Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Os problemas ambientais são culpa das ações humanas ou um castigo dos céus? Desvendando o mistério por meio do método cientifico

 

28/05/2012

Autor e Coautor(es)

Selma Gonzaga Silva; Lérida de Oliveira

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio Biologia Qualidade de vida das populações humanas
Ensino Médio Biologia Ecologia e ciências ambientais
Ensino Médio Química Água
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Compreender a influência do homem no meio em que vive.
  • Delinear as relações entre o padrão de consumo e o crescimento urbano na atualidade com a degradação ambiental.
  • Diferenciar ações humanas capazes de contribuir com a preservação ou com a destruição dos ecossistemas.
Duração das atividades
05 AULAS (50 MINUTOS CADA)
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
  • Noções básicas de Ecologia (equilíbrio e desequilíbrio da natureza, poluição e conservação de recursos naturais - Ensino Fundamental).
  • Noções básicas de Geografia (processo de urbanização no Brasil – Ensino Fundamental).
  • Noções básicas de Informática (construção e interpretação de gráficos – Microsoft Excel).
  • Noções básicas de Matemática (porcentagens – Ensino Fundamental).
Estratégias e recursos da aula

Tema: Degradação ambiental e suas consequências

Introdução

Para tornar a abordagem do tema em questão mais efetiva e dinâmica, uma estratégia resolutiva é utilizar-se de ferramentas lúdicas, tais como aquelas propostas nesta aula. O desenvolvimento das atividades propostas se afigura como uma oportunidade para que os/as alunos/as possam, a partir da utilização do método científico, ocupar a posição de protagonistas do processo de construção do conhecimento. Afinal, incentivam a curiosidade e criatividade e podem promover mudanças significativas no modo de pensar e agir dos/as alunos/as.

Porém, de acordo com o método científico, é importante que as atividades propostas sejam precedidas por uma problematização relacionada ao tema da aula. Os problemas, no caso, possivelmente serão mais instigantes se forem extraídos da realidade por meio de observações realizadas pelos/as alunos/as. Portanto, cabe ao/a professor/a iniciar a aula solicitando que os/as alunos/as observem as cercanias de suas casas e relatem quais foram os principais problemas ambientais observados. Além disso, a problematização pode ser fomentada a partir da apresentação, por parte do/a professor/a, da seguinte questão aos/as alunos/as:

- Os problemas ambientais são culpa das ações humanas ou um castigo dos céus?

A problematização estimulará a organização do conteúdo já estudado acerca do tema da aula e o confronto com o não saber, o que levará os/as alunos/as a formularem hipóteses para, no caso, auxiliar na compreensão dos fatores associados aos problemas ambientais e suas consequências, assim como no dimensionamento da escassez de recursos naturais e na capacidade de recuperação da natureza. Tais hipóteses serão posteriormente confrontadas com os dados coletados e as descobertas promovidas por meio das atividades propostas, possibilitando, assim, a consolidação do conhecimento.

1ª Atividade – Vídeo e debate

Nessa atividade da aula, os/as alunos/as serão convidados a assistir em seus netbooks o vídeo “A história das coisas”. Para tanto, cabe ao/a professor/a orientar os/as alunos/as a, empregando o software  Mozilla Firefox, acessar o site abaixo, no qual o vídeo em questão encontra-se disponível.

 

 

 

 

 

 

OBSERVAÇÃO: O/a professor/a pode executar previamente o download do vídeo no site mencionado para, empregando seu netbook, exibi-lo durante a aula utilizando um kit multimídia e um data show. Essa estratégia seria uma alternativa caso o acesso à internet, no momento da aula, esteja impossibilitado por qualquer razão.

Finalizada a exibição do vídeo, cabe ao/a professor/a ser o mediador de um debate. As questões abaixo podem ser usadas pelo/a professor/a para estimular esse debate:

1) Qual a relação do padrão de consumo com a degradação ambiental?

2) Quais são os principais valores sociais na atualidade? Explique.

3) Você se considera consumista? Explique.

4) Qual é o seu papel no meio em que vive?

5) Alguma situação apresentada durante o vídeo é familiar para você? Se sim, qual?

6) Qual situação apresentada no vídeo lhe causou maior estranhamento?

7) Quais são as atitudes a serem tomadas para preservar o ambiente?

A atividade 1 é de extrema importância para o início da aula, pois, a partir da  exibição do Vídeo 1 e do debate com os/as alunos/as, o/a professor/a terá subsídios para desenvolver as atividades seguintes.

2ª Atividade – Brincando e aprendendo

Nessa atividade da aula, os/as alunos/as serão convidados pelo/a professor/a a trabalharem com um jogo capaz de auxiliar no processo de ensino e aprendizagem de Ecologia.

O/a professor/a deverá propor um jogo semelhante a uma “queimada”, que poderá ser  jogado por dez jogadores/as e um/a orientador/a, que, no caso, seria o/a professor/a, o/a qual será responsável por coordenar as atividades. No decorrer do jogo, os/as jogadores/as entrarão em contato direto com diversos assuntos relacionados ao estudo de Ecologia.

Materiais necessários

a) Dez coletes para identificação dos grupos. Esses coletes podem ser feitos com TNT (o TNT é um produto constituído com polímero 100% em polipropileno que permite fácil transformação no processo de fabricação e se decompõe na natureza em seis meses.)

b. Perguntas para sorteio (vide Anexo I) para sorteio. As perguntas devem ficar em uma caixa com o/a orientador/a do jogo;

c. Cartões com opções de zero a três para eliminação de uma ou mais opções na pergunta estipulada;

d. Dez perguntas “coringa” para realização das provas de resgate e  

e. Um cartão com a pergunta para a prova de resgate

Normas

1. O jogo é iniciado com o sorteio de uma pergunta pelo/a orientador/a. Deve ser feita a leitura da mesma para os/as participantes, sendo que a pergunta refere-se a conteúdos previamente abordados em sala de aula;

2. Para jogar não há um tempo determinado. Além disso, o jogo pode ser executado tanto dentro da sala de aula como fora, devendo-se apenas delimitar um campo;

3. O jogo poderá ser utilizado após o/a professor/a abordar conteúdos referentes ao estudo da Ecologia;

4. O/a professor/a deverá adequar o grau de dificuldade das questões de acordo com os conteúdos previa­mente abordados.

Procedimentos

Cabe ao/a professor/a iniciar o jogo dividindo a turma em dois grupos de cinco alunos/as, sendo que o grupo sorteado terá o direito de começar. As regras do jogo são as seguintes:

1. O/a jogador/a do grupo que começar sorteará uma per­gunta e apontará para um/a dos/as jogadores/as do outro grupo responder.

2. O/a jogador/a escolhido/a terá que res­ponder. Caso o/a jogador/a não saiba responder a pergunta, ele/a poderá passar sua vez para outro/a jogador/a do seu grupo.

3. O/a jogador/a para o qual foi passada a pergunta deverá necessariamente respondê-la. Caso responda errado, será eliminado.

4. Quando houver apenas um/a jogador/a em um dos gru­pos formados, este/a poderá optar em executar uma prova de resgate, determinada pelo/a orientador/a do jogo, que consiste, por exemplo, em responder uma pergunta que já foi feita, mas ninguém conseguiu responder. Conseguindo acertar, o/a jogador/a poderá resgatar um/a jogador/a do seu grupo que tenha sido eliminado.

5. Ganhará o jogo quem eliminar todos/as os/as jogado­res/as do grupo adversário. As perguntas com respostas podem ser alteradas de acordo com os conceitos abordados pelo/a professor/a e também de acordo com a prova de resgate.

Referência: FREITAS, R. P.; SOUZA, K. F. C.; OLIVEIRA, M. R. et al. Jogo da queimada: uma prática para o ensino da genética. Genética na Escola, vol. 6, no. 2, p. 46-53, 2011.

 

ANEXO I

Perguntas e respostas sugeridas para o jogo*

1 - ABIÓTICO: Influências que os seres vivos podem receber em um ecossistema, derivadas de aspectos físicos, químicos ou físico-químicos do meio ambiente, tais como a luz, a temperatura e o vento.

2 - ACLIMAÇÃO ou ACLIMATAÇÃO: Adaptação dos organismos a condições de ambiente diferentes das habituais.

3 - ADUBOS: Substâncias essenciais ao perfeito desenvolvimento das plantas.

4 - AFLUENTES: Curso de água que deságua em outro curso de água, considerado principal, ou em um lago, contribuindo para lhes aumentar o volume.

5 - AQUECIMENTO GLOBAL: aumento da temperatura média dos oceanos e do ar perto da superfície da Terra.

6 - AQUÍFERO: Unidade geológica que contém e libera água em quantidades suficientes, de modo que pode ser utilizado como fonte de abastecimento.

7 - ARIDEZ: Característica de um clima relacionado com a deficiência de umidade para manter a vegetação.

8 - BIODEGRADÁVEL: É todo material que, após o seu uso, pode ser decomposto pelos microorganismos usuais no meio ambiente. Desta forma, o material, quando se decompõe, perde as suas propriedades químicas nocivas em contato com o meio ambiente

9 - BIODIVERSIDADE: A existência, numa dada região, de uma grande variedade de espécies, ou de outras categorias taxonômicas (como gêneros, etc.) de plantas ou de animais.

10 - BIOMA: Grande comunidade, ou conjunto de comunidades distribuídas numa grande área geográfica, caracterizada por um tipo de vegetação dominante.

11 - BIOSFERA: Conjunto de todos os ecossistemas da Terra.

12 - CARBONO: Elemento de número atômico seis, capaz de formar extensas cadeias de átomos, e que constitui inúmeros compostos.

13 - COLETA SELETIVA: Termo utilizado para o recolhimento dos materiais que são passíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora. Dentre estes materiais recicláveis podemos citar os diversos tipos de papéis, plásticos, metais e vidros.

14 - COOPERAÇÃO: Ocorre quando duas espécies formam uma associação não indispensável. Contudo, a associação traz vantagens para ambas.

15 - DECANTAÇÃO: Separar, por gravidade, impurezas sólidas que em um líquido.

16 - DECOMPOSIÇÃO: Processo de transformação da matéria orgânica em minerais que podem ser assimilados pelas plantas para a produção de matéria viva.

17 - DENSIDADE DAS POPULAÇÕES: Número de indivíduos presentes por unidade de superfície ou volume.

18 - DIVERSIDADE: Variedade e convivência de idéias, características ou elementos diferentes entre si, em determinado assunto, situação ou ambiente.

19 - ECOLOGIA: Ramo das ciências humanas que estuda a estrutura e o desenvolvimento das comunidades humanas em suas relações com o meio ambiente e sua consequente adaptação a ele, assim como novos aspectos que os processos tecnológicos ou os sistemas de organização social possam acarretar para as condições de vida do homem.

20 - EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Processo de aprendizagem e comunicação de problemas relacionados à interação dos homens com seu ambiente natural. É o instrumento de formação de uma consciência por meio do conhecimento e da reflexão sobre a realidade ambiental.

21 - EFEITO ESTUFA: Refere-se ao aumento da temperatura média dos oceanos e do ar. Efeito do dióxido de carbono resultante da queima de combustíveis fósseis na temperatura média da Terra.

22 - EFLUENTES: Resíduo ou rejeito (de atividade industrial, esgotos sanitários, etc.) que emana de certos corpos e é lançado no meio ambiente.

23 - ESCASSEZ: Falta, carência ou privação.

24 - ESTAÇÃO DE TRATAMENTO: Conjunto de instalações, dispositivos e equipamentos destinados ao tratamento, por exemplo, de água, esgoto ou efluentes industriais.

25 - EXTRATIVISMO: Sistema de exploração baseado na coleta e extração, de modo sustentável, de recursos naturais renováveis.

26 - FAUNA: O conjunto dos animais próprios de uma região ou de um período geológico.

27 - FERTILIZANTE: Substância natural ou artificial que contém elementos químicos e propriedades físicas que aumentam o crescimento e a produtividade das plantas, melhorando a natural fertilidade do solo ou devolvendo os elementos retirados do solo pela erosão ou por culturas anteriores.

28 - FLORA: O conjunto das espécies vegetais de uma determinada localidade.

29 - FLUTUAÇÃO: Grande variação sofrida por uma população.

30 - FRAGMENTAÇÃO: Todo processo de origem antrópica que provoca a divisão de ecossistemas naturais contínuos em partes menores.

31 - GLOBALIZAÇÃO: Fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados.

32 - HABITAT: Conceito usado em ecologia que inclui o espaço físico e os fatores abióticos que condicionam um ecossistema e por essa via determinam a distribuição das populações de determinada comunidade.

33 - HETERÓTROFO: Organismo incapaz de sintetizar as substâncias orgânicas de seu corpo a partir de substâncias minerais e que, portanto, precisa absorver substâncias orgânicas do meio. São heterótrofos animais e vegetais aclorofilados.

34 - HÚMUS: Matéria orgânica depositada no solo, resultante da decomposição de animais e plantas mortas ou de seus subprodutos.

35 - IMPACTOS AMBIENTAIS: Qualquer alteração do meio ambiente causada por atividades humanas e que afetam direta ou indiretamente o bem-estar da população, suas atividades, a biota, as condições estéticas, sanitárias e a qualidade dos recursos ambientais.

36 - INCINERAÇÃO: Processo de tratamento que usa a combustão controlada para queimar lodos de estação de tratamento de esgotos ou resíduos de diferentes naturezas e origens, com a finalidade de reduzir seu potencial poluidor ou seu volume de disposição final.

37 - LENÇOL FREÁTICO: lençol d'água subterrâneo que se encontra em pressão normal e que se formou em profundidade relativamente pequena.

38 - LIXIVIAÇÃO: Operação de separar de certas substâncias, por meio de lavagem, os sais nelas contidos.

39 - LIXO: Resíduos que resultam de atividades domésticas, industriais, comerciais.

40 - MANANCIAL: Qualquer corpo d'água, superficial ou subterrâneo, utilizado para abastecimento humano, industrial ou animal, ou irrigação.

41 - MANEJO: Ato de intervir ou não no meio natural com base em conhecimentos científicos e técnicos, com o propósito de promover e garantir a conservação da natureza.

42 - MATA CILIAR: Mata estreita existente na beira dos rios.

43 - NICHO ECOLÓGICO: Expressa a relação da espécie com seu ambiente e descreve a variedade de condições e a qualidade de recursos dentro das quais a espécie funciona.

44 - NÚCLEO URBANO: conjunto unitário de uma área urbana, em relação ao território. Cada um dos assentamentos de caráter urbano, de diversas características, que integra o sistema urbano de um determinado território.

45 - NUTRIENTES: Qualquer elemento ou composto químico necessário para o metabolismo de um organismo vivo.

46 - PESTICIDAS: Conjunto dos produtos químicos destinados a lutar contra os animais e os vegetais considerados nocivos.

47 - POLUIÇÃO: Introdução pelo homem, direta ou indiretamente, de substâncias ou energia no ambiente.

48 - PRESERVAÇÃO: Conjunto de métodos, procedimentos e políticas que visam a proteção em longo prazo das espécies, habitats e ecossistemas, além da manutenção dos processos ecológicos, prevenindo a simplificação dos sistemas naturais.

* Perguntas e respostas baseadas no conteúdo disponível em

Disponível < http://www.saoluis.ma.gov.br/custom_files/File/MINIDICION%C3%81RIO%20ECOL%C3%93GICO.pdf > acesso feito dia 10/04/2012

3ª Atividade – Atividade de campo

Nesse momento da aula, cabe ao/a professor/a realizar uma atividade de campo com os/as alunos/as pela cidade onde se situa a escola. Caso necessário, pode-se solicitar com antecedência junto à prefeitura do município um ônibus para a realização dessa atividade.

Caso não seja viável fazer a atividade pela cidade, o/a professor/a poderá propor um  percurso a pé pelos arredores da escola.

Durante o trabalho de campo, o/a professor/a poderá solicitar para que os/as alunos/as levem máquinas fotográficas digitais e que registrem a paisagem urbana e os seus diferentes ambientes: casas, praças, ruas, comércios e, inclusive, as áreas de apresentarem degradação ambiental.

Com o término do trabalho de campo, cabe ao/a professor/a orientar os/as alunos/as a se organizarem em seis grupos e utilizarem o software Kpresenter do netbook para elaborarem uma apresentação de slides com as fotos selecionadas pelos/as mesmos/as.

Finalizada a montagem das apresentações, os grupos deverão socializá-las com os/as demais, utilizando, para tanto, um kit multimídia e um data show conectados ao netbooks.

Com o termino das apresentações, cabe ao/a professor/a ser o mediador de um debate.

As questões abaixo podem ser usadas pelo/a professor/a para estimular esse debate:

1 – Durante o trabalho de campo, você observou mais componentes bióticos ou abióticos? Por quê?

2 - Explique porque as florestas têm cedido lugar a lavouras e criações de espécies animais e vegetais.

3 – Como os governantes da sua cidade lidam com o acúmulo de detritos domésticos e industriais?

4 - A sua cidade constitui um ecossistema independente ou ela depende de recursos vindos de outros ambientes? Justifique.

5 – Como ocorre a contaminação das águas subterrâneas (aquíferos)? E como elas podem ser exploradas? Explique

6 - Você observou alguma área da cidade que apresenta degradação ambiental? Que tipos de agressão ou impactos ambientais foram observados?

7 - Periodicamente são observadas inundações de grandes áreas urbanas, causando perdas de vidas e destruição do patrimônio das pessoas. Na sua cidade, existem áreas de risco de inundações? Explique.

4ª Atividade– Construindo o conhecimento

Nessa atividade da aula, cabe ao/a professor/a orientar os/as alunos/as a se organizarem em duplas para construírem gráficos utilizando o software Kolourpaint ou Microsoft Excel com os seguintes dados:

Porcentagem de Crescimento Urbano Brasileiro 1940-2000

1940 - 41 milhões (31,2%)

1960 - 71 milhões (44,7%)

1980 - 119 milhões (67,6%)

1990 - 147 milhões (75,6%)

2000 - 170 milhões (81,2%)

 

Taxa de Variação da População Urbana Brasileira

1940 - 1950 – 4,9 %

1950 - 1960 – 8,6 %

1960 - 1970 – 11,2 %

1970 - 1980 – 11,7 %

1980 - 1990 – 10,7 %

1990 - 2000 – 10,7 %

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Finalizada a construção dos gráficos, as duplas deverão responder às perguntas mencionadas abaixo.

a) Em que época houve a aceleração do processo de urbanização no Brasil?

b) Qual seria a sua estimativa de população e de urbanização para o ano de 2010?

c) Quais seriam os motivos da redução das taxas de urbanização a partir de 1980?

A seguir, as duplas deverão socializar oralmente as respostas para que o conteúdo possa ser consolidado.

5ª Atividade – Pesquisando e aprendendo

Nessa atividade da aula, cabe ao/a professor/a orientar os/as a novamente trabalharem em duplas para acessarem a internet utilizando o software Mozilla Firefox com o intuito de realizarem um levantamento de informações para a elaboração do Relatório 1. Para tanto, os sites abaixo poderão ser indicados. Vale destacar que o Esquema 1 também poderá auxiliar na elaboração do Relatório 1.

Disponível < http://educar.sc.usp.br/licenciatura/2003/ee/Efeito_Estufa.html     > acesso feito dia 10/04/2012

Disponível <  http://www.suapesquisa.com/efeitoestufa/ > acesso feito dia 10/04/2012

Disponível < http://www.mundoquente.com.br/efeitoestufa.html > acesso feito dia 10/04/2012

Esquema 1: Ilustração de formação do efeito estufa.

problemas ambientais

Fonte: LEVORATO, A. R. et al. Química: ensino médio. 2ª ed. Curitiba, 2007.

 

Relatório 1

1) Qual a diferença entre aquecimento global e efeito estufa?

2) Por que o Brasil tem maior chance de obedecer as regras do protocolo de Kyoto?

3) Qual a relação do desequilíbrio ambiental com o crescimento urbano?

4) Por que a população humana interferiu tanto na natureza no último século?

5) Quais são os gases causadores do efeito estufa?

6) Como é possível sentir a influência do efeito estufa no dia a dia?

7) Quais são os problemas futuros que o efeito estufa poderá causar?

A seguir, os/as alunos/as deverão socializar oralmente as respostas para que o conteúdo possa ser consolidado.

6ª Atividade – Socializando e aprendendo

Nessa atividade da aula, cabe ao/a professor/a propor aos/as alunos/as a realização de uma campanha para sensibilização da comunidade escolar quanto à degradação da natureza. Essa campanha pode ter caráter educativo e envolver a elaboração de faixas, cartazes ou folders, assim como a realização de palestras. É possível ainda desenvolver a campanha por meio de uma apresentação artística, seja ela uma peça teatral ou um conjunto de esquetes. Essa apresentação artística pode ser feita para a escola em um sentido mais amplo, de modo que todos/as – alunos/as, funcionários/as, professores/as e pais – possam prestigiá-la e aprender mais sobre o assunto.

7ª atividade – Retomando e finalizando

Nessa atividade, cabe ao/a professor/a retomar a questão apresentada no início da aula no momento do problematização, a saber:

- Os problemas ambientais são culpa das ações humanas ou um castigo dos céus?  

Os/as alunos/as deverão elaborar uma resposta a essa questão à luz do conhecimento produzido durante a aula, privilegiando um movimento de confrontação com as respostas e hipóteses apresentadas no início da aula. Com o intuito de promover a interação e o diálogo entre os/as alunos/as, o/a professor/a deve solicitar que a resposta seja apresentada em um texto coletivo. O/a professor/a, para tanto, pode sintetizar no quadro as principais contribuições dos/as alunos/as, de modo a auxiliá-los/as na organização da atividade  

Recursos Educacionais
Nome Tipo
A história das coisas Vídeo
Recursos Complementares

Sugestão de link para aluno/a:

Sugestão de pesquisa e leitura para o aluno/a  " A degradação ambiental" http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-degradacao-ambiental/ > acesso feito dia 10/04/2012

Sugestões de links para professor/a:

Recurso de vídeo “A  degradação ambiental” http://www.youtube.com/watch?v=yv6u8RgunUo > acesso feito dia 10/04/2012

Recurso de vídeo “A  natureza pede socorro" http://www.youtube.com/watch?v=Eq_Ds8AngIU&feature=fvst > acesso feito dia 10/04/2012

Avaliação

A avaliação dos/as alunos/as pode ser feita em todos os momentos da aula, a partir das contribuições individuais ou das contribuições do grupo como um todo, assim como a partir do envolvimento dos/as mesmos/as nas atividades solicitadas.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 2 classificações

  • Cinco estrelas 2/2 - 100%
  • Quatro estrelas 0/2 - 0%
  • Três estrelas 0/2 - 0%
  • Duas estrelas 0/2 - 0%
  • Uma estrela 0/2 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Maria de Fátima Oliveira, CENTRO DETtECNOLOGIAS íTALO BOLOGNA - SENAI , Rio Grande do Norte - disse:
    foliveira@rn.senai.br

    24/10/2013

    Cinco estrelas

    Tenho formação em outras áreas de trabalho,mas sinto-me extremamente importante nesta área de ensino/aprendizagem . E logo após acompanar o desenvolvimento desta aula ai sinto orgulho ser professora. Atenciosanebte Fátima OliveirA


  • Helaine Aparecida Mauro Desiato, LUIZ GALHARDO PROF , São Paulo - disse:
    Helainedesiato@gmail.com

    16/06/2012

    Cinco estrelas

    Parabéns como você desenvolveu a aula. Gostei e irei pratica-la com os meus alunos.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.