Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Lei Maria da Penha: é melhor educar do que punir

 

27/04/2011

Autor e Coautor(es)
FRANCISCO FERREIRA DE DEUS HENRIQUE
imagem do usuário

IMPERATRIZ - MA CE GOVERNADOR ARCHER

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio Língua Portuguesa Relações sociopragmáticas e discursivas
Ensino Médio Artes Arte Visual: Contextualização
Ensino Médio História Cidadania: diferenças e desigualdades
Ensino Médio Sociologia Movimentos sociais / direitos / cidadania
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Valorizar a mulher
  • Ver a mulher como parceira na construção da sociedade
  • Analisar situações em  que os agressores de mulheres podem ser punidos
  • Produzir textos dissertativos envolvendo temas polêmicos e atuais
  • Prevenir-se contra a prática de agressões físicas, entre outras
  • Tomar parte nas discussões em defesa da dignidade da mulher
  • Cobrar das autoridades o que está previsto na lei
  • Incentivar as mulheres a denunciarem seus agressores
  • Posicionar-se contra a impunidade
  • Ler e conhecer o teor da Lei Maria da Penha
  • Discutir sobre este assunto em rodas de amigos
  • Levar para casa, informações básicas contra agressões a mulheres
Duração das atividades
5 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

 O professor deve trabalhar as questões do preconceito racial, racismo, discriminação, machismo e violência doméstica, motivando o aluno a tomar posição e argumentar sobre situações complexas.

Estratégias e recursos da aula

1ª Aula:  A introdução deve ser feita pelo professor, com algumas inquietações sobre o assunto que  motivem a  interação  entre o professor e os alunos. Ex: Quem já ouviu falar na Lei Maria da Penha? Observar quem já ouviu e quem ainda não ouviu falar e provocar uma rápida discussão sobre esta pergunta.

Em seguida, encaminhar a turma para o laboratório de informática, dividida em 6 grupos, em torno de 5 ou 6 alunos, usando computadores, internet, impressora e pendrive.  Pedir que acessem  o  texto da  Lei Maria da Penha: do papel para a vida, disponível no link  http://www.assufba.org.br/legis/leimariadapenha.pdf, para conhecer o teor da Lei, pesquisar e tirar dúvidas, em dúplas, ou trios. Pode-se imprimir ou colocar em pendrive para futuras leituras. Os alunos ficam livres para pesquisarem em outros sites, a fim de  enriquecerem  seus conhecimentos, e elaborarem seus trabalhos propostos.

Grupo 1.  A história da Lei Maria da Penha. Disponível em: http://www.mariadapenha.org.br/a-lei/a-historia-da-maria-da-penha

Grupo 2.  Histórias reais. Disponível em: http://www.mariadapenha.org.br/historias-reais/

Grupo 3.  Como podemos te ajudar. Disponível em: http://www.mariadapenha.org.br/sobre/subcategoria1/

Grupo 4.  Perguntas mais frequentes. Disponível em: http://www.mariadapenha.org.br/a-lei/perguntas-mais-frequentes

Grupo 5.  Missão e Ação da Lei. Disponível em: http://www.mariadapenha.org.br/a-ame/atuacao

Grupo 6.  O que mudou com a Lei 11.340?  Disponível em: http://www.leimariadapenha.com/

 

                                                                    A Lei Maria da Penha

                                                          Imagem 1- capa da cartilha da Lei Maria da Penha: do papel para a vida,

                                                              Disponível em:  http://www.assufba.org.br/legis/leimariadapenha.pdf

 

2ª Aula: Retomar com os 6 grupos para a discussão. Cada grupo com um líder, para cronometrar o tempo e um secretário para anotar as falas mais importantes, que poderão ser uteis nas apresentações dos trabalhos. Cada grupo vai escolher o que fazer, nas seguintes propostas de produção textual ou apresentação lúdica, como atividade: poesia, reportagem, paródia, jogral, palavras-cruzadas, entrevista, resgate histórico, dramatização, júri simulado, questionário painel ou mural.

As atividades não poderão ser repetidas. Dependendo da atividade, o grupo  escolhe os tipos de tecnologias e mídias adequadas para a elaboração e apresentação do trabalho. Para aprofundar as discussões pode-se acessar o site Território Mulher, para assistir à entrevista de Ana Maria C. Bruni, disponível em http://www.territoriomulher.com.br/index.asp?!=5/8/2007  e responder  às 5 questões a seguir.

Atividade discussiva: o professor deve organizar as equipes por ordem, e assumir o papel de intermediador  entre as mesmas. Cronometrar o tempo, para evitar que umas falem mais e outras falem menos. Organizar as perguntas e respostas de forma que todos perguntem, respondam e entendam.

       

         1. Quais são as principais causas de agressões contra  mulheres?

         2. Por que existem homens que agridem  mulheres?

         3. Por que existem  maridos que  agridem as próprias esposas?

         4. As mulheres estão superando preconceitos?

         5. É melhor educar a sociedade para evitar violência  ou construir presidios para punir agressores?

 

Após as discussões, os grupos se reunirão para elaborar cada um seu  script, que deverá  ser entregue ao professor  antes  das apresentações, esse, servirá de orientação para o professor nas avaliações. O professor observará se as atividades apresentadas estão de acordo com o conteúdo do script. Concluir o horário com o filme com a entrevista de Ana Maria C. Bruni.

 

Entrevista de Ana Maria

Imagem 2- Imagem  do vídeo com a entrevista de Ana Maria C. Bruni,

Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=wRTS4Dc3ZMQ

Para a 2ª aula o professor deve  prevenir-se  com 2 horários,  para evitar interrupção das atividades.

 

3ª Aula:  Em dois horários seguidos serão apresentados os trabalhos por  equipe,  para outras turmas convidadas, podendo também  convidar  pessoas da comunidade, como organizações de mulheres, diretores, professores, funcionários da escola etc. Cada equipe deve estar preparada com seus materiais confecionados e os recursos tecnológicos necessários. Ex: o grupo que escolheu paródia,  deve ter preparado seu microssystem, CD, ou pendrive; o que escolheu o mural  deve usar recortes, fotografias, pinturas, cartolina, lápis de cera ou de cores; o que escolheu dramatização, deve ter ensaiado e está pronto para apresentar, etc.

Computador/Internet

Impressora/Papel

Pendrive

Microssystem

Caixa de som/Microfone

Câmera digital

Datashow

Cartolina/Cola

Pinceis/Lápis de cores

Fotografias/Recortes

Recursos Complementares
Avaliação

Na  avaliação, o professor deverá levar em conta o envolvimento  das equipes, quanto ao empenho, criatividade nas apresentações, socialização, segurança nas discussões, tomada de posição sobre o assunto e entrega dos scriptes de cada trabalho elaborado de acordo com o aprofundamento do tema.

Para cada trabalho apresentado e entregue, o professor deve verificar o nível de conhecimento alcançado por aluno e pelo grupo. Observar se nas falas os alunos estão dispostos a contribuir, direta ou indiretamente, com a diminuição da violência contra  mulheres.

O professor de Artes, deve levar em conta também a confeção de adereços, murais, pinturas, paineis e a dramaturgia. Entre outros aspectos afins apresentados.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 6 classificações

  • Cinco estrelas 6/6 - 100%
  • Quatro estrelas 0/6 - 0%
  • Três estrelas 0/6 - 0%
  • Duas estrelas 0/6 - 0%
  • Uma estrela 0/6 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Ízea Folha Damasceno Santos, CE Governador Archer , Maranhão - disse:
    izeafolha@hotmail.com

    24/01/2012

    Cinco estrelas

    É uma sequência didática bastante interessante, diversificada, dinâmica. Gostei da possibilidade de variar os gêneros textuais na apresentação dos trabalhos dos alunos. Temáticas polêmicas devem ser trabalhadas em sala de aula. O estudo da Lei Maria da Penha é fundamental, pois muitos a conhecem só de ouvir falar e há muita gente sofrendo por falta de conhecimento. O envolvimento com os artigos promove apropriação do conteúdo da Lei, fundamentando o trabalho dos alunos. Parabéns, Professor!


  • Marcio Miranda Santos, Colégio Santo Antonio , Minas Gerais - disse:
    mirandamar29@yahoo.com.br

    18/09/2011

    Cinco estrelas

    Franciso, A sua aula ficou excelente,neste exato momento estou trabalhando com o video lançado pela tv escola:Silêncio das inocentes.Pra ficar melhor vou aproveitar a sua aula para sistematizar o conteúdo. Parabéns! Marcio Miranda


  • Ester, Escola Estadual Sítio Conceição , São Paulo - disse:
    ester.sems@bol.com.br

    17/05/2011

    Cinco estrelas

    Achei muito interessante para orientar nossos familiares e trabalhar esse conteúdo com nossos alunos e pais de alunos também.


  • Rosa Maria Pinto da Silva, COLEGIO ESTADUAL JOAO BATISTA NASCIMENTO , Sergipe - disse:
    rosa-pds@hotmail.com

    10/05/2011

    Cinco estrelas

    Gostei muito, amei a sugetaõ das aulas com essa temática, pois é um assunto que todas as pessoas deveriam conhecer, por isso, vou trabalhar com os meus alunos. Ok!


  • FRANCISCO FERREIRA DE DEUS HENRIQUE, CE GOVERNADOR ARCHER , Maranhão - disse:
    francisco.ddeus@hotmail.com

    30/04/2011

    Cinco estrelas

    Comentário do autor: Toda a sociedade sabe que educar é um processo contínuo e, por não nos preocuparmos com isso, pagamos muito caro pela nossa própria ignorância. É com esse intuito que tento ser um colaborador na educação dos nossos jovens que formarão as futuras famílias. Que sejam famílias de bem. Caso contrário, nosso país não terá mais lugar, em pouco tempo, para a construção de cemitérios e presidios.


  • Cida Marconcine, NTE - Imperatriz , Maranhão - disse:
    cidamarconcine@hotmail.com

    28/04/2011

    Cinco estrelas

    Francisco Sua aula vai oportunizar a quebra de muitos preconceitos, assim como um alerta e informação aos jovens para a realidade social da mulher hoje no Brasil. Material de pesquisa muito bom... parabéns e continue assim, e quando precisar, é só contar com a gente. Grande beijo


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.