Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


As Projeções Cartográficas e a Evolução do Pensamento Humano

 

12/01/2011

Autor e Coautor(es)
Leandro Faber Lopes
imagem do usuário

JUIZ DE FORA - MG COL DE APLICACAO JOAO XXIII

Oswaldo José Bueno Alves da Silva

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio Geografia Organização da geografia política do mundo atual, estado e organização do território
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

Espera-se que o aluno compreenda a evolução histórica das projeções cartográficas e suas relações com as visões de mundo predominantes. Também que ele possa distinguir os principais tipos de projeções cartográficas e desenvolver a leitura crítica dos mapas.

Duração das atividades
02 aulas de cinquenta minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Os alunos devem ter conhecimentos prévios de:

- elementos cartográficos - orientação, localização, coordenadas geográficas, escala;

- grandes divisões da História - Antiguidade, Idade Média, Idade Moderna e Contemporânea.

- expansão ultramarina (Grandes Navegações);

- descolonização afro-asiática no pós-II Guerra.

Estratégias e recursos da aula

AULA 01

Professor (a), esta aula requer o uso de imagens, pois tem como objetivo geral apresentar a evolução histórica das projeções cartográficas, seus principais tipos e as visões de mundo por elas representadas. Por isso, torna-se fundamental a utilização de recurso para exibição dessas imagens, sendo mais indicado o data-show, devido às facilidades que este apresenta para uma visualização dinâmica e eficiente do conteúdo imagético.

 

1º passo

Peça aos alunos que leiam a tirinha abaixo e expressem suas opiniões oralmente. Em seguida, proponha a atividade abaixo.

(Fonte: http://geoexercicios.blogspot.com/2009/04/cartografia-1.html, em 20-11-2010) 

Responda no caderno às seguintes questões:

1. Qual a ideia central da tirinha?

2. Você concorda com a visão de mundo da personagem Liberdade, ao colocar o mapa de "cabeça para baixo"? Justifique.

3. Quando Mafalda diz “... alguma coisa acabou de acabar”, a que ela está se referindo?

2º passo:

Professor (a), após a atividade com a tirinha, prossiga a aula com as imagens de mapas antigos, conforme os que seguem abaixo. Para não ficar maçante, teça apenas breves comentários sobre esses mapas e estimule os alunos a participarem oralmente, por exemplo, a partir de questões sobre cada mapa.

Mapas de Anaximandro (540 a. C.) e Hecateu (500 a.C.) - Mundo Antigo

(Fonte: http://ventosdouniverso.blogspot.com/2010/08/confusoes-teologico-cientificas.html, em 20-11-2010) 

Questões:  

1. De acordo com a representação dos mapas acima, como se pensava ser o formato da Terra naquele contexto histórico?

2. Por que apenas parte do mundo estava representada naqueles mapas?

3. Havia proporção entre as áreas continentais representadas? Comente.

Mapa T-O (Orbis Terrarum), de Isidoro (560-636) - Idade Média

Professor (a), destaque para a turma as seguinets caracteríticas do mapa de Isidoro:

"- a Ásia está situada na parte superior porque o Sol nasce a Este e o Paraíso era geralmente representado como estando na Ásia;

- á Ásia tem o tamanho igual ao dos outros dois continentes;

- o mar Mediterrâneo, que separa os três continentes (Ásia, Europa e África), é representado pela haste vertical do T, enquanto o Oceano circundante tem a forma de um O.

Este mapa serviu de modelo a quase todos os mapas medievais chamados, por isso, mapas T-O."

(Fonte: http://ventosdouniverso.blogspot.com/2010/08/confusoes-teologico-cientificas.html, em 21-11-2010) 

Questões:

1. Por que no Mapa T-O a Ásia está posicionada acima dos outros continentes representados?

2. Por que o Oriente, e não o Norte está localizado na parte superior do mapa?

3. Explique a presença do Jardim do Éden e da cidade de Jerusalém nas partes superior e central do mapa, respectivamente.

Mapa do Mundo da Catedral de Hereford (1290) - Idade Média

(Fonte: http://www.hermeneia.net/exemples/atles_catala/cartografia.htm, em 2  1-11-2010)

Esclereça para os alunos os seguintes pontos sobre o mapa acima:

O Mapa do Mundo da Catedral de Hereford guarda grande conteúdo religioso:

- acima mantém o Leste na parte superior, deixando o Norte à esquerda;

- acima e no centro está o Éden;

- no centro do mapa está representada a cidade de Jerusalém.

Mapa de Frei Mauro - Séc. XV

(Fonte: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/26/FraMauroMap.jpg, em 20-11-2010) 

Questão:

Elabore uma hipótese para o fato de o Oceano Índico estar representado no topo do Mapa de Frei Mauro (Séc. XV).

3º passo:

Apresente à turma a projeção abaixo: 

Projeção de Mercator

(Fonte: http://www.heliheyn.de/Map2Web/MercatorSize_E.html, em 21-11-2010) 

Orientações para atividade:

1. Peça aos alunos que tracem sobre o mapa a linha do equador, a lápis – observe a posição dos traçados feitos por eles e verifique sua noção de localização.   

2. Faça a seguinte pergunta: por que o Hemisfério Sul está representado com área inferior a do hemisfério Norte? Resposta simples: a Antártica não aparece na projeção em questão.   

3. Peça à turma explicações para a exclusão do continente antártico, comum na projeção de Mercator.   

4. Após ouvir as opiniões da turma, apresente a projeção abaixo, agora com a representação da Antártica.

Projeção de Mercator

(Fonte: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mercator-proj.jpg, em 21-11-2010) 

Peça aos alunos que comparem visualmente a área da Antártica com a área da América do Sul. Em seguida, apresente-lhes os dados seguintes:   

- Área total da América do Sul: 18 milhões de km2 (aproximadamente)

- Área total da Antártica: 14 milhões de km2

Peça aos alunos possíveis explicações para a seguinte pergunta: por que a Antártica aparece muito maior que a América do Sul, sendo que está é superior em área, conforme dados acima apresentados?   

5. Outra comparação interessante pode ser feita entre a América do Sul (aproximadamente 18 milhões de km2) com a Groenlândia (2,175 milhões de km2); e entre esta ilha e a Índia (3,3 milhões de km2, aproximadamente).   

6. Aproveite para trabalhar com a turma a questão escalar, explicando-lhe que na projeção de Mercator, que é cilíndrica e conforme (preserva as formas e distorce as áreas), as escalas utilizadas aumentam do equador para os polos. Daí a ampliação exagerada das terras localizadas em maiores latitudes, como a Antártica e a Groenlândia, ao contrário do que acontece com as áreas de menores latitudes, como a América do Sul e a Índia.   

7. Peça aos alunos opiniões sobre a influência do contexto histórico das Grandes Navegações no mapa idealizado por Mercator, em 1569. Aproveite a oportunidade para trabalhar o conceito de etnocentrismo, destacando a visão eurocêntrica que ainda predomina nos mapas atuais.

4º passo:   

Apresente aos educandos a projeção a seguir:  

Projeção de Peters

(Fonte: http://www.heliheyn.de/Maps/GallPeters/GallPeters_E.html, em 21-11-2010) 

Atividade:

Com base na Projeção de Peters, peça aos alunos que respondam às questões que seguem:

1. A visão de mundo expressa por essa projeção está equivocada? Explique sua opinião.

2. Faça as mesmas comparações sugeridas na atividade anterior, entre: - América do Sul e Antártica; - América do Sul e Groenlândia; - Groenlândia e Índia.

3. O que mudou em relação às comparações feitas com base na Projeção de Mercator? Você tem uma explicação para isso?

4. Ao contrário de Mercator, Peters utilizou a projeção do tipo cilíndrica equivalente (preserva as áreas e distorce as formas). Em sua opinião, quais as vantagens desse tipo de projeção para os territórios localizados em menores latitudes, como a América do Sul?

5. Em comparação à projeção de Mercator, quais as vantagens e desvantagens da projeção de Peters?

6. Explique a influência do contexto histórico do movimento de descolonização afro-asiática, após a II Guerra, sobre o mapa de Peters (proposto na década de 1970).

AULA 02

Professor (a), esta aula tem como objetivo principal contribuir para que o aluno analise e diferencie os principais tipos de projeções cartográficas. Por isso, como na aula 01, é importante o uso de imagens e pequenos textos explicativos, podendo-se, inclusive, preparar para a turma material impresso sobre o tema. Forneça aos alunos as principais características de cada projeção apresentada. O objetivo é que eles percebam a impossibilidade de se fazer uma projeção que represente a Terra com perfeição. E também que o uso de determinada projeção depende dos objetivos a serem atingidos.

1º passo:

Apresente aos alunos as projeções abaixo indicadas. Depois peça que respondam às questões seguintes.

Projeção Cilíndrica

(Fonte: http://sergiogeo.com/?p=244, em 21-11-2010) 

Projeção Plana

(Fonte: http://sergiogeo.com/?p=244, em 21-11-2010) 

Projeção Cônica

(Fonte: http://sergiogeo.com/?p=244 , em 21-11-2010) 

Projeção Interrompida

,

(Fonte: http://www.geomundo.com.br/geografia-30156.htm, em 21-11-2010) 

Projeção Afilática

(Fonte: http://vocesabendomais.blogspot.com/2009/08/projecoes-cartograficas.html, em 21-11-2010) 

Atividades:

1. Há possibilidade de se representar a Terra de forma perfeita em alguma das projeções acima? Justifique sua resposta.

2. Quais são as limitações da cartografia ao representar a Terra nas mais variadas projeções cartográficas?

3. Explique quais as vantagens de se usar a projeção Cilíndrica, em comparação à projeção Plana.

4. Com base na comparação entre as projeções Cilíndrica e Cônica, qual delas melhor representa o equador? E qual delas representa as médias latitudes? Explique.

5. Quais são os tipos de projeção Cilíndrica? Quais são as vantagens e desvantagens de cada uma delas?

6. Observe a projeção Plana e responda:

a) Quais linhas representam os paralelos e os meridianos, respectivamente?

b) Em que parte da projeção desse tipo se mantém maior fidelidade à área representada?

c) Que características são preservadas nesse tipo de representação?

7. Explique quais são as vantagens do uso da projeção Afilática.

8. Na projeção Interrompida, os oceanos não são contínuos, entretanto, esse tipo de mapa apresenta uma vantagem em relação à projeção do tipo Cilíndrica. Explique.

2º passo:

Professo (a), após a realização da atividade acima, peça aos alunos que leiam o texto e analisem o mapa a seguir.

“O mapa [abaixo] desvenda um ponto de vista incomum: o mundo centrado no Brasil. Certamente, ele ajuda a compreender o enorme interesse brasileiro pelos países da América Latina e do litoral ocidental africano, bem como pela exploração da Antártida. Na visão dos geopolíticos brasileiros, geralmente militares, a segurança imediata do país estava associada à sua capacidade de influenciar os vizinhos sul-americanos. Essa forma de interpretar a posição brasileira no mundo foi decisiva para impulsionar as políticas de integração nacional destinadas a incrementar o povoamento e a modernização do Centro-Oeste e da Amazônia. Ela também gerou estratégias voltadas para sedimentar a liderança brasileira nas bacias Amazônica e Platina, aprofundando linhas históricas de tensão que marcaram o relacionamento com a Argentina.

[...] Esta projeção, bastante incomum, chamada de projeção azimutal eqüidistante, apresenta distâncias e direções verdadeiras a partir de seu centro. Ela não conserva a proporcionalidade das formas ou das áreas, que apresentam distorções crescentes à medida que aumenta a distância em relação ao centro da projeção. Mas cumpre a finalidade a que se propõe: revela distâncias e direções (azimutes) exatas de todos os pontos do globo em relação ao ponto central do mapa. A projeção azimutal é, acima de tudo, uma projeção geopolítica. Ela expressa, como nenhuma outra, a visão do planeta sob a perspectiva de um Estado.”

(Fonte: MAGNOLI, D. Geografia: a construção do mundo: geografia geral e do Brasil. São Paulo: Moderna, 2005.)

O  Brasil no Centro do Mundo

(Fonte: http://sergiogeo.com/wp-content/uploads/2010/05/projplana.gif, em 21-11-2010) 

Com base no texto e no mapa acima, responda:

1. Explique por que o mapa acima é revestido de cunho geopolítico.

2. Como você interpreta um mapa que trás o Brasil como o centro do mundo?

3. Em sua opinião, por que não é comum vermos mapas centrados no Brasil em livros e atlas?

4. Explique por que os mapas não são documentos politicamente neutros.

Recursos Complementares

Professor (a), caso julgue necessário, apresente um breve histórico da evolução dos mapas. Entretanto, não se propõe aqui uma aula sobre a história desses documentos. O que importa é mostrar-lhes, de forma breve, as mudanças sofridas, ao longo do tempo, nas formas como o mundo é concebido e representado nas projeções cartográficas.

Sites indicados:

http://www.armenica.org/cgi-bin/armenica.cgi?=1=3==Historical maps==1=3=AAA, 20-11-2010.

http://www.guiageo.com/, 21-11-2010. 

http://www.ibge.gov.br/mapas_ibge/, em 21-11-2010. 

http://biblioteca.ibge.gov.br/, em 21-11-2010. 

Avaliação

Professor (a), avalie se o aluno apreendeu a evolução histórica das projeções cartográficas. Verifique se desenvolveu a leitura crítica dos mapas, através de suas intervenções orais e das atividades escritas propostas na aula. É importante avaliar sua oralidade em relação ao tema proposto, e não apenas a escrita, pois essas linguagens são complementares. É essencial que ao final da aula o educando tenha desenvolvido a capacidade de diferenciar, comparar e analisar as diferentes projeções, cuja competência pode e deve ser avaliada durante a aula, de forma processual.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 8 classificações

  • Cinco estrelas 6/8 - 75%
  • Quatro estrelas 0/8 - 0%
  • Três estrelas 2/8 - 25%
  • Duas estrelas 0/8 - 0%
  • Uma estrela 0/8 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Márcia Milani, Colégio eduardo Gomes , São Paulo - disse:
    perrellamilani@gmail.com

    19/04/2014

    Cinco estrelas

    Adorei.


  • Elizabete Pazio, Polo UAB , Paraná - disse:
    epazio@eed.pr.gov.br

    24/05/2013

    Cinco estrelas

    Bem elaborada e bem articulada. Bom auxilio a professor e aluno.


  • Francine Cardoso, Graduanda de Engenharia Cartográfica , Paraná - disse:
    sol.card@gmail.com

    17/03/2012

    Cinco estrelas

    Bem elaborada! Condiz com os tópicos presentes nas diretrizes curriculares. Parabéns!


  • Elisangela, Escola Estadual e rede SESI , São Paulo - disse:
    geo.elis@hotmail.com

    11/03/2012

    Cinco estrelas

    Muito bem elaborado, principalmente as questões para análise.


  • valeria pickart violato, ee paulo mendes silva , São Paulo - disse:
    val-pickart@hotmail.com

    28/02/2012

    Cinco estrelas

    prof. adorei a aula e usei parte dela para explicar melhor sobre tipos de mapas e projeções para os meus alunos...vc é ótimo e seus alunos devem gostar muito de suas aulas pq são interessantes e apresentam o conteúdo que respeita o aluno.Parabéns!


  • Antônio Sérgio Cardoso, Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães , Bahia - disse:
    prosergio@ig.com.br

    13/10/2011

    Três estrelas

    Muito interessante este tipo de trabalho, pois leva o aluno a fazer vásrias comparações dos tipos de projeções e suas formas de representações para chegar de fato a cartografia atual e conhecendo também as suas formas de evoluções e representações como por exemplo: cartografia e Geoprocessamento.


  • Vittoria Evelin, Instituto Educacional Sarah Kubstchek , Rio de Janeiro - disse:
    vitoria_gatinha2007_r9@hotmail.com

    08/04/2011

    Três estrelas

    Achei muito boa a aula pelo fato de ser bem explícita.


  • Aline gunes, Educandário Roberto Figueira Santos , Bahia - disse:
    aline.gunes@hotmail.com

    23/02/2011

    Cinco estrelas

    Parabéns!Está muito bem feita esta seguencia de atividades.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.