Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Ética e Preconceito Racial

 

12/01/2011

Autor e Coautor(es)
Fátima Rezende Naves Dias
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA

Gláucia Costa Abdala Diniz, Liliane dos Guimarães Alvim Nunes, Lucianna Ribeiro de Lima.

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Inicial Ética Justiça
Ensino Fundamental Inicial Ética Diálogo
Ensino Fundamental Inicial Ética Respeito mútuo
Ensino Fundamental Inicial Ética Solidariedade
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

1- Identificar e relatar situações de preconceito e discriminação em relação aos negros.  

2- Analisar a questão do preconceito, racismo e discriminação e os efeitos produzidos na vida das pessoas, de forma crítica e reflexiva, tendo por referência os relatos, depoimentos e vídeos.

3- Posicionar-se contra qualquer tipo de discriminação e preconceito racial.

Duração das atividades
Três aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

É facilitador para o desenvolvimento da aula que os alunos conheçam o conceito de ética, tenham noções básicas de leitura, interpretação e escrita, além de saber utilizar o dicionário. Para esta aula, é interessante que os alunos vivenciem as atividades propostas nas aulas intituladas: “Ética e Convívio Escolar: Pensando sobre a relação aluno-aluno”, que aborda a questão do preconceito entre colegas e “Retratos da Diversidade”, que possibilita uma reflexão sobre a diversidade humana. Vale à pena conferir!

Estratégias e recursos da aula

Atividade 1:   

É LEGAL SER DIFERENTE!   

Para sensibilizar os alunos acerca do tema, inicie a aula propondo uma brincadeira de observar e dizer as semelhanças e as diferenças entre eles. Peça às crianças que formem dois círculos - um interno e outro externo -, de modo que um aluno fique de frente para o outro, formando assim, a primeira dupla da brincadeira. O professor poderá participar desta atividade, caso o número de alunos seja ímpar.   

A brincadeira começa quando o professor dá o sinal combinado, podendo ser uma palma, o soar de um apito ou de um sino. Nesse momento, um aluno da dupla terá trinta segundos para observar e dizer o maior número possível de características comuns e diferentes entre ele e o colega, como por exemplo: "Nós dois temos cabelos pretos, temos olhos castanhos... eu sou gordo você é magro, eu sou baixo você é alto..." Ao sinal do professor, o aluno passa a vez para o outro colega da dupla, que deverá estar atento à seguinte regra: “Não vale repetir o que já foi dito pelo colega”.   

A um novo sinal do professor, os círculos se movimentam, novas duplas se formam e a brincadeira continua até que a primeira dupla se encontre novamente ou enquanto a turma demonstrar interesse pela atividade.   

Em seguida, solicite aos alunos que se organizem em uma grande roda e converse com eles sobre como foi participar da brincadeira, o que sentiram, o que perceberam em relação às semelhanças e diferenças entre eles, o que os diferencia dos colegas, quais foram as descobertas feitas enquanto brincavam e outras.   

Na sequência, problematize o debate com algumas questões: Quem são as pessoas que vocês buscam para conviver no dia a dia? São aquelas que mais se parecem com vocês? Aquelas que pensam, agem e gostam das mesmas coisas que vocês? É mais fácil conviver com os “iguais”? Por quê? Qual o problema em conviver com quem é diferente? Vocês concordam que as diferenças afastam as pessoas? Concordam que é legal ser diferente? Por quê? Dentre outras.

Dando continuidade, convide os alunos para assistir ao vídeo “Palhaços”, disponível no sítio http://mundobem-me-quer.blip.tv/ (O vídeo indicado é o 6º da série, logo após "Tocar as Estrelas").

Professor, este vídeo faz parte de uma série de vídeos produzidos pelo INDICA - Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente - TV Mundo Bem-Me-Quer. O Mundo Bem-Me-Quer é um projeto cujo objetivo maior é contribuir para a diminuição do preconceito e da discriminação, visando a uma convivência harmoniosa entre crianças e adolescentes brasileiros, promovendo, assim, uma educação de respeito e valorização à diversidade. Os temas com os quais o Bem-Me-Quer trabalha com mais profundidade são: raça/ etnia, regionalismo, religião, gênero, orientação sexual, deficiências e classe social. Participam dos vídeos crianças e jovens em situação de risco, cegos, portadores de Síndrome de Down e cadeirantes.     

   

Durante a exibição, faça algumas “pausas” para ler e refletir com a turma partes selecionadas do texto apresentado no vídeo. Solicite aos alunos que se posicionem criticamente em relação ao que viram e ouviram e que relatem experiências vividas por eles ou por outras pessoas de seu grupo de convivência relacionadas às partes destacadas.

Sugestão de partes do texto:   

. “Algumas coisas podem diferenciar os seres humanos: sua aparência, seu sexo, seu caráter, sua riqueza, sua religião, sua língua e sua cor da pele”.

. “Para conviver em harmonia, precisamos aceitar que os outros são sempre muito diferentes e não fazer disso um problema”.

. “As diferenças não precisam afastar as pessoas”.

. “No começo podemos até estranhar uma pessoa que é muito diferente, mas logo percebemos que somos iguais nas nossas diferenças”.   

- "Nós também mudamos com o tempo, com a vida, com as pessoas".

Atividade 2:    

SOMOS DIFERENTES... MAS TEMOS DIREITOS IGUAIS!   

Ainda para incrementar a discussão, exiba para os alunos as imagens sugeridas nos links abaixo, seguidas de algumas questões para serem debatidas com a turma:

IMAGEM 1:    

Fonte: http://1.bp.blogspot.com/_Fh6dNokswzw/SwQ-HFretfI/AAAAAAAAAHA/0nCnV7Pv8Qg/s1600/preconceito-full.jpg    

Sugestão de questões:   

. Que sentimentos esta imagem transmite para vocês?

. Vocês acham que ela retrata situações que podem ser observadas no dia a dia?

. Alguém já se sentiu “na pele” do pintinho amarelo?

. Como foi sentir-se diferente do grupo?

. Qual o problema em ser diferente do outro?

. Na escola e em outros espaços de convivência social, procuram se relacionar com pessoas que são diferentes de vocês?

. Como agem em relação ao jeito diferente de ser e de se comportar do outro?

. Respeitam o outro, o colega, apesar das diferenças?

. Conseguem identificar pessoas que vocês evitam conviver por algum julgamento negativo em relação a elas? Como explicam essa atitude de vocês?   

IMAGEM 2:

Fonte: http://3.bp.blogspot.com/_QaErxoEow5c/Rz2gU-3YXKI/AAAAAAAAAAU/wr5S33aLcPg/s320/Educa%C3%A7%C3%A3o+10+-+Racismo+2.gif    

Sugestão de questões:   

. O que a imagem transmite a vocês?

. Vocês concordam que ninguém nasce racista?

. Então, como explicam a origem do racismo nas pessoas?

. Vocês acham que o racismo é aprendido e que depende da cultura, da sociedade e da família?

. O que vocês entendem por racismo? E por preconceito? E por discriminação?

(Professor, nesse momento, seria interessante registrar na lousa as ideias das crianças sobre estes conceitos).   

Prosseguindo, solicite aos alunos que consultem o dicionário para conhecer o significado de: Racismo, Preconceito, Estereótipo e Discriminação. Peça a eles que leiam os significados encontrados para estas palavras e que façam o registro em seus cadernos. Se necessário, a fim de ampliar o conhecimento dos alunos, apresente e discuta com eles o conceito das palavras pesquisadas, disponíveis no sítio  http://www.dhnet.org.br/w3/ceddhc/bdados/cartilha14.htm 

. Racismo – a ideologia que postula a existência de hierarquia entre grupos humanos.

. Preconceito - uma indisposição, um julgamento prévio negativo que se faz de pessoas estigmatizadas por estereótipos.

. Estereótipo - atributos dirigidos a pessoas e grupos, formando um julgamento a priori, um carimbo. Uma vez “carimbados” os membros de determinado grupo como possuidores deste ou daquele “atributo”, as pessoas deixam de avaliar os membros desses grupos pelas suas reais qualidades e passam a julgá-las pelo carimbo.

. Discriminação – é o nome que se dá para a conduta (ação ou omissão) que viola direitos das pessoas com base em critérios injustificados e injustos, tais como: a raça, o sexo, a idade, a opção religiosa e outros.   

Logo em seguida, analise com as crianças as ideias atribuídas por elas às palavras, tendo por referência os significados encontrados no dicionário e aqueles apresentados pelo professor.

Para ilustrar e aprofundar os conceitos trabalhados exiba para os alunos o vídeo “Racismo... NÃO!!!” editado no link http://www.youtube.com/watch?v=SOlfDYyDfhk&feature=related    

Após a exibição, instigue os alunos a refletir de forma crítica sobre as informações e as mensagens veiculadas pelo vídeo e a se posicionar acerca da discriminação e do preconceito racial.   

Dando continuidade, informe aos alunos que no Brasil temos uma carta magna, uma lei maior que rege a vida do país. Esta carta é a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Segundo a Constituição Federal, em seu Art. 5º, “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”. A carta também diz que constitui princípio fundamental da Republica Federativa do Brasil, promover o bem comum, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade ou quaisquer outras formas de discriminação. Informe também que de acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, Artigo I, “Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas às outras com espírito de fraternidade”.

(Professor, ao acessar o link http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm você encontrará o texto da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS está editada no link http://educacao.uol.com.br/historia/declaracao-universal-dos-direitos-humanos.jhtm).      

Diga aos alunos que o direito à igualdade é, portanto, previsto tanto pela Constituição Federal como pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, bem como o direito à diferença, que é a possibilidade de todos viverem segundo sua própria cultura e suas características pessoais, sem discriminação. Lance a seguinte questão para a turma: Mas será que os direitos à igualdade e à diferença estão sendo respeitados?

DISCRIMINAÇÃO, RACISMO E PRECONCEITO... O QUE DIZ A CARTILHA?

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_UBdJpAeFyCA/TD0pNYybSQI/AAAAAAAAAJE/3UaS3bkgENI/s320/crian%C3%A7as+negras.jpg 

Nesse momento, distribua para os alunos uma cópia da Cartilha da Defensoria Pública do Estado de São Paulo – Núcleo Especializado de Combate a Discriminação, Racismo e Preconceito disponível no link http://www.defensoria.sp.gov.br/dpesp/repositorio/0/folder%20discriminacao.pdf para que a turma possa acompanhar a leitura dialogada do texto. O documento traz informações importantes sobre: O que é Direito à Igualdade?; O que é Direito à Diferença?; O que é uma Sociedade Plural?; O que fazer em caso de Discriminação; Por que devemos denunciar a discriminação sofrida; Dispositivos legais aplicáveis aos casos de discriminação racial e outras informações acerca da Defensoria Pública.    

Após a leitura e discussão da Cartilha, instigue os alunos a criar uma “Tenda” no pátio ou mesmo na quadra da escola, para informar os outros alunos, professores e demais funcionários da escola sobre o conteúdo do documento. Os alunos poderão distribuir cópias da Cartilha para os visitantes da tenda e também colher seus depoimentos acerca de atitudes de discriminação, racismo e preconceito em relação aos negros. Estes depoimentos deverão ser escritos em um caderno próprio e posteriormente selecionados e divulgados no jornalzinho da escola, tendo o cuidado de preservar o nome dos depoentes, podendo utilizar nomes fictícios.

Atividade 3:    

PRECONCEITO E DISCRIMINAÇÃO EM RELAÇÃO AOS NEGROS!   

Professor, leia e discuta com os alunos depoimentos de pessoas que já viveram situações referentes ao preconceito racial:   

Depoimento 1:

“No ano passado, eu passeava num shopping de Curitiba com minha mãe, quando gostei de uma blusa. Entrei na loja. Vi o preço. Era caríssima. Mesmo assim, quis experimentar. Mas ninguém me atendia. As vendedoras me olhavam de cima para baixo. Olhavam e faziam que não me viam. Fiquei nervosa e fui embora. Disse à minha mãe o que tinha acontecido. Decidi, então, voltar. Contei até dez. Todos continuavam a me ignorar. Aí explodi: "Será que tenho de abrir minha bolsa e mostrar meu cartão de crédito?" Virei as costas e saí. A gerente então correu atrás de mim. Tentou me explicar que não podia adivinhar que eu tinha dinheiro para comprar a blusa. Não quis ouvi-la, não. Poxa, só porque sou negra não posso ter dinheiro?”

Cynthia Rachel , 18 anos, a Biba do Castelo Rá-Tim-Bum (Veja, 24/06/1998).

Depoimento 2:   

“Desde os 12 anos, coloquei na minha cabeça que eu poderia me dar bem no futebol. Era um sonho, eu sabia. Então, por segurança, estudava para ser torneiro mecânico, enquanto vendia pastéis em feiras da prefeitura. A vida era difícil. Refrigerante e frango, só aos domingos. Na escola, como eu não tinha dinheiro para comprar doces na hora da merenda, meus amigos diziam: ‘Também, teu pai é preto e lixeiro’. Até hoje me lembro de um garoto branco, o Marcos. Ele era muito rico para os nossos padrões, mas era o único que não se incomodava com a minha cor. Era meu melhor amigo. Trocávamos as roupas e ele me deixava usar as dele, muito mais caras e bonitas que as minhas. Eu nunca ia às festas boas do meu bairro. Tinha medo da discriminação. Sei que os grã-finos me olhavam de maneira diferente, então procurava o povão em bailes funk. Tudo isso era triste para mim, mas pior decepção foi quando me apaixonei pela filha de um marinheiro. Ele não admitia vê-la ao lado de um negro com cabelo black power. E esse racismo arruinou tudo”.

Marcelo Pereira Surcin, o Marcelinho Carioca, jogador de futebol (Veja, 24/06/1998).

Fonte: http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://3.bp.blogspot.com/_QaErxoEow5c/Rz2gU-3YXKI/AAAAAAAAAAU/wr5S33aLcPg/s320/Educa%C3%A7%C3%A3o%2B10%2B-%2BRacismo%2B2.gif&imgrefurl=http://aldocerqueira.blogspot.com/2007/11/cor-de-um-pas-plural.html&usg=__BgAKRpGS1qepOASd26Qb7g59LH8=&h=320&w=220&sz=174&hl=pt-br&start=19&zoom=1&itbs=1&tbnid=WU8UM91fXM_N7M:&tbnh=118&tbnw=81&prev=/images%3Fq%3Dpreconceito%2Bracial%26hl%3Dpt-br%26sa%3DG%26gbv%3D2%26tbs%3Disch:1    

Dando prosseguimento, peça aos alunos que se organizem em grupos para discutir sobre as questões sugeridas abaixo, que deverão ser escritas na lousa pelo professor:

. Vocês conhecem depoimentos ou identificam situações de preconceito e discriminação em relação aos negros? Como essas pessoas se sentiram nestas situações? Quais foram as consequências produzidas em suas vidas?

. Será que existe a “cor ideal” para ser feliz? Para ser respeitado como um cidadão de direitos?

. Será que algumas raças são realmente superiores a outras? Vocês acreditam nisto?

. Qual a razão do preconceito racial em um país de diferentes etnias e culturas? Como vocês explicam isto?    

Após o debate, solicite aos alunos que produzam um texto sobre os aspectos considerados mais significativos em relação às questões discutidas.   

Em seguida, disponibilize para os grupos materiais de expressão artística, tais como: tintas coloridas, lápis de cor, giz de cera, papéis de cores variadas, sucatas diversas, revistas, jornais, tesouras, tubos de cola e outros, para que construam uma imagem que retrate o “Preconceito Racial”. Concluídos os trabalhos, os grupos serão convidados a socializar com toda a turma as suas criações e os textos produzidos. As imagens dos grupos poderão ser expostas nos vários espaços da escola, acompanhadas de suas produções de textos.

Recursos Complementares

Professor, sugerimos abaixo alguns sítios de informações/vídeos sobre o assunto, para seu conhecimento ou para ser utilizado com os alunos durante o desenvolvimento da aula:

http://portacurtas.com.br/curtanaescola/pop_160.asp?Cod=2932 O Xadrez das Cores 

http://www.youtube.com/watch?v=h4Et0z7KY5Q&feature=rec-LGOUT-exp_stronger_r2-2r-2-HM   Preconceito 

http://www.youtube.com/watch?v=j5UKCOGWacg&feature=related   Racismo é Burrice – Gabriel Pensador

http://www.projetobemmequer.org.br/institucional.php   Projeto BEM-ME-QUER 

http://www.avozdocidadao.com.br/images/artigo5_incisos_comentados_pge_sp.pdf   Os direitos e deveres das pessoas e das comunidades

http://www.espacoacademico.com.br/076/76carvalho.htm   O negro na literatura brasileira: a necessidade de um novo paradigma de crítica social e literária

http://www.mackenzie.br/fileadmin/Pos_Graduacao/Doutorado/Letras/Cadernos/Volume_8/8-O_ESTEREOTIPO_DO_CAIPIRA_BRASILEIRO_NA_LITERATURA__NOS_QUADRINHOS_E_NA_PINTURA.pdf    O estereótipo do caipira brasileiro na literatura, nos quadrinhos e na pintura

http://www.fundaj.gov.br/tpd/147.html   O PRECONCEITO RACIAL E SUAS REPERCUSSÕES NA INSTITUIÇÃO ESCOLA 

http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/_iK1MxdvBhu8/S7do5rOlSdI/AAAAAAAAABg/YfT7NntrD1I/s320/menina-ebano.jpg&imgrefurl=http://convivendocomadiversidade.blogspot.com/2010/04/o-preconceito-racial-na-escola-rosely.html&usg=__dFgbQKKVmDie4-WSA8Z3AFdQH5Y=&h=300&w=300&sz=15&hl=pt-br&start=28&zoom=1&itbs=1&tbnid=umJI_y4pCkfX8M:&tbnh=116&tbnw=116&prev=/images%3Fq%3Dpreconceito%2Bracial%26start%3D20%26hl%3Dpt-br%26sa%3DN%26gbv%3D2%26ndsp%3D20%26tbs%3Disch:1   O preconceito racial na escola - Rosely Sayão

Avaliação

A avaliação deverá ser contínua, processual e diagnóstica durante todo o desenvolvimento da aula: acompanhar e avaliar os alunos nas diferentes etapas do processo de aprendizagem, compreender as estratégias utilizadas por eles na construção do conhecimento e organizar formas de intervenção adequadas às reais necessidades dos alunos e que possibilitem avanços cognitivos.   

Autoavaliação dos alunos (oral ou por escrito): Participação individual e grupal nos momentos da aula propostos pelo professor.      

Avaliação dos alunos pelo professor: Respeito aos momentos de fala e de escuta e às opiniões dos colegas. Envolvimento dos alunos nas atividades propostas. Avaliar se os alunos foram capazes de identificar e relatar situações de preconceito e discriminação em relação aos negros; analisar os relatos, depoimentos e vídeos acerca do preconceito, racismo e discriminação e os efeitos produzidos na vida das pessoas; participar ativamente das atividades da “Tenda”, distribuindo e informando sobre o conteúdo da Cartilha, colhendo depoimentos dos visitantes e posteriormente selecionando-os e divulgando-os no jornalzinho da escola; produzir textos e construir imagens que retrate o preconceito racial; posicionar-se criticamente contra qualquer tipo de discriminação e preconceito

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 8 classificações

  • Cinco estrelas 5/8 - 62.5%
  • Quatro estrelas 3/8 - 37.5%
  • Três estrelas 0/8 - 0%
  • Duas estrelas 0/8 - 0%
  • Uma estrela 0/8 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • flavia fernandes, revelação da criança , Bahia - disse:
    FFM@HOTMAIL.COM

    24/09/2013

    Cinco estrelas

    amei!,maravilhoso demais!


  • ENAIR REGINA MARTINS, Secretaria Municipal de Educação de POCONE , Mato Grosso - disse:
    martinsneca@hotmail.com

    17/09/2013

    Cinco estrelas

    Parabéns pela aula realmente esta altura do trabalho sobre o preconceito racial..amei pois me ajudou muito trabalhar o tema em sala.


  • Angela, ESCOLA M. P. ÍRIS DE ALMEIDA MATOS, Parnamirim-RN , Rio Grande do Norte - disse:
    m.angelasilva@ig.com.br

    21/07/2013

    Cinco estrelas

    Essa aula merece nota 10. Excelente!!!


  • glaucijane rodrigues rosa, Universidade Estadual de Goiás , Goiás - disse:
    glaucijanerodrigues@hotmail.com

    30/06/2013

    Quatro estrelas

    foi de grande valia para mim essa informções sobre o preconceito racial e como explorar esse tema. Que é sem duvida muito complexo,porém é imprencídivel que se fale a respeito,poi ainda é muito grande o numero de pessoas que praticam tais crimes.


  • Janine Nass Bruhn, E. M. Fritz Benkendorf , Santa Catarina - disse:
    janine.nass_jana@yahoo.com.br

    13/05/2013

    Quatro estrelas

    Aulas reflexivas e questionadoras! Muito bom...


  • Pamella, Escola Mul. Vinicius de Aquino Ramos , Goiás - disse:
    pamellapontesfiuza@hotmail.com

    31/07/2012

    Cinco estrelas

    Essa é uma ótima propoosta para trabalhar não só com as crianças das séries inicias mas, também com os alunos maiores jás que estes estão em sua maioria na fase das segregações e piadinhas contra os colegas... utilizarei certeza


  • simone alves, colegio acm , Bahia - disse:
    simonewendell@hotmail.com

    15/03/2012

    Cinco estrelas

    gostei muito


  • Catia Luzia Bernardes, Secretaria de Educação e Cultura , Paraíba - disse:
    clbernardeslins@gmail.com

    22/04/2011

    Quatro estrelas

    Parabéns!!! Muito pertinente esta aula bem elaborada com otimas sugestões de recursos midiaticos que dinamizam as discussoes.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.