Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Sobre a estrutura do texto teatral

 

19/11/2010

Autor e Coautor(es)
Lazuita Goretti de Oliveira
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA

Eliana Dias

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Análise linguística: organização estrutural dos enunciados
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo Língua Portuguesa Linguagem escrita: leitura e produção de textos
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • identificar o texto teatral como gênero;
  • conhecer a estrutura composicional do texto teatral;
  • ler, analisar e produzir uma peça teatral;
Duração das atividades
05 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
  • Gênero Discursivo
  • Peça Teatral
Estratégias e recursos da aula
  • utilização do laboratório de informática e sala de vídeo;
  • atividades realizadas em grupo ou duplas de alunos;
  • utilização de imagens, textos, letras de músicas e vídeos veiculados na internet.

Sobre o tema da aula

Disponível em:

http://cyberteca.wordpress.com/2010/03/27/dia-mundial-do-teatro/ 

O texto teatral é um texto narrativo que dispensa o narrador, uma vez que no teatro a história não nos é contada, mas “mostrada” pelos atores representando as personagens. Em virtude da falta do narrador, o diálogo constitui-se  o elemento determinante da ação dramática. O texto teatral encenado exige elementos como o cenário, luz, figurino, maquiagem, gestos, movimento, etc. No texto teatral escrito, esses elementos estão presentes nas rubricas, que aparecem em letras de tipos diferentes,  em itálico, por exemplo.

Aula 01 (50 minutos)

1. ATIVIDADE DE MOTIVAÇÃO

Para apresentar  a temática da aula – o texto teatral - aos alunos o professor poderá iniciar uma conversa sobre o assunto, perguntando a eles:

a. Vocês já assistiram ou assistem com frequência  a peças de teatro? Quais?

b. Quem nunca foi ao teatro? Por quê?

2.  ATIVIDADE DE PESQUISA

Para essa atividade, o professor deverá levar os alunos ao laboratório de informática para, em duplas, pesquisarem sobre o texto teatral, de acordo com o roteiro apresentado abaixo.

ROTEIRO DE PESQUISA

a. História do teatro: como, quando e onde surgiu o teatro.

b. O texto teatral e o texto narrativo.

b.Características do texto teatral.

Sites que deverão ser acessados para a pesquisa:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_teatro 

http://recantodasletras.uol.com.br/cartas/183022

http://www.brasilescola.com/redacao/o-texto-teatral.htm 

Aula 02 (50 minutos)

ATIVIDADE DE EXPOSIÇÃO ORAL

1. O professor(a) deverá solicitar a alguns alunos que exponham o resultado da pesquisa realizada. Durante a exposição dos alunos, o professor deverá fazer os esclarecimentos que se fizerem necessários.

ATIVIDADE EM GRUPO

2.  Os alunos, em grupo, deverão organizar um painel com as características composicionais do texto teatral para ser exposto na sala de aula.

Observação: Para esta atividade, o professor deverá providenciar com antecipação o material necessário: cartolina, tesoura, cola,  pincéis, etc.

  • Esta atividade poderá ser realizada na biblioteca da escola ou no laboratório de língua portuguesa. (se a escola tiver).

Aula 03 (50 minutos)

ATIVIDADE - PEÇA TEATRAL  E VÍDEO

1. O professor(a) deverá conversar com os alunos sobre a peça “ O pagador de promessas” de Dias Gomes. Esse texto primeiramente foi escrito para ser encenado, entretanto, mais tarde foi adaptado para o cinema e  como  minissérie para a televisão.

2. A seguir, o professor apresenta oralmente aos alunos o resumo da peça teatral – O pagador de Promessas.

O Pagador de Promessas – Dias Gomes

Trata-se de um texto escrito para teatro, ou seja, para ser levado ao palco, ser encenado. A peça é dividida em três atos, sendo que os dois primeiros ainda são subdivididos em dois quadros cada um. Após a apresentação dos personagens, o primeiro ato mostra a chegada do protagonista Zé do Burro e sua mulher Rosa, vindos do interior, a uma igreja de Salvador e termina com a negativa do padre em permitir o cumprimento da promessa feita. O segundo ato traz o aparecimento de diversos novos personagens, todos envolvidos na questão do cumprimento ou não da promessa e vai até uma nova negativa do padre, o que ocasiona, desta vez, explosão colérica em Zé do Burro. O terceiro ato é onde as ações recrudescem, as incompreensões vão ao limite e se verifica o dramático desfecho.

Disponível em:

http://www.algosobre.com.br/resumos-literarios/o-pagador-de-promessas.html 

3. Após a apresentação do resumo, o professor deverá exibir para os alunos  o vídeo de abertura da minissérie  “O pagador de promessas” com José Mayer.

Vídeo:

O PAGADOR DE PROMESSAS (1988) abertura

Disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=Lff0oYubcW0&feature=related 

Disponível em:

http://www.quebarato.com.br/o-pagador-de-promessas-miniserie-brasileira-completa-em-02-dvds__4E4662.html 

Aula 04 (50 minutos) 

ATIVIDADE - O PAGADOR DE PROMESSAS

 A professora deverá reproduzir para os alunos a cópia do primeiro quadro da peça teatral “ O pagador de  promessas” referente ao 1º. Ato.

Disponível em:

http://noticias.r7.com/blogs/rubens-ewald-filho/2009/11/07/perdemos-anselmo-duarte/ 

“O HOMEM, no sistema capitalista, é um ser que luta contra uma engrenagem social que promove a sua desintegração, ao mesmo tempo que aparenta e declara agir em defesa de sua liberdade individual. Para adaptar-se a essa engrenagem, o indivíduo concede levianamente, ou abdica por completo de si mesmo. O Pagador de Promessas é a estória de um homem que não quis conceder – e foi destruído. Seu tema central é, assim, o mito da liberdade capitalista. Baseado no princípio da liberdade de escolha, a sociedade burguesa não fornece ao indivíduo os meios necessários ao exercício da dessa liberdade, tornando-a, ilusória. (GOMES, DIAS. 1972)

Primeiro ATO: Primeiro quadro.

A primeira cena da peça teatral inicia-se às quatro horas e trinta minutos. Ainda não havia amanhecido na cidade de Salvador e o casal Zé do Burro e sua esposa Rosa, chegam a frente à igreja de Santa Bárbara. Saíram às cinco da manhã do interior baiano e caminharam sete léguas até que chegam à igreja um pouco antes desse horário. Zé do Burro era um homem muito simples, proprietário rural de um pequeno pedaço de terra no interior do nordeste, donde tirava o sustento de sua família e possuía um burro, o Nicolau por quem tinha muito apego e que acreditava que tinha “alma de gente”. Uma fatalidade mudou o rumo de sua vida: um dia o burro foi atingido por uma queda de uma árvore, em virtude de um raio, deixando-o gravemente ferido. Zé do Burro desesperado ante essa situação, fez uma promessa à Santa Bárbara: caso seu burro se recuperasse, ele dividiria suas terras entre os necessitados e carregaria uma cruz tão pesada como a de Jesus até a igreja da Santa. Como em sua cidade não havia a respectiva igreja, fez a promessa em um terreiro de candomblé, onde ela é conhecida pelo nome de Iansã. Seu burro se recupera e assim, ele e sua esposa, partem em via crucis para cumprir o prometido e oferecer ao padre responsável pela referida igreja, à sua cruz.

Zé — (Olhando a igreja.) É essa. Só pode ser essa. (Rosa pára também, junto aos degraus, cansada, enfastiada e deixando já entrever uma revolta que se avoluma.)

Rosa — E agora? Está fechada.

Zé — É cedo ainda. Vamos esperar que abra.

Rosa — Esperar? Aqui?

Zé — Não tem outro jeito.

Rosa — (Olha-o com raiva e vai sentar-se num dos degraus. Tira o sapato.) Estou com cada bolha d’água no pé que dá medo.

Zé — Eu também. (Contorce-se de dor. Despe uma das mangas do paletó.) Acho que os meus ombros estão em carne viva.

Rosa — Bem feito. Você não quis botar almofadinhas, como eu disse.

Zé — (Convicto) Não era direito. Quando eu fiz a promessa, não falei em almofadinha.

Rosa — Então: se você não falou, podia ter botado; a Santa não ia dizer nada.

Zé — Não era direito. Eu prometi trazer a cruz nas costas, como Jesus. E Jesus não usou almofadinhas.

Rosa — Não usou porque não deixaram.

Zé — Não, esse negócio de milagres, é preciso ser honesto. Se a gente embrulha o santo, perde o crédito. De outra vez o santo olha, consulta lá os seus assentamentos e diz: — Ah, você é o Zé do Burro, aquele que já me passou a perna! E agora vem me fazer nova promessa. Pois vá fazer promessa pro diabo que o carregue, seu caloteiro duma figa! E tem mais: santo é como gringo, passou calote num, todos os outros ficam sabendo.

Rosa — Será que você ainda pretende fazer outra promessa depois dessa? Já não chega?

Zé — Sei não ... a gente nunca sabe se vai precisar. Por isso, é bom ter sempre as contas em dia. (Ele sobe um ou dois degraus. Examina a fachada da igreja à procura de uma inscrição.)

Rosa — Que é que você está procurando?

Zé — Qualquer coisa escrita, pra a gente saber se essa é mesmo a igreja de Santa Bárbara.

Rosa — E você já viu igreja com letreiro na porta, homem?

Zé — É que pode não ser essa...

Rosa — Claro que é essa. Não lembra o que o vigário disse? Uma igreja pequena, numa praça, perto duma ladeira...

Zé — (Corre os olhos em volta.) Se a gente pudesse perguntar a alguém...

Rosa — Essa hora está todo mundo dormindo. (Olha-o quase com raiva.) Todo o mundo ... menos eu, que tive a infelicidade de me casar com um pagador de promessas. (Levanta-se e procura convencê-lo.) Escute, Zé... já que a igreja está fechada, a gente podia ir procurar um lugar para dormir. Você já pensou que beleza agora uma cama? ...

Zé — E a cruz?

Rosa — Você deixava a cruz aí e amanha, de dia ...

Zé — Podem roubar ...

Rosa — Quem é que vai roubar uma cruz, homem de Deus? Pra que serve uma cruz?

Zé — Tem tanta maldade no mundo. Era correr um risco muito grande, depois de ter quase cumprido a promessa. E você já pensou: se me roubassem a cruz, eu ia ter que fazer outra e vir de novo com ela nas costas da roça até aqui. Sete léguas.

Rosa — Pra quê? Você explicava à santa que tinha sido roubado, ela não ia fazer questão.

Disponível em:

http://valiteratura.blogspot.com/2010/09/o-pagador-de-promessas.html

Sobre o autor: 

Disponível: http://www.passeiweb.com/saiba_mais/biografias/d/dias_gomes 

  • Para enriquecer a aula, o professor deverá passar aos alunos informações sobre DIAS GOMES.

Alfredo de Freitas Dias Gomes (Salvador BA 1922 - São Paulo SP 1999). Autor. Sua obra tem uma abordagem humanista de esquerda, com temática voltada para o homem brasileiro e sua luta com a engrenagem social. Entre elas, O Pagador de Promessas, um clássico da moderna dramaturgia brasileira. [...]

http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_teatro/index.cfm?fuseaction=personalidades_biografia&cd_verbete=731

2. O professor  deverá escolher dois alunos – um menino e uma menina -  para fazer a leitura dialogada da peça.

3. Para encenação da peça, o professor deverá definir um aluno para ser o narrador que irá ler as falas das personagens e as rubricas, enquanto dois outros alunos - um menino para fazer o papel de  Zé do Burro e uma menina para representar Rosa -  vão fazendo gestos e  expressões mímicas de acordo  com cada fala.

4. Após a encenação dos alunos, o professor deverá exibir o vídeo seguinte que contém a performance referente ao fragmento da peça  em estudo.

Vídeo -  Peça - O Pagador de Promessas

Disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=As4Dv8mLFws&feature=related 

5.  Os alunos, em grupo, deverão responder às questões propostas sobre  o texto.

a. Zé do Burro vive em um mundo mágico, em que se acredita no que não é real.  Para ele havia limites entre o céu e a terra? Justifique sua resposta.

b. Ser submisso é gostar de ser dominado, ser escravo. Em sua opinião, Rosa era submissa a Zé do Burro ou o acompanhava  em sua peregrinação por amor?

c. Há mais submissão das mulheres no meio rural ou no meio urbano? Por quê?

d. A religiosidade de Zé do Burro demonstra amor ou temor a Deus? Justifique.

e. O que você  pensa a respeito do fato de algumas religiões incentivar o sacrifício dos fiéis na terra para alcançar o céu? Explique.

f. O texto teatral escrito apresenta alguns tipos de letras diferentes, em geral em itálico, que são chamados rubricas.

 Observe:

 Rosa — (Olha-o com raiva e vai sentar-se num dos degraus. Tira o sapato.) Estou com cada bolha d’água no pé que dá medo. Discuta com seus colegas  e responda: qual é a função das rubricas nesse tipo de texto?  

Discuta com seus colegas  e responda: qual é a função das rubricas nesse tipo de texto?

Aula 05 (50 minutos)

ATIVIDADE - CANÇÃO: ROMARIA

1. O professor deverá exibir para os alunos o vídeo da canção “Romaria” de Renato Teixeira.

Romaria

Renato Teixeira

Composição: Renato Teixeira

É de sonho e de pó, o destino de um só

Feito eu perdido em pensamentos

Sobre o meu cavalo

É de laço e de nó, de gibeira o jiló, dessa vida cumprida a só

Refrão

Sou caipira, Pirapora

Nossa Senhora de Aparecida

Ilumina a mina escura e funda

O trem da minha vida

O meu pai foi peão, minha mãe solidão

Meus irmãos perderam-se na vida

Em busca de aventuras

Descasei, joguei, investi, desisti

Se há sorte eu não sei, nunca vi

Me disseram porém que eu viesse aqui

Pra pedir de romaria e prece

Paz nos desaventos

Como eu não sei rezar, só queria mostrar

Meu olhar, meu olhar, meu olhar

Letra e vídeo disponíveis respectivamente em:

http://letras.terra.com.br/renato-teixeira/271363/ 

http://www.youtube.com/watch?v=W11CSh14B78&feature=player_embedded#! 

2. ATIVIDADE DE PRODUÇÃO DE TEXTO

O professor deverá reproduzir para os alunos a cópia da letra da música “Romaria” de Renato Teixeira e apresentar  a eles a seguinte proposta de produção de texto.

  • Reuna-se  com seus colegas e juntos criem  um texto teatral  a partir da história do romeiro da canção de Renato Teixeira.
  • Criem outras personagens e deem nome a todas elas. Coloque seus nomes antes de suas falas.
  • Insiram nas rubricas de movimento e de interpretação informações detalhadas sobre as cenas.
  • Se quiserem, vocês poderão encenar o texto para os colegas de sala de aula.
Recursos Complementares

O professor poderá exibir o filme “O pagador de Promessas” – direção de Anselmo Duarte;  atuação de Leonardo Villar como Zé do Burro e Glória  Menezes como Rosa. Disponível em locadoras.

Avaliação

Os alunos serão avaliados coletivamente durante a realização das atividades de interpretação da peça teatral “O Pagador de Promessas” de Dias Gomes  e também por meio da produção de  um texto teatral  a partir da canção “Romaria” de Renato Teixeira.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 4 classificações

  • Cinco estrelas 4/4 - 100%
  • Quatro estrelas 0/4 - 0%
  • Três estrelas 0/4 - 0%
  • Duas estrelas 0/4 - 0%
  • Uma estrela 0/4 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Claudia Saito, Universidade Estadual de Londrina , Paraná - disse:
    cln_saito@yahoo.com.br

    29/11/2013

    Cinco estrelas

    Excelente a aula. É imprescindível ao professor que quer trabalhar com o gênero "texto teatral" ter acesso a esse material. O compartilhamento de atividades pedagógicas, que levaram os alunos a um aprendizado significativo, é algo que contribui muito para que o professor, em seu cotidiano de sala de aula, possa ter um parâmerto para elaborar seus próprios projetos.Hoje o profissional de letras precisa estar aberto a outras linguagens, a distintas esferas da comunicação humana e a múltiplos letr


  • Marta Silva Soares, UFPA , Pará - disse:
    martasoaresS2@hotmail.com

    03/06/2013

    Cinco estrelas

    Excelentiissima! eu amo Teatro!


  • Jupiaci, C.E. PROF. NEY CIDADE PALMEIRO , Rio de Janeiro - disse:
    prof.jupiaci@hotmail.com

    24/04/2013

    Cinco estrelas

    Gostei muito das sugestões. Farei algumas adaptações para as minhas aulas. Obrigado!


  • Joana, Escola Estadual de E.F. Bom Sucesso , Rondônia - disse:
    marymendes04@hotmail.com

    06/03/2013

    Cinco estrelas

    Fiquei maravilhada ao analisar cada sugestão dessa aula. Farei as adequações necessárias ( de acordo com a realidade dos meus alunos) e aplicarei em minha sala de aula. Creio que será fantástico!


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.