Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Órgãos do sentido: Visão

 

04/04/2013

Autor(es) e Coautor(es)
imagem do usuário

alessandra arce

SAO CARLOS - SP

Universidade Federal de São Carlos

imagem do usuário

DEBORA ALFARO SAO MARTINHO

SAO CARLOS - SP

Universidade Federal de São Carlos

imagem do usuário

MICHELE VAROTTO

SAO CARLOS - SP

Universidade Federal de São Carlos

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Educação Infantil Matemática Espaço e forma
Educação Infantil Arte Visual O fazer artístico
Educação Infantil Natureza e sociedade Os seres vivos
Educação Infantil Movimento Expressividade
Educação Infantil Linguagem oral e escrita Falar e escutar
Educação Infantil Movimento Coordenação
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

 

- Perceber e distinguir as informações recebidas do ambiente por meio da visão;

- Aguçar os sentidos e expressões por meio da visão;

- Compreender a função da visão e o processo de distinção de imagens;

- Descobrir e conhecer as características do órgão responsável pela visão;

- Estimular a visão;

- Identificar o órgão responsável pela visão;

- Estimular o autoconhecimento;

- Desenvolver e ampliar o vocabulário.

Duração das atividades
Aproximadamente 3 ou 4 dias, em torno de 40 minutos diários.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não há necessidade de conteúdos trabalhados previamente.

Estratégias e recursos da aula

Atividade 1: A Visão...

1.  Para introduzir a temática sobre a visão é interessante partir dos conhecimentos prévios que as crianças têm, bem como aguçar suas hipóteses em relação ao assunto.

Desta forma, sugere-se que a aula seja iniciada como a contação de uma história, feita por meio de um “Teatro de sombras”. Para realiza-lo, pode ser escolhida qualquer história de sua preferência.

 

Experimento 1: Construindo um teatro de sombras

Objetivos:- Desenvolver a imaginação;

- Estimular a visão;

- Facilitar a expressão

 

Materiais:

- 1 Caixa de papelão;

- Papel Color set preto;

- Cola;

- Estilete;

- Papel vegetal ou papel manteiga;

- Fita adesiva;

- Papel crepom vermelho;

- Papel Sulfite;

- Caneta hidrocor preta.

- Palitos de Churrasco;

 

Procedimentos:

1. Corte o fundo da caixa, deixando uma margem de aproximadamente 3 cm;

2. Encape a caixa com papel color set preto;

3. Cole o papel vegetal na janela que foi feita, na parte interna da caixa;

4. No papel sulfite desenhe o cenário fixo da história escolhida, cole os desenhos com fita adesiva na parte interna da caixa;

5. Com o papel crepom faça uma cortina e cole-a na caixa. Use uma fonte de iluminação para formar as sombras das personagens.

6. Ainda no papel sulfite faça as personagens da história. Utilize o papelão que restou para colar as personagens, de modo que fiquem mais firmes; recorte no contorno e cole-as nos palitos de churrasco.

7. Por fim, conte a história selecionada às criança, de modo que elas vejam apenas as sombras das personagens. Procure, para isso, deixar o ambiente com a iluminação baixa.

 

Resultado:

- Apenas pela visualização das sombras, as crianças deverão imaginar as personagens e os elementos que compõem a história selecionada.

 

* Maiores informações podem ser encontradas emhttp://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/98/artigo215271-2.asp

 

2. Após a contar a história por meio do “Teatro de Sombras”, em uma roda de conversa, retome com as crianças, alguns dos aspectos da história selecionada, de modo possibilitar a imaginação e criatividade diante do que foi observado. Para isso, sugerem-se as questões:

- Quem são as personagens da história?

- Como é o lugar em que a história acontece? O que tem nele?

- Quais são as características de cada personagem?

* Procure ir comparando as personagens entre si, de modo que as crianças possam refletir sobre as semelhanças e diferenças entre elas.

 

3. A partir da discussão realizada, entregue para cada criança uma folha de papel sufite, oriente-as, então, a desenharem o cenário e cada uma das personagens da história, de modo a reproduzir as características que imaginaram de cada uma, apenas pela observação de suas sombras.

 

4. Em uma nova roda de conversa, introduza novas questões, de modo a levar os alunos a refletirem sobre a visão, assim questione:

- Como conseguimos saber que tinha as referidas personagens na história (mulher, homem, cachorro, etc. – faça esta questão de acordo com a história escolhida)?

- Como conseguimos notar cada um dos elementos que tinham no cenário?

 

5. A partir desta discussão preliminar, apresente às crianças a seguinte literatura

SUHR, Mandy e GORDON, Mike. Visão. Editora: Scipione.

visao

Fonte: http://www.livrariacultura.com.br

 

* Procure fazer a leitura da história de maneira interativa, para que as crianças possam visualizar as imagens, ou ainda, pode-se utilizar como recurso fantoches.

 

6. Após a leitura, em uma roda de conversa, questione as crianças sobre os principais fatores apresentados na história, de modo a despertar o interesse sobre a visão. Para isso, sugerem-se as seguintes questões:

- O que podemos ver?

- O que cada imagem nos transmite?

- Por meio de que órgão nós enxergamos?

- O que vocês gostam de ver?

- Vocês gostam de ver imagens bem coloridas ou mais suaves?

- O que vocês sentem ao verem uma imagem bem colorida e uma imagem preta e branca?

 

7. Com base nessa discussão, questione as crianças sobre o que precisamos para enxergar. Desta forma, pode-se realizar o seguinte experimento, o qual também encontra-se disponível na aula – “Os 5 sentidos”, disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/verAula.html?aula=25770

 

Experimento 2: O que eu vejo?

Objetivos: - Aguçar o sentido da visão;

- Identificar as diferentes imagens.

 

Materiais:

- Uma lanterna;

- Diferentes figuras, das quais podem ser utilizadas obras de artes de

* Cândido Portinari:

Disponíveis em: http://www.portinari.org.br/

*Tarsila do Amaral:

Disponível em: http:// http://www.tarsiladoamaral.com.br/

*Romero Britto:

Disponível em: http://www.britto.com/

 

Procedimentos:

- Após selecionar diferentes imagens desses artistas ou de outros que ache interessante, selecione algumas obras e espalhe-as, pendurando-as ao redor de uma sala de aula.

- Feche todas as janelas desta sala, e cuide para que fique bem escura;

- Entre com as crianças, de modo a estimula-las e descobrir qual é o tesouro que verão nesta sala.

- Com as crianças dispostas de círculo, de preferência sentadas no chão sobre almofadas, pegue a lanterna e vá iluminando um quadro por vez.

- Ao final, ascenda todas as luzes da sala, e deixe que as crianças revejam, observem cada obra.

- Faça uma breve explicação de cada um dos artistas que compuseram as obras.

- Ainda no círculo faça alguns questionamentos às crianças, de modo a despertar ainda mais suas curiosidades:

- Quando nós entramos conseguimos ver algum desses quadros? Por quê?

- O que foi preciso para que enxergássemos?

- Qual quadro vocês mais gostaram? Por quê?

- O que vocês sentem quando olham para eles?

 

- A partir da discussão com as crianças peça para que elas escolham uma das obras e as reproduzam, o que pode ser feito com o auxílio de cartolinas e tinta guache.

Resultados:

As crianças além de notarem a importância da visão, irão entrar em contato com obras importantes da cultura brasileira, de modo à externalizarem suas observações a respeito destas.

 

8. Após a confecção dos quadros, os mesmos podem ser expostos na escola.

** Outros experimentos que também podem ser realizados são:

 

 

 

 

9. A fim de aguçar ainda mais a percepção sobre a importância da visão, apresente às crianças a seguinte canção:

um minutinho

Fonte: http://www.palavracantada.com.br

 

OLHA O NENÊ

PALAVRA CANTADA

Participação especial de: Fernanda Takai

Olha o Nenê

Nenê nanar

Olhar tão simplesmente... nenê nanar

Olhar pro céu

Pro céu azul

Olhar um passarinho...é um urubu

 

Olhar nenê...nenê chegar

Chegando assim tão lindo... de se olhar

Olhar lá, na linha do horizonte

Lá onde tem um parquinho que se esconde

 

Você nasceu e abriu os olhos

A luz do nenê no meu olhar

E eu vi que o mundo era bonito ver

 

Olhar para dentro do seu olhar

Como é bonito, lindo do seu olhar

Disponível em: http://www.palavracantada.com.br/audios

 

10. Com base nessa música, oriente as crianças a reproduzirem coletivamente, os elementos que compõem a canção. Para isso, pode-se confeccionar um quadro de papel craft, o qual pode ser feito da seguinte maneira:

Materiais:

- Uma folha de papel craft 50x50 cm;

- Tinta a óleo de diferentes cores (que poderá ser substituída por guache, caso seja necessário);

- Lápis ou giz preto;

- Pincéis de diferentes tamanhos;

- Recipientes com água;

- Retalhos de tecido para limpar os pincéis;

- Cavaletes (um para cada papel, para apoia-los);

- Um pedaço de papelão ou madeira nas dimensões do papel craft.

 

Procedimentos:

- Com o auxílio de fita adesiva prenda o papel craft na madeira ou papelão de modo que não solte.

- Peça para que, com o auxílio do lápis ou giz preto, as crianças façam os desenhos selecionados a partir da música ouvida;

- Em seguida, escolhem-se as cores e os pincéis. Com isso, deixe que cada criança pinte seu desenho da forma que mais lhe agrade.

 

Resultados:

Ao final exponha os quadros na escola.

 

Atividade 2: Por onde eu vejo? Conhecendo as características de nossos olhos.

1. Continuando a discussão da atividade anterior, a partir do descobrimento das crianças sobre os diferentes objetos/imagens que enxergamos e do que precisamos para isto. Introduza mais diretamente a temática da visão, chamando a atenção para o órgão responsável. Para isso, em uma roda de conversa faça o seguinte questionamento:

- O que precisamos para ver?

- Onde fica esse órgão?

- Como ele é?

 

2. Em seguida, realize o seguinte experimento:

Experimento 3: Observando meus olhos

Objetivo: Observar e distinguir as características dos olhos.

Materiais:

- Um espelho grande, ou um espelho pequeno para cada criança.

Procedimentos:

- Na própria sala de aula entregue um espelho pequeno para cada criança, ou peça para que se posicionem na frente do espelho grande (se tiver disponível algum na escola). Instigue as crianças a observarem seus olhos, destacando as características do mesmo, como por exemplo:

- Como são seus olhos?

- Onde eles ficam?

- O que têm neles?

- Qual é a cor?

- Qual é o tamanho?

 

- Após feita as questões, entregue para cada criança uma folha de papel sulfite e, com o auxílio dos lápis de cor, hidrocor, giz de cera; etc. oriente cada criança a reproduzir na folha os seus olhos.

 

Resultados:

- A partir da observação dos olhos, as crianças poderão compreender mais sobre este órgão e suas características.

 

3. Após a observação, em uma roda de conversa, traga novos questionamentos às crianças, de modo a possibilitar a reflexão acerca deste órgão:

- Será que todos os olhos são iguais?

- Os meus olhos são iguais aos do (falar o nome de um aluno/a da turma)?

- E os olhos da/o (nome de um aluno/a) são iguais aos do/a (outro nome de aluno/a)?

- Em que eles são diferentes?

- Nossos olhos são iguais aos dos animais?

- Quais outros olhos que conhecemos que são diferentes?

 

4. A partir desta discussão, pode-se apresentar às crianças diversas figuras de animais, dentre eles: coruja; peixe; gato; elefante; formiga; borboleta; abelha; sapo; etc. E com isto, pedir para que as crianças comparem os diferentes olhos de cada um desses animais.

 

5. Pode-se também, para ilustrar ainda mais esta discussão, utilizar a seguinte literatura:

RITER, Caio. A visão do pavão. Editora: Edelbra.

visão pavão

Fonte: http://www.livrariacultura.com.br

* Para dinamizar a história, procure ia apresentando as páginas do livro para as crianças. Sugere-se também, que após a contação, as crianças manuseiem a obra para melhor visualizar os elementos que a compõem.

 

5. Após esta apresentação e discussão acerca dos diferentes formatos de olhos. Procure introduzir os elementos que formam os olhos como: íris, pupila. Para isso, apresente às crianças o seguinte vídeo:

Visão, disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=Bx7xUA18wf4

* Outros recursos que também podem ser utilizados para explicar a visão são:

 

 

 

 

 

 

6. Em seguida, em uma roda de conversa, após a apresentação do vídeo, procure destacar os principais conceitos apresentados. Para isso, questione:

- Onde fica a íris?

- Onde fica a pupila?

- Pelo o que cada uma é responsável?

 

7. A partir da discussão feita, reproduza com as crianças um olho, de modo a fixar seu formato e as partes que o formam, bem como aguçar a criatividade das crianças. Desta forma, sugere-se que cada criança dividida em grupos de 2 ou 3 alunos, a partir do contorno de um olho reproduzam cada uma das partes que o formam, procure ir destacando a íris e a pupila, de modo que as crianças possam identifica-las e representa-las em suas produções.

 

Atividade 3: Por que algumas pessoas não veem, como eu vejo?  

 

1. A partir da releitura e apresentação dos conceitos sobre a visão retome cada um deles, de modo que as crianças possam compreendê-los. Desta forma, inicie trabalhando com a deficiência visual. Para isso, em uma roda de leitura apresente às crianças a seguinte personagem da turma da Mônica:

Dorinha:

dorinha

Fonte: http://www.turmadamonica.com.br

 

- História: “Dorinha, a nova amiguinha”, disponível em: http://www.monica.com.br/comics/dorinha/welcome.htm

 

- Dorinha: Turma da Mônicahttp://www.monica.com.br/mural/dorinha.htm

 

- E ainda o livro: SOUZA, Mauricio de. Oi, eu sou a Dorinha. Editora: CEDIC.

dorinha2

Fonte: http://www.livrariacultura.com.br

 

2. Com base na apresentação da personagem “Dorinha”, em uma roda de conversa, questione as crianças sobre a deficiência visual, de modo a levantar as hipóteses e impressões que os mesmos tem a respeito desta:

- Quem é a Dorinha?

- Como ela é?

- Ela vê como nós? Por quê?

- Será que ela é triste por ser assim?

- Como devemos tratar a Dorinha?

- Será que ela pode ser nossa amiga?

- Vocês conhecem mais alguém se parece com a Dorinha? Quem?

 

3. A intenção desta atividade é conscientizar as crianças sobre a importância de respeitar o próximo. Por isso, procure esclarecer que assim como nós somos uns diferentes dos outros, temos olhos uns diferentes dos outros, alguns amigos não podem ver como nós, o que significa que eles percebem o mundo de outras formas além da visão. Assim, ainda dispostas em uma roda, coloque uma venda em cada criança, oriente-as a ficarem paradas e entregue um objeto diferente a cada uma delas. Desta forma, oriente-as a manipularem e sentirem este objeto, imaginando a cor, textura, formato, etc.

Antes de tirar as vendas das crianças, retire os objetos e coloque o nome de cada criança neles, depois guarde-os, para que as crianças não os vejam.

- Retire as vendas e entregue uma folha de papel sulfite para cada criança, oriente-as então, a reproduzirem, sem ver, o objeto por elas manipulado.

- Por fim, quando todos os desenhos estiverem prontos, entregue o objeto para que as crianças comparem.

- Procure deixar claro que a visão é muito importante, porém, quando não a temos nossos outros sentidos trabalham, nos ajudando a “ver” aquilo que está à nossa volta.

 

** Outro recurso que pode ser utilizado nesta atividade é:

 

 

 

 

 

- Salientamos a importância de adaptação do material e das atividades sugeridas à cada faixa etária.

 

** Para esta atividade também, poderão ser utilizadas outras literaturas como:

BICHO ESPERTO. Eu tenho deficiência visual. Coleção: Inclusão Educacional.

RIBEIRO, Nye. Os olhos de ver. Editora: Roda & Cia.

RUTH, Rocha. O menino que aprendeu a ver. Quinteto Editorial.

SANTOS, Jorge Fernando dos. As cores do mundo de Lucia. Editora: Paulus

SECCO, Patricia Engel. A felicidade das borboletas. Editora: Melhoramentos.

 

*** Outros experimentos e ideias para trabalhar este tema, também podem ser encontrados no livro:

ARCE, A.; SILVA, D. A. S. M.; VAROTTO, M. Ensinando ciências na educação infantil. Campinas: Editora Alínea, 2011.

Ensinando ciências na Educação Infantil

Fonte: http://www.grupoatomoealinea.com.br/ensinando-ciencias-na-educacao-infantil.htm

Recursos Educacionais
Nome Tipo
Olho Hipertexto
Órgãos de sentidos - atividade 1: Será que eu vejo alguma coisa dentro da lata? Experimento prático
Órgãos de sentidos - atividade 6: Tem um rato na gaiola? Experimento prático
Recursos Complementares

a) Livros sobre o Ensino de Ciências:

- CENTRO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CULTURA - CDCC (2005). Ensinar ciências na escola. São Carlos.

*Este livro pode ser feito download pelo seguinte link: http://www.cdcc.usp.br/maomassa/livro/livro.html

- CENTRO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CULTURA - CDCC (2009). Ensino de ciências por investigação. São Carlos.

*Este livro pode ser feito download pelo seguinte: http://cdcc.usp.br/maomassa/livro09/livro09.html

- CENTRO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E CULTURA - CDCC (2005). Explorações em ciências na educação infantil. São Carlos.

*Este livro pode ser feito download pelo seguinte link: http://www.cdcc.usp.br/maomassa/Livros/livro10/livro10.html

 

b) Sites de experimentos:

http://www.cdcc.usp.br/maomassa/

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/recursos.html?busca=ciclo+da+%C3%A1gua&tipoModalidade=nivel&modalidade=87380a95&componente=&tema=&tipoRecurso=578208a6&idioma=15600e5&ordem=0&x=29&y=3&ba=true#resultado

Avaliação

A avaliação será realizada ao longo de todo o processo, e deverá ser considerado: o interesse do aluno pelo assunto trabalhado, sua participação e envolvimento nas diferentes situações propostas; a interação e reflexão em grupo, a compreensão da temática, por meio da expressão de suas ideias, sentimentos, observações, conclusões.

 

Como sugestão de avaliação, também poderá ser realizada a seguinte atividade: com os conceitos e discussões da aula, divida os alunos em grupos de 4 ou 5 colegas, e peça para que cada grupo invente uma história diferente, na qual seja contemplada todas as informações sobre a visão. Ao final, peça para cada grupo criar um “Teatro de Sombras”, de modo a confeccionar as personagens que irão explicar e contar sobre o que foi aprendido. Tal atividade pode ser feita com o auxílio de diferentes materiais como: cola; tesoura; tiras de papel; massinha de modelar; cola colorida; glitter; lantejoulas; pedaços de EVA; tecido; hidrocor; tinta; galhos secos; flores; terra; grama; etc.

 

*Obs: A avaliação encontra-se de acordo com Referencial Curricular Nacional de Educação Infantil, vol 3. Natureza e Sociedade, consistindo em uma tarefa permanente, na qual o professor, mediante a investigação e reflexão acerca das manifestações das crianças: observa o que sabem fazer, o que pensam à respeito dos fenômenos que observam, o que ainda lhes é difícil entender, os interesses que possuem, as aquisições obtidas em vista de todo o processo vivido e em relação com os objetivos propostos. O que o auxilia na adequação dos conteúdos propostos, no tempo e no ritmo de trabalho, para que assim, possa dar continuidade ao seu planejamento e à apresentação de novos conteúdos e atividades, que visem a promoção de situações significativas na aprendizagem da criança, fazendo-a avançar em seu desenvolvimento e na interação com o meio.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 4 classificações

  • Cinco estrelas 3/4 - 75%
  • Quatro estrelas 1/4 - 25%
  • Três estrelas 0/4 - 0%
  • Duas estrelas 0/4 - 0%
  • Uma estrela 0/4 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.