Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Sobre recursos da linguagem poética

 

18/11/2010

Autor e Coautor(es)
Lazuita Goretti de Oliveira
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA

Eliana Dias

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Análise linguística: processos de construção de significação
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo Língua Portuguesa Linguagem escrita: leitura e produção de textos
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • conhecer diferentes recursos típicos da linguagem poética – rima, ritmo repetições, enumerações, disposições dos versos e figuras de  linguagem – presentes em poemas e letras de músicas;
  • aprimorar as habilidades orais,  a educação dos sentidos e a percepção crítica de produção poética e musical, por meio da declamação de poemas;
  • analisar e produzir  poemas.  
Duração das atividades
04 aulas de 50 minutos cada
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
  • Linguagem denotativa e conotativa.
Estratégias e recursos da aula
  • utilização do laboratório de informática e sala de vídeo;
  • atividades realizadas em grupo ou duplas de alunos;
  • utilização de imagens, poemas, letras de músicas e vídeos veiculados na internet.

Aula 01 (50 minutos)

Imagem disponível em:

http://poesiaexperiencia.blogspot.com/2009_06_01_archive.html 

A linguagem poética atua sobre a sensibilidade e desperta para a manifestação do poético no mundo, nas artes e nas palavras. O convívio com a poesia favorece o prazer da leitura do texto poético e  ajuda no desenvolvimento de uma percepção mais rica da realidade. A poesia sempre esteve ligada à música, porque ambas têm em comum o ritmo e a sonoridade. Assim como o arranjo das notas musicais feito em uma canção, em cada poema há um arranjo de palavras que produz diferentes sentidos no leitor / ouvinte.

Atividade

1. Para apresentar o tema da aula – linguagem poética – aos alunos, o professor deverá exibir para eles o seguinte vídeo:

Vídeo: A Linguagem Poética

Vídeo disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=3VKlN8ChQ6A 

2. Após a exibição do vídeo, o professor deverá perguntar aos alunos:

a.  O que há de comum entre um poema e uma música?

b. Os textos poéticos são sempre românticos?

c.  “Há  um trabalho árduo por trás de um bom texto poético”. Explique esta afirmação.

d. Por que o poeta pode ser comparado a um artesão?

e. Qual é a diferença entre poema e poesia?

Observação:

O professor deverá reforçar com os alunos a distinção entre poema e poesia.

  • O poema é escrito em versos que são organizados em estrofes, constituindo, portanto, a forma. Já a poesia apresenta linguagem subjetiva e figurada e constitui o conteúdo. Há poesia   sempre que  somos dominados pelo sentimento do belo. A poesia pode estar nos lugares, nos objetos e nas pessoas. Assim, não só os poemas, mas uma paisagem, uma pintura, uma foto, uma dança, um gesto, um conto, por exemplo, podem estar carregados de poesia. A poesia  pode ser escrita em versos (poema) ou em linhas contínuas (prosa), sem rima ou ritmo. Na prosa poética, o texto é escrito em linhas contínuas e tem conteúdo subjetivo.

Disponível em:

http://www.radiotrofa.com.pt/?p=448 

f. O que move alguém a fazer um poema? Alguém da turma já escreveu um poema?

2. Depois da conversa com os alunos, o professor deverá retomar o vídeo para que os alunos confirmem  o que foi discutido sobre linguagem poética.

 Aula 02 (50 minutos)

Atividade

O professor deverá levar os alunos ao laboratório de informática para,  em dupla, pesquisarem sobre O Poeta Carlos Drummond de Andrade, seguindo o roteiro abaixo.

1.  Carlos Drummond de Andrade: vida e obra disponível em:

http://www.releituras.com/drummond_bio.asp

http://www.casadobruxo.com.br/poesia/c/cda_esp5.htm

2. . Os alunos deverão escolher uma poesia para ser lida em sala de aula para os colegas e professor.

Poesias selecionadas de Carlos Drummond de Andrade disponível em: 

http://www.aindamelhor.com/poesia/poesias04-carlos-drummond.php

Imagem disponível em:

http://www.alunosweb.com.br/23/drommund/biografia.html 

Aula 03 (50 minutos)

Atividade 1

I -  O professor deverá reproduzir (xerocar) para os alunos o poema “Procura da Poesia” de Carlos Drummond de Andrade,  que foi mencionado  no vídeo sobre linguagem poética.  

Procura da Poesia 

Carlos Drummond de Andrade

Composição: Carlos Drummond de Andrade

Não faças versos sobre acontecimentos.

Não há criação nem morte perante a poesia.

Diante dela, a vida é um sol estático, não aquece nem ilumina.

As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais não contam.

Não faças poesia com o corpo, esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso à efusão lírica.

Tua gota de bile, tua careta de gozo ou de dor no escuro são indiferentes.

Nem me reveles teus sentimentos, que se prevalecem do equívoco e tentam a longa viagem.

O que pensas e sentes, isso ainda não é poesia.

 

Não cantes tua cidade, deixa-a em paz.

O canto não é o movimento das máquinas nem o segredo das casas.

Não é música ouvida de passagem, rumor do mar nas ruas junto à linha de espuma.

O canto não é a natureza

nem os homens em sociedade.

Para ele, chuva e noite, fadiga e esperança nada significa

A poesia (não tires poesia das coisas)

elide sujeito e objeto

Não dramatizes, não invoques,

não indagues.

Não percas tempo em mentir.

Não te aborreças.

Teu iate de marfim, teu sapato de diamante,

vossas mazurcas e abusões, vossos esqueletos de família

desaparecem na curva do tempo, é algo imprestável.

Não recomponhas

tua sepultada e merencória infância. Não osciles entre o espelho e a

memória em dissipação.

Que se dissipou, não era poesia.

Que se partiu, cristal não era.  

Penetra surdamente no reino das palavras.

Lá estão os poemas que esperam ser escritos.

Estão paralisados, mas não há desespero,

há calma e frescura na superfície intata.

Ei-los sós e mudos, em estado de dicionário.

Convive com teus poemas, antes de escrevê-los.

Tem paciência se obscuros. Calma, se te provocam.

Espera que cada um se realize e consume

com seu poder de palavra

e seu poder de silêncio.

Não forces o poema a desprender-se do limbo.

Não colhas no chão o poema que se perdeu.

Não adules o poema. Aceita-o

como ele aceitará sua forma definitiva e concentrad

no espaço.

Chega mais perto e contempla as palavras.

Cada uma

tem mil faces secretas sob a face neutra

e te pergunta, sem interesse pela resposta,

pobre ou terrível, que lhe deres:

Trouxeste a chave?   

Repara:

ermas de melodia e conceito

elas se refugiaram na noite, as palavras.

Ainda úmidas e impregnadas de sono,

rolam num rio difícil e se transformam em desprezo.

Poema disponível em:

http://letras.terra.com.br/carlos-drummond-de-andrade/460651/ 

II - Em dupla, os alunos deverão responder às questões propostas sobre o poema de Drummond. O professor deverá passar no quadro as questões abaixo:

1. "Procura da Poesia" é um dos textos de abertura do livro “A rosa do povo”, que reúne poemas escritos por Carlos Drummond de Andrade entre 1943 e 1945.

Poema é um texto escrito em versos. Verso é cada linha do poema. Quantos versos têm o poema “Procura da poesia”?

2. Estrofe é um conjunto de versos. Quantas estrofes formam o poema? As estrofes apresentam forma fixa?

3.  Um poema assim como uma  canção apresenta uma melodia, um determinado ritmo. O ritmo do poema é dado pela alternância de sílabas átonas (fracas) e tônicas (fortes).

a. Leia  estes versos do poema, pronunciando fortemente as sílabas em destaque.

Não dramatizes, não invoques,

não indagues. Não percas tempo em mentir.

Não te aborreças.

b. Assinale a sílaba tônica  das palavras nos versos abaixo.

Teu iate de marfim, teu sapato de diamante,

vossas mazurcas e abusões, vossos esqueletos de família

desaparecem na curva do tempo, é algo imprestável.

4. Metáfora é um recurso estilístico que consiste na mudança de significação de uma palavra determinada por uma relação de semelhança. A metáfora é a base da poesia.

Veja um exemplo de metáfora retirado do poema:

 ...a vida é um sol estático, não aquece nem ilumina.

A metáfora também pode ser entendida como uma comparação abreviada, em que o conectivo não está expresso, mas subentendido

. ...a vida é  (como) um sol estático, não aquece nem ilumina.

Identifique outros exemplos de metáfora no poema.

5. A reflexão sobre a arte literária e o ofício de escrever sempre foi uma preocupação dos grandes escritores, conscientes de seu trabalho, principalmente entre os escritores modernos.

De acordo com o poema “Procura da Poesia”, o que não deve ser feito por quem pretende escrever poesia?

6. Identifique no poema versos que comprovam as afirmações abaixo.

a. As palavras se encontram em estado de latência, à espera do poeta para dar significado a elas.

b. São as palavras que dão vida à poesia.

c. A procura da poesia  deve começar dentro de nós mesmo, não adianta querer acordar os verso ou mesmo adormecê-los, se eles existem precisam ser moldados, trabalhados.

d. A palavra é o elemento material que o poeta busca para alcançar seu objetivo artístico, estético e conceitual.

e. Os fatos passam, os temas esquecem-se, mudam-se, apenas as palavras ficam.

f. É a chave do poeta que abrirá as portas para que as  palavras saiam da latência em que se encontram.

Aula 04 (50 minutos)

Atividades

I - O professor deverá exibir para os alunos o vídeo com a canção “Metáfora” de Gilberto Gil – também mencionada no vídeo “Linguagem Poética”.

Vídeo disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=OBS3vtP6H1c&feature=player_embedded 

II - O professor deverá reproduzir para os alunos a letra da canção “ Metáfora” de Gilberto Gil.

Imagem disponível em:

http://cantinhodacasa.blogs.sapo.pt/2009/11/09/ 

Metáfora

Gilberto Gil

Composição: Gilberto Gil - 1982

Uma lata existe para conter algo

Mas quando o poeta diz: "Lata"

Pode estar querendo dizer o incontível  

Uma meta existe para ser um alvo

Mas quando o poeta diz: "Meta"

Pode estar querendo dizer o inatingível  

Por isso, não se meta a exigir do poeta

Que determine o conteúdo em sua lata

Na lata do poeta tudonada cabe

Pois ao poeta cabe fazer

Com que na lata venha caber

O incabível

Deixe a meta do poeta, não discuta

Deixe a sua meta fora da disputa

Meta dentro e fora, lata absoluta

Deixe-a simplesmente metáfora

Letra disponível em:

http://letras.terra.com.br/gilberto-gil/487564/ 

Imagem disponível em:

http://almanalata.blogspot.com/ 

III -  Os alunos, em dupla, deverão responder às questões seguintes sobre a canção “Metáfora”.

Compare o poema “Procura da Poesia” de Carlos Drummond de Andrade, com a canção “Metáfora” de Gilberto  Gil.

1. Assim como no poema “Procura da Poesia” na canção “Metáfora” há um falante que se dirige, em tom professoral, próprio de quem já refletiu muito sobre o fazer poético, a um interlocutor hipotético, usando verbos no modo imperativo.

a. Transcreva os versos que contêm as recomendações feitas na canção “Metáfora”.

b. A quem se dirigem estas recomendações?

2. De acordo com os textos analisados, qual é o papel do poeta em relação à linguagem?

3. Conforme Gilberto Gil, qual é o papel de quem observa o trabalho do poeta?

4. Um poeta tem plena liberdade no emprego da língua. Ele pode juntar ou segmentar palavras, repeti-las para obter determinados efeitos de sentidos. Quais são as inovações feitas  na canção “Metáfora”?

5. A sonoridade da canção é construída pelo ritmo e pelas rimas. As rimas podem ocorrer entre palavras do final de versos ou entre palavras do interior de versos. Como ocorrem as rimas na canção analisada? Explique.

6. Defina metáfora, a partir da canção de Gilberto Gil.

Aula 05 (50 minutos)

Atividade

Produção de texto 

O professor deverá apresentar aos alunos a seguinte  proposta de produção de texto:

Imagem disponível em:

http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/minha-poesia-2?xg_source=activity 

O poeta agora é você. Escreva um poema que tenha um título homônimo ao de Carlos Drummond de Andrade – Procura da  Poesia.  Para você, onde  há poesia?

 Lembre-se de que:

- há poesia   sempre que  somos dominados pelo sentimento do belo. A poesia pode estar nos lugares, nos objetos e nas pessoas;

- os versos de seu poema podem ter rimas ou não;

- em um poema predomina a linguagem figurada, principalmente a metáfora;

 Seu poema será lido em sala de aula para apreciação dos colegas e professor.

       

Recursos Complementares

Para ampliar o conhecimento dos alunos sobre o poeta Carlos Drummond de Andrade, o professor poderá exibir para eles os vídeos seguintes:

1.O melhor de Carlos Drummond de Andrade

Disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=g4Zgl_Npk_4&feature=related 

2. Leda Nagle entrevista Carlos Drummond de Andrade

Disponível em:

http://www.youtube.com/watch?v=j_OGlOlx4JU&feature=related 

Avaliação

Os alunos serão avaliados coletivamente durante a realização das atividades de análise dos textos:“Procura da Poesia” de Carlos Drummond de Andrade; “Metáfora” de Gilberto Gil e, individualmente, por meio da produção de um poema.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 3 classificações

  • Cinco estrelas 1/3 - 33.33%
  • Quatro estrelas 1/3 - 33.33%
  • Três estrelas 1/3 - 33.33%
  • Duas estrelas 0/3 - 0%
  • Uma estrela 0/3 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Lyz, eeefm manoel salustiano de souza , Espírito Santo - disse:
    lyz.edu@hotmail.com

    09/04/2013

    Quatro estrelas

    Muito bom esse trabalho. Gostaria de saber se tem o gabarito das atividades.


  • Luciná Dias Moreira de Macêdo, ESCOLA FAMILIA AGRICOLA DE BOTUPORA , Bahia - disse:
    lucindias@yahoo.com.br

    19/04/2012

    Três estrelas

    Muito boa essa aula, ajudou-me bastante nos trabalhos


  • Maria das Dores Vieira Ribeiro, ESCOLA ESTADUAL VIRGILIO DO VALE , Goiás - disse:
    mariasre13@hotmail.com

    30/11/2010

    Cinco estrelas

    Foi de grande valia conhecer seu plano de aula, pois me auxiliou na construção do meu, dando oportunidades de trabalhar de maneira diferente o conteúdo. Classifico-o como 5 estrelas.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.