Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


IV Bullying: relatos, depoimentos e experiências (UCA)

 

26/09/2011

Autor e Coautor(es)

Professor Doutor Luiz Prazeres Centro Pedagógico, EBAP/UFMG

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Análise linguística: modos de organização dos discursos
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Língua oral e escrita: prática de produção de textos orais e escritos
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Análise linguística: processos de construção de significação
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

o       Analisar e interpretar textos verbais e não verbais;

o       Reconhecer, interpretar e produzir, caso seja pertinente, relatos pessoais sobre o bullying;

o       Conscientizar-se sobre problemas ligados ao bullying.

Duração das atividades
6 aulas de 50 min.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

No Brasil, o termo pode até ter surgido há pouco tempo em livros e manuais relacionados ao ensino, entretanto a existência deste fenômeno em escolas brasileiras remonta a tempos muito antigos. Quem nunca sofreu ou praticou algum tipo de ação coerciva quando criança, sobretudo, na fase escolar?

O bullying, palavra de língua inglesa ainda sem tradução literal para o português, constitui todo e qualquer ato de violência (física ou psicológica) que se manifesta repetidas vezes de forma intencional e dissimulada. É geralmente praticado por um ou mais indivíduos com o objectivo de intimidar ou agredir o outo, o próximo ou o semelhante, que, por muitas vezes ser incapaz de se defender, sofre contínua e instesamente a agressão.

A prática de tal violência contra o indivíduo, sobretudo no contexto escolar, tem se mostrado cada vez mais comum, tanto que os alunos certamente já terão informações a respeito. Entretanto, a recorrência do problema, não o exclui de ser abordado em sala de aula; pelo contrário, é por causa disso mesmo que o bullying deve ser um tema continuamente trabalhado, visando sempre à consciência dos alunos a respeito dos inúmeros efeitos negativos decorrentes dessa prática.

É exatamente esse o objetivo principal dessa aula: partir do conhecimento prévio dos alunos para levá-los a refletir sobre as terríveis práticas de bullying na escola. Em outras palavras, a partir dessa aula, o professor discutirá como seus alunos têm lidado com os outros, com os seus colegas, tão semelhantes, mas diferentes. É desse modo que eles poderão quebrar tabus e preconceitos, e, enfim, se respeitarem mutuamente seja na escola seja em quaisquer outros contextos sociais.

Estratégias e recursos da aula

21

Disponível em: http://ced3ambiental.blogspot.com/2010/05/bullying-mau-exemplo-na-escola.html.

Acesso em: 10 set. 2011.

Atividade 01

O professor deve iniciar a aula ativando os conhecimentos prévios dos alunos sobre bullying. É importante que ele ressalte as consequências geradas por essa prática bem como importância de erradicá-la do contexto escolar, respeitando e aceitando o outro sem preconceito e discriminação.Para desenvolver essa discussão, os alunos, junto ao professor, devem acessar e analisar algumas dessas imagens reproduzidas no mosaico a seguir:

                                        5

 

Para analisá-las, o professor fará algumas perguntas oralmente, as quais servirão como base para interpretar o mosaico e promover a discussão:

  1. Que elementos as imagens ressaltam com maior recorrência? A que eles fazem referência?

  2. Em cada imagem há sempre agressores e agredidos. Em que posição eles se encontram? Que tipo de relação entre eles pode ser depreendida a partir disso?

  3. Algumas imagens mostram os rostos das pessoas envolvidas na agressão. Que sentimento está expresso em suas faces?

  4. Também há imagens em que as pessoas estão representadas sem rostos. Por quê? Que efeito esse recurso confere à imagem?

  5. Que cores predominam nessas imagens sem rosto? Dê uma justificativa para sua resposta. Que efeito esse recurso confere à imagem como um todo?

  6. Considerando suas reflexões a respeito do tema, qual a principal crítica pretendida pelas imagens? Que elementos comprovam isso?

  7. As imagens mostram atitudes agressivas severamente criticadas. Que tipo de agressão é essa? O que pode ter gerado e o que pode gerar tamanha agressão?

  8. Considerando o contexto das escolas brasileiras em geral, as imagens se mostram coerentes com a realidade? Em que medida há semelhanças? Por quê?

O professor deve ratificar os comentários mais relevantes da discussão, para reativar os conhecimentos prévios dos alunos e garantir uma maior aproximação deles com o tema debatido, possibilitando uma apreensão mais ampla sobre os problemas ligados ao bullying.

 

Atividade 02

Após ativar os conhecimentos prévios dos alunos em relação ao tema, o professor deve retomar as principais características de gêneros que lidam com relatos de experiências. Para essa aula foram escolhidos o depoimento e o testemunho, uma vez que na próxima atividade os alunos terão a oportunidade de se expressarem por meio desses dois tipos de texto. Por agora, basta ao professor pedir para que os alunos acessem os seguintes exemplos de cada gênero e, juntos, analisem suas principais características.

 

Depoimento

Em 2007 e 2009, a Rede Globo exibia as respectivas novelas “Páginas da Vida” e “Viver a Vida”, ambas de autoria de Manoel Carlos. A cada final de capítulo das novelas, apresentava-se um vídeo com depoimentos de pessoas que passaram por uma série de dificuldades ao longo da vida. Uma boa atividade seria trabalhar com alguns desses depoimentos com os alunos, pois todos temos muito o que aprender com as experiências dos outros. Para acessar tais depoimentos dirija-se ao site de vídeos Youtube e procure pelos depoimentos das referidas novelas “Páginas da Vida” e “Viver a Vida”. Entre os depoimentos exibidos nas duas, escolhemos a título de análise o da senhora Virgínia Diniz Carneiro, cujo link e a transcrição encontram-se disponíveis a seguir.

 

Depoimento de Virgínia Diniz Carneiro – Novela “Viver a Vida” (2009)

4

 

Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=EVcM4RX4lmE.

Acesso em: 14 set. 2011.

3

SILVA, Érica Danielle.  Movimentos identitários e políticas de inclusão na mídia:

a (d)eficiência em tela. Maringá: UEM, 2010.

Depoimento

É um gênero textual no qual se narram fatos reais vividos por uma pessoa. Há, portanto, uma intenção pedagógica, a de ensinar algo aos leitores. Esse formato textual apresenta os elementos básicos da narrativa: sequências de fatos, pessoas, tempo e espaço. O narrador é onipresente e sempre o protagonista da história. Verbos e pronomes são empregados predominantemente na 1ª pessoa. Os verbos oscilam entre o pretérito perfeito e o presente do indicativo. Emprega-se o padrão culto formal da língua.

O depoimento da senhora Virginia Diniz Carneiro deve ser lido pelo professor e pelos alunos à luz das características explicitadas no box anterior. Entretanto, se o professor julgar necessário, ele pode recorrer a outros depoimentos disponíveis na relação de vídeos ligados a ele. O professor deve se lembrar de que a abordagem dos vídeos e das transcrições pode tornar a aula mais interativa e interessante.

 

Testemunho

Entre alguns dos testemunhos disponíveis na internet, escolhemos dois para serem analisados em sala pelo professor. No primeiro deles, a jornalista Tatiane Dores da Silva relata ter testemunhado um crime eleitoral envolvendo o conflito existente entre os candidatos presidenciáveis das eleições de 2010, Dilma Roussef e José Serra. No segundo deles, o blogueiro Maurício Kanno narra a violência do assassinato de um rato em seu percurso.

Crime eleitoral: eu presenciei

2

Quinta-feira à noite, quando voltava do trabalho, lá pelas 22h, dois homens distribuíam panfletos pelo terminal urbano no centro da capital. A maneira como eles distribuíam me chamou a atenção. Agiam como se estivessem fazendo algo errado. Não consegui me conter e pedi a um deles o papel que entregavam aos transeuntes. Para minha surpresa era o tal do 'Apelo Popular', um manifesto confeccionado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é o mesmo que o TSE e Policia Federal apreenderam (cerca de 1 milhão deles) por se tratar de um crime eleitoral, pois fere a imagem de candidatos e visa influenciar o voto. Nesse caso, de Dilma Rousseff, candidata à presidência do Brasil pelo PT. Muito feio, né? É esse tipo de correlegionário que tem o PSDB do Serra. Os próprios bispos que fizeram isso voltaram atrás e reconheceram o erro.

Fiz um denúncia do que vi ao Ministério Público. Caso você presencie algo do gênero, denuncie também. AQUI!

Disponível em: http://tatidolores.blogspot.com/2010/10/crime-eleitoral-eu-presenciei.html

Acesso em: 14 set. 2011.

 

Presenciei um assassinato hoje

1

Hoje, no caminho para o trabalho, ouvi gritos de uma mulher, e uma movimentação de uns homens, um deles com um grande pedaço de madeira na mão. Então apareceu, correndo e desesperado, um pequeno que foi perseguido e chutado pelos sádicos e divertidos marmanjões, provavelmente se achando heróis. Com um chute, foi parar em meio aos veículos na rua; bateu numa moto e também ficou atropelado por carros que passavam.
Era um rato, um dos seres que o ser humano mais despreza. Foi a primeira vez que pude ver um deles, ainda mais tão de perto. Seus olhos e suas atitudes assemelhavam-se a qualquer cãozinho fugindo, e também a qualquer criança humana fugindo, fragilizada.

Disponível em: http://mauricio-kanno.blogspot.com/2008/05/presenciei-um-assassinato-hoje.html

Acesso em: 14 set. 2011.

 

Testemunho

É um tipo de relato no qual são narrados fatos supostamente reais testemunhados por uma pessoa. O narrador, portanto, não participa diretamente da história, apenas observa o desenrolar dos fatos. Esse formato textual apresenta os elementos básicos da narrativa: sequências de fatos, pessoas, tempo e espaço. O narrador, embora seja onipresente, não se configura como o protagonista da história. Verbos e pronomes são empregados predominantemente na 1ª pessoa. Os verbos oscilam entre o pretérito perfeito e o presente do indicativo. Emprega-se o padrão culto formal da língua.

 

Os textos testemunhais abordados anteriormente, devem ser lidos e analisados pelo professor e alunos com base nas características sobre o gênero apresentadas no box anterior. Entretanto, se o professor julgar necessário, ele pode recorrer a outros testemunhos disponíveis na Internet. O professor deve se lembrar de que a abordagem desses textos pode tornar a aula mais interativa e interessante.

 

Atividade 03

Após o trabalho com as características dos gêneros depoimento e testemunho, a aula pode seguir o curso, para iniciar, de fato, a produção desses gêneros.

Para começar o professor deverá mostrar novamente aos alunos as imagens disponíveis para a Atividade 01, que retratam cenas de bullying no ambiente escolar. Essas imagens constituirão a base para a discussão do tema e redação dos textos (depoimentos e testemunhos).

A partir dessas imagens os alunos deverão se lembrar de cenas ou situações de bullying que possam ter ocorrido não só com os outros, mas com eles também. Deverão se lembrar se exerceram o papel de agressores, agredidos ou apenas expectadores. Todas essas experiências resgatadas servirão como base para a produção dos textos.

Cada aluno deverá então produzir um texto de cada gênero, depoimento e testemunho, lembrando-se atentamente das características de cada um deles. Ao elaborar o depoimento, deverão se portar no papel de vítima ou de agressor, sendo em ambos os casos o protagonista da situação. Ao desenvolver o texto testemunhal, assumirá o papel de observador que tenha presenciado alguma situação em que tenha acontecido o bullying na escola.

Uma observação deve ser feita quanto à produção do depoimento. Certamente não é simples ou fácil expor-se como vítima ou como agressor numa situação tão mal vista e criticada como as cenas de bullying. Devido a isso o professor deve orientar os alunos a não se identificar, bastando apenas relatar a experiência ocorrida. Afinal, o fato a ser observado – e evitado – é a cena de preconceito ou discriminação, não importando a identificação do agressor ou vítima, uma vez que essa situação poderia acontecer com qualquer um.

Feitas essas considerações iniciais, o professor pedirá, então, para que os alunos iniciem a produção dos depoimentos e testemunhos, utilizando um editor de texto de sua preferência, por exemplo, BROffice (o Microsoft Word do equipamento UCA). A utilização de um programa como esse, facilitará a correção e a manipulação do texto, tanto pelos alunos quanto, posteriormente, pelo professor.

O professor auxiliará os alunos ao longo de todo o processo de elaboração dos textos, principalmente na etapa de redação, em que os alunos devem se atentar à utilização de uma linguagem adequada ao contexto. Nessa etapa, o professor deve alertar os alunos para uma escrita vinculada, sobretudo, à norma padrão, para dar maior credibilidade aos textos. Entretanto, o professor também deve ressaltar que os alunos devem evitar expressões rebuscadas ou pedantes, já que os depoimentos ou testemunhos têm por objetivo a sensibilização do leitor e, por isso, seu alcance deve ser o mais amplo possível.

 

Atividade 04

Quando todos os grupos terminarem a elaboração dos artigos, os alunos devem proceder a uma revisão atenciosa do trabalho feito.

Nesse ponto, os alunos se atentarão à estrutura e às características do gênero, bem como aos aspectos gramaticais que envolvem a escrita. Isto é, os alunos deverão corrigir os equívocos relacionados: à adequação do texto ao tema e à proposta; à argumentação; à coerência e coesão; bem como à norma padrão escolhida para essa produção textual.

O professor deve frisar a importância dessa revisão, visto que o texto será divulgado – não só para a escola, como também para a comunidade e pela Internet. É essencial, portanto, que eles corrijam devidamente quaisquer inadequações relacionadas a esse processo de produção.

Antes da divulgação do material, o professor deve avaliar cada trabalho produzido, de modo a fazer uma revisão final para evitar que incorreções estruturais sejam divulgadas. Além disso, ele deverá, sobretudo, ressaltar a criatividade dos alunos na produção de seus textos. Esse retorno positivo é essencial para incentivar os alunos a se empenharem na execução de seus trabalhos.

 

Atividade 05

Depois da correção das produções pelo professor e da realização das últimas modificações pelos alunos, os depoimentos e os testemunhos poderão, então, ser divulgados. A divulgação ocorrerá na Internet, na escola e na comunidade.

Na Internet, os alunos deverão postar seus trabalhos no blog da turma para a sensibilização dos colegas e dos internautas em geral. Além disso, os alunos devem enviar seus textos por e-mail à sua lista de contatos, pedindo para que os destinatários também o encaminhem para suas respectivas listas, podendo postá-los, inclusive, em redes sociais como o orkut e o facebook. Assim, os textos formarão uma “corrente”, com o objetivo de atingir e conscientizar o maior número de internautas possível.

Na escola e na comunidade, os alunos deverão divulgar os depoimentos e testemunhos, ou pelo menos alguns deles, no jornal da escola ou da comunidade. Essa é apenas uma sugestão, mas que seria interessante realizar, porque o aluno se sentiria de fato um redator de grande importância ao ver o seu texto circulando em um suporte que, do ponto de vista social, é muito valorizado.

É essencial que o professor, para o sucesso da atividade, mobilize e incentive seus alunos nessa última etapa. Para isso, é igualmente importante que o próprio professor abrace a causa desse trabalho e faça com que os alunos percebam a relevância de se conscientizar às pessoas sobre a importância de se evitar o bullying e de se aprender a lidar com as diferenças do semelhante. Sem um posicionamento ativo quanto a isso, infelizmente, não há como haver interesse por parte dos alunos e muito menos – o mais importante – conscientização por parte das pessoas. 

     

Recursos Complementares

 

Sugestão de livros:

  • Bullying - Estratégias de sobrevivência para crianças e adolescente. Beaudoin e Taylor. Editora Artmed – Bookman 2007.

  • Bullying e Desrespeito: Como acabar com essa cultura na escola. Beaudoin e Taylor. Editora Artmed 2006.

  • Fenômeno Bullying Cleo Fante. Editora Verus 2005.

  • Bullying: como combatê-lo. Alessandro Costantini; Eugênio Vinci de Moraes (Tradução). Editora Verus 2007.

  • Diga NÃO para o Bullying. Aramis A. Lopes Neto; Lucia Helena Saavedra. ABRAPIA 2003.

 

Sugestão de filmes sobre o assunto:

 

Sugestão de sites sobre o assunto:

o       http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-escola-494973.shtml

o       http://www.portalbullying.com.pt/

o       http://www.observatoriodainfancia.com.br/rubrique.php3?id_rubrique=19

o       http://bullyingportalprofessor.wordpress.com/

o       http://www.diganaoaobullying.com.br/

o       http://www.assediomoral.org/

o       http://nomorebullying.zip.net/

o       http://www.denunciar.org.br

http://www.bullying.pro.br/

Avaliação

As avaliações ocorrerão de forma processual, ao longo de todas as atividades ministradas, as quais contemplam o desenvolvimento das habilidades de leitura, de escrita e de expressão oral.

Os alunos, frequentemente, terão oportunidade de participar de discussões para que o professor perceba o desenvolvimento da capacidade interpretativa de cada um, apresentada por meio da oralidade. Nesse momento, o professor deverá estar alerta para o processo de argumentação do aluno, visando não só à pertinência das informações apresentadas como também à utilização das marcas de registro popular e padrão. Em outras palavras, nessas situações, o professor deve perceber, portanto, como cada aluno tem avançado na produção e fundamentação do próprio texto oral.

As atividades escritas a serem feitas serão avaliadas de acordo com o nível de entendimento individual do aluno, de forma a considerar a aquisição processual dessa habilidade. O professor deve observar se, nos textos, os alunos abordaram adequadamente:

·         O conteúdo relativo ao tema e ao objetivo de cada questão proposta, item mais importante e essencial;

·         A seleção de argumentos, que devem ser pertinentes e relevantes à temática apresentada;

·         Os processos de coesão e de coerência textual, responsáveis pelo encadeamento lógico-discursivo do texto;

·         O registro da língua utilizado, visto que os alunos devem ser capazes de utilizar o registro mais adequado à situação comunicativa apresentada.

O trabalho ressaltará a criatividade, a participação e integração de todos, tanto na apresentação, quanto na colaboração e dedicação da turma, levando em conta o grau de envolvimento e de desenvoltura de cada aluno durante a realização das tarefas. Nessa atividade, o professor terá a oportunidade de avaliar a originalidade e a capacidade de os alunos se interagirem entre si e com os outros. Por isso, ele deve se atentar ao desenvolvimento e envolvimento de cada um deles, lembrando que disso depende, em grande parte, o sucesso de todo o trabalho.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 1 classificações

  • Cinco estrelas 1/1 - 100%
  • Quatro estrelas 0/1 - 0%
  • Três estrelas 0/1 - 0%
  • Duas estrelas 0/1 - 0%
  • Uma estrela 0/1 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Adriane, professora pesquisadora , Paraná - disse:
    anne_fanha@hotmail.com

    23/10/2012

    Cinco estrelas

    A aula está muito bem elaborada, oportunizando a alunos e professores momentos de interação com o assunto, cuja necessidade de reflexão e ação sobre o tema é imensa. Parabenizo ao autor e demais envolvidos no planejamento do conteúdo.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.