mais brincam em seu cotidiano. Registre na lousa o nome desses brinquedos. Em seguida, exiba a capa do seguinte livro para os alunos. Se conseguir pegar o livro na biblioteca da escola, o trabalho ficará mais interessante, pois os alunos poderão ver o poema no seu suporte usual.

Disponível em: http://www.jacotei.com.br/poemas-para-brincar-paes-jose-paulo-8508037201.html 

Identifique junto com os alunos os elementos presentes na capa: título, nome do autor e do ilustrador e imagens. Leia, então, o primeiro poema do livro:

Convite

Poesia

é brincar com palavras

como se brinca

com bola, papagaio, pião.   

Só que

bola, papagaio, pião

de tanto brincar

se gastam.

As palavras não:

quanto mais se brinca

com elas

mais novas ficam.

Como a água do rio

que é água sempre nova.

Como cada dia

que é sempre um novo dia.

Vamos brincar de poesia?

Disponível em: José Paulo Paes. Poemas para brincar. 2ª- ed. São Paulo: Ática, 1991.

Faça perguntas para seus alunos tais como:

  • Vocês acham possível brincar com as palavras?
  • Vocês conhecem algumas brincadeiras envolvendo as palavras? (lembre com eles de adivinhas, parlendas e trava-línguas que são brincadeiras envolvendo palavras)
  • Por que vocês acham que o autor acha que poesia é brincar com as palavras? (ajude os alunos a entenderem que um dos elementos que diferencia o poema de outros gêneros textuais é o modo como as palavras são usadas, para dar um sentido diferente do usual)
  • Por que ao brincar com as palavras, elas vão ficando novas? (ajude os alunos a perceberem que, quanto mais o poeta brincar com as palavras, mais ele vai inventar outros sentidos para elas)
  • Por que vocês acham que o texto se chama “convite”? (explique que, com esse título, o autor quer convidar os seus leitores a entrarem no mundo dos poemas).

Entregue uma cópia impressa do poema para os alunos. Pergunte o que eles observam sobre a disposição das palavras no papel. Espera-se que os alunos percebam que nesse poema, as palavras não estão dispostas da mesma forma que em um conto ou em narrativas. Explique para os alunos que cada linha do poema se chama verso e que cada conjunto de versos, separado por uma linha em branco, compõe uma estrofe. Se for preciso, registre essa informação no caderno ou em um cartaz na sala. Pergunte para os alunos quantos versos e quantas estrofes tem o poema lido.

ATIVIDADE 2

Leia o seguinte poema para seus alunos. Peça que eles prestem bastante atenção na leitura.

Sono pesado

Cláudio Thebas

Toca o despertador

e meu pai vem me chamar:

-Levanta, filho, levanta,

tá na hora de acordar.

Uma coisa, no entanto,

impede que eu me levante:

sentado nas minhas costas,

há um enorme elefante.

Ele tem essa mania,

todo dia vem aqui.

Senta em cima de mim,

e começa a ler gibi.

O sono, que estava bom,

fica ainda mais pesado.

Como eu posso levantar

com o bichão aí sentado?

O meu pai não vê o bicho,

deve estar ruim da vista.

Podia me deixar dormindo,

enquanto ia ao oculista...   

-Espera um pouco, papai...

 Não precisa ser agora.

Daqui a cinco minutos

o elefante vai embora!

Mas meu pai insiste tanto,

que eu levanto, carrancudo.

Vou pra escola, que remédio,

com o bicho nas costas e tudo!

THEBAS, Cláudia. Amigos do Peito. Editora Formato, 2008.

Faça perguntas tais como:

  • Qual o tema do poema?
  • Vocês conseguem imaginar o que está acontecendo no poema?
  • Quem está falando no poema? O pai? A criança? (Pedir que os alunos percebam as vozes presentes no texto)
  • O que o pai quer que o filho faça?
  • O filho consegue cumprir a ordem do pai? Por quê?
  • O elefante de fato existe? O que o menino acha? E o pai? E você? (Leve o aluno a identificar o que significa o elefante no poema)
  • Esse poema desperta algum sentimento em vocês?
  • Vocês já passaram por uma situação semelhante do poema acima?

Retome o que foi discutido na atividade anterior e pergunte quantos versos e quantas estrofes há no poema.

Pergunte também aos alunos se conseguem perceber alguma coisa na sonoridade do poema. Espera-se que os alunos percebam que esse poema é rimado, ou seja, há palavras, ao final dos versos, com sons parecidos. Peça que eles identifiquem as rimas presentes no poema.

Selecione algumas quadrinhas ou parlendas, suprima a última palavra da estrofe e peça que os alunos completem com palavras que rimam, como por exemplo:

O cravo brigou com a rosa,

Debaixo de uma sacada.

O cravo saiu ferido,

E a rosa ___________________.

Provavelmente os alunos se lembraram da palavra que completa (despedaçada). Peça que eles pensem em outras palavras que rimam e que poderiam ser inseridas no contexto (quebrada, amassada, esburacada...). Por meio dessa brincadeira, que pode ser desenvolvida por escrito ou oralmente, certifique-se de que os alunos compreenderam o conceito de rima. Exemplos de parlendas podem ser encontrados no site:

http://www.qdivertido.com.br/verfolclore.php?codigo=21

ATIVIDADE 3

Explore outro poema com seus alunos:

Pescaria

José Paulo Paes

Um homem

que se preocupava demais

com coisas sem importância

acabou ficando com a cabeça cheia de minhocas.

Um amigo lhe deu então a idéia

de usar as minhocas

numa pescaria

para se distrair das preocupações.

O homem se distraiu tanto

pescando

que sua cabeça ficou leve

como um balão

e foi subindo pelo ar

até sumir nas nuvens.

Onde será que foi parar?

Não sei

nem quero me preocupar com isso.

Vou mais é pescar.

Disponível em: José Paulo Paes. Poemas para brincar. 2ª- ed. São Paulo: Ática, 1991.

Pergunte aos alunos se eles já ouviram a expressão: “cabeça cheia de minhocas”. Essa expressão significa que a pessoa está mesmo com minhocas na cabeça ou tem outro sentido? Espera-se que os alunos entendam (por sua vivência ou pelo contexto do poema) que estar com a cabeça cheia de minhocas significa estar cheio de preocupações. Explique para os alunos que, muitas vezes, usamos expressões como essa não no sentido real, mas no sentido figurado. Dependendo da etapa de ensino em que eles se encontrem, pode-se usar introduzir a idéia de sentido conotativo e denotativo.

Continue a exploração do texto. Pergunte, então, se o conselho dado pelo amigo foi útil. Espera-se que os alunos entendam que, ao mandar o amigo ir pescar, o outro esperava que ele se distraísse e não que pegasse as minhocas de dentro da sua cabeça para usá-las como isca. O lazer seria um jeito usado para tirar as preocupações da cabeça.

Pergunte para os alunos se eles acham que a cabeça do personagem do poema ficou leve a ponto de sair voando. Espera-se que os alunos compreendam que “leve”, nesse caso, não está associado ao peso real da cabeça, mas tem a ver com o fato de que as preocupações sumiram da sua cabeça.

Para finalizar, pergunte o que os alunos acharam do final do poema. Ajude os alunos a perceberem que a voz poética também seguiu o conselho do amigo do personagem do poema e, para não ter preocupações, também resolveu ir pescar.

Aproveite o uso da palavra leve aqui para explorar o seu oposto “pesado”, que está presente no título do poema trabalhado na atividade anterior. Peça que os alunos voltem a esse poema e tentem identificar outra expressão usada em sentido figurado. Espera-se que eles percebam que o elefante nas costas ao qual a autora se refere também é usado em sentido figurado, metafórico e que ele serve para identificar o “sono pesado” que o personagem sente pela manhã. Mostre para os alunos que o uso do sentido conotativo e denotativo tem a ver com a brincadeira com as palavras que o autor do primeiro poema fala.

ATIVIDADE 4

Apresente um quarto poema para as crianças:

Disponível em: http://lallamaia.blogspot.com/2009/06/poema-concreto.html 

Pergunte para os alunos como eles devem fazer para ler esse texto. Espera-se que eles percebam que devem começar do meio e ir “desenrolando” as palavras para ler o texto. Um indício de onde o poema começa é a letra “O” maiúscula, indicando o começo da frase e da leitura do poema. Leia o poema junto com eles. Em seguida, pergunte:

  • Do que fala esse poema (espera-se que os alunos percebam que o poema fala do tempo que passa e das coisas que se modificam)?
  • Esse poema está separado em versos e estrofes? Ele tem rima?
  • Mesmo sem esses elementos, porque ele pode ser considerado um poema (ajude os alunos a perceberem que o que caracteriza o poema é a “brincadeira” feita com as palavras)?
  • Por que vocês acham que a autora colocou as palavras dessa forma no papel? (leve os alunos a verem que a disposição do poema no papel se relaciona com as palavras que a autora utiliza e ajuda a construir o sentido do poema).

Compare os quatro poemas lidos até agora. Entregue a seguinte tabela para os alunos e vá preenchendo com eles, relatando as características dos três poemas:

Características

Convite

Sono Pesado

Pescaria

Poema Concreto

Tema 

O tema é o poema.

O tema é o sono de uma criança.

O tema são as preocupações

O tema são as mudanças

Tem Versos?

Sim

Sim

Sim

Não

Tem Estrofes?

Sim

Sim

Sim

Não

Como o texto está disposto na folha?

Em versos e estrofes

Em versos e estrofes

Em versos e estrofes

De forma circular

Tem rimas?

Não

Sim

Não

Não

Qual o objetivo do poeta?

Sensibilizar o leitor para despertar nele o gosto pela leitura de poemas

Sensibilizar o leitor para a dificuldade que uma criança tem de acordar

Sensibilizar o leitor para as preocupações do cotidiano.

Sensibilizar o leitor para que ele perceba as mudanças constantes.

O poeta brinca com as palavras?

Sim

Sim

Sim

Sim

A partir do quadro, tente elaborar junto com os alunos uma definição de poema. Eles devem perceber que o que caracteriza o texto é o fato do poeta tentar despertar algum sentimento em seu leitor. Além disso, o poema também se caracteriza pelo uso diferenciado de palavras, pela exploração do sentido conotativo e denotativo. É importante deixar claro que, embora a organização em versos e estrofes seja a mais comum, há poemas que não seguem essa estrutura, mas que pertencem a esse gênero pela sua função.

ATIVIDADE 5

Agora que os alunos já estão familiarizados com os poemas, eles poderão produzir um texto pertencente a esse gênero. O professor pode determinar uma temática ou permitir que os alunos escrevam poemas sobre o que desejarem. Sugira que os alunos façam uma primeira versão do poema para ser revisada. Eles podem escolher se o poema terá rimas, versos e estrofes ou não. Deixe que eles também ilustrem o poema, caso desejem. O poema poderá também ter formatos diferentes em função do tema (formato de flor, lua, mar etc.).

Depois de escrito, os alunos devem revisar os poemas e ver se alguma mudança é necessária. Pode-se organizar um sarau de poesia com os alunos, no qual cada aluno lerá o seu poema ou os poemas podem ser organizados em um livro, que pode ser doada para a biblioteca da escola.

Recursos Complementares

Para maiores informações e outros recursos, sugere-se a consulta ao site:

http://www.cce.ufsc.br/~clafpl/76_Idelma_Nunes_Porto.pdf 

Avaliação

A avaliação pode se dar durante todo o processo. Observe a participação e o interesse. Veja se os alunos compreenderam as características desse gênero textual. O quadro da atividade 4 pode auxiliar o professor na tarefa de avaliar o aprendizado com relação a esse tema. A última atividade também permite que o professor perceba se os alunos compreenderam as características do poema. Na avaliação dessa última atividade, não se deve julgar a competência do aluno para produzir poemas, mas sim a sua capacidade de compreender as características desse gênero textual.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 6 classificações

  • Cinco estrelas 4/6 - 66.67%
  • Quatro estrelas 2/6 - 33.33%
  • Três estrelas 0/6 - 0%
  • Duas estrelas 0/6 - 0%
  • Uma estrela 0/6 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Carol Basilio, Esc. Mun. Hermínio Cardoso , Alagoas - disse:
    carolindabasilio@hotmail.com

    18/05/2013

    Cinco estrelas

    Gostei muito dessa sequência de atividades, com ela é possível explorar as diversas características que os poemas podem apresentar.


  • jhany patricia, colegio estadual laudomira martins de moura , Goiás - disse:
    jhany_patricia@hotmail.com

    03/09/2012

    Quatro estrelas

    adorei o passo a passo dessa aula. sincronisada e aleatoria.


  • Lúcia Maria Ribeiro, Escola Municipal José de Amorim , Pernambuco - disse:
    lucia54@ig.com.br

    26/08/2012

    Cinco estrelas

    Tudo que precisava, para incrementar as aulas da olimpíada de Língua Portuguesa.


  • luanna, EPAA , Minas Gerais - disse:
    luannguiri@gmail.com.br

    20/09/2011

    Quatro estrelas

    me ajudou bastante no projeto que estou fazendo


  • teresa cristina, escola municipal adelina de carvalho/marechal deodoro , Alagoas - disse:
    tccris.bela@gmail.com

    07/08/2011

    Cinco estrelas

    adorei sua aula e pretendo acrescentar ao projeto de leitura e escrita que estou desenvolvendo na minha sala de aula.obrigado pelas dicas.


  • Wilton Ribeiro Cruz, EE PROF JOAO MENEZES , Minas Gerais - disse:
    piumhi10@gmail.com

    07/01/2011

    Cinco estrelas

    Ótimo! perfeito, ainda mais quando se avalia poema moderno, estimula a produção.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.