Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Revolução Francesa: da França para o mundo.

 

28/06/2011

Autor e Coautor(es)
Augusto Carvalho Borges
imagem do usuário

BELO HORIZONTE - MG Universidade Federal de Minas Gerais

Camila Nunes Vieira Gonçalves, Lígia Beatriz Paula Germano

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Médio História Poder
Ensino Médio História Cidadania: diferenças e desigualdades
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo História Relações de poder e conflitos sociais
Ensino Médio História Tempo: transformações e mentalidades
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo História Cidadania e cultura contemporânea
Ensino Médio História Cultura
Ensino Médio História Processo histórico: nações e nacionalidades
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  •  Maiores detalhes sobre a Revolução Francesa;

  •  aspectos como o movimento deflagrador da Revolução e os elementos que levaram ao colapso da estrutura sociopolítica;

  • o papel desempenhado pelo povo durante o processo revolucionário, bem como a importância da burguesia para o mesmo;

  • refletir criticamente sobre as ideias que caracterizaram este processo histórico e a sua repercussão, a qual alcançou o mundo ocidental e inaugurou a contemporaneidade. 

Duração das atividades
Sete aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
  • A influência do Iluminismo como a corrente de pensamento que atacou o Antigo Regime.

  • A Revolução Industrial como fator paralelo e responsável pela mudança verificada nas várias esferas da vida do homem ocidental.

  • Leitura e interpretação de gráfico de setor.

Estratégias e recursos da aula

Introdução

 

O professor deverá expor brevemente os temas de referência: o Iluminismo e a Revolução Industrial, identificando suas principais características. Deverá destacar o fato de que o Iluminismo implicava a abolição da ordem política e social vigente na Europa, bem como a Revolução Industrial indicava uma nova ordem socioeconômica. 

 

Em seguida deverá apontar para a situação em que a França se encontrava nos anos anteriores à Revolução. Poderá destacar o fato de que era a mais poderosa e, sob muitos outros aspectos, a mais típica das aristocráticas monarquias absolutistas. 

 

Desenvolvimento

 

Aula 1

 

Atividade: análise de imagem e gráfico

 

Primeiramente, as imagens deverão ser apresentadas aos alunos. Em seguida, o professor deverá propor a seguinte questão: O campesinato na França vivia na miséria. O Estado, em crise, recrudesceu a exploração com o objetivo de manter as condições da Nobreza e do Alto Clero. Tais circunstâncias culminaram em uma mobilização das massas. As “revoluções camponesas” viriam a constituir um importante elemento do processo revolucionário. Considerando tais constatações, podemos pensar o processo de mudanças políticas e sociais como reflexo da economia?

 

Obrigações feudais

As obrigações feudais, gravura do século XVIII.

Disponível em: http://4.bp.blogspot.com/_tkCBMbxTkZM/S6eyTZmBjKI/AAAAAAAAAUc/n5UeoorEzzM/s320/OsTr%C3%AAsEstados3.jpg

 

Luncheon with oysters

Luncheon with oysters. Jean-François de Troy.

Disponível em: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:De_Troy_Oyster_Lunch.PNG

 

Divisão da sociedade francesa

Divisão da sociedade francesa no século XVIII.

Disponível em: http://clioemquestao.files.wordpress.com/2010/03/divisao-da-sociedade-francesa.jpg

 

A análise e interpretação do gráfico tem por finalidade informar aos alunos, em termos concretos (dados numéricos), a situação social francesa no século XVIII. O professor poderá projetar, por meio de retro-projetor ou data show disponíveis na escola, as imagens porpostas para esta aula.

 

Como segundo passo, a partir das respostas registradas no passo anterior e das conclusões do debate, os alunos deverão identificar outros elementos que poderiam contribuir para que as drásticas mudanças acarretadas pela Revolução Francesa ocorressem. A atividade será feita na sala de aula.

 

Eles poderão fazê-lo a partir do seguinte esquema, disponível em:

http://clioemquestao.files.wordpress.com/2010/03/french_revolution_portugues-jpg1.jpg

 

Aula 2

 

 O conflito entre a estrutura oficial, com seus interesses estabelecidos, e as novas forças sociais que despontavam nos cenários econômico e social era mais intenso na França do que em outros locais. Novas classes surgiam para além dos três Estados, entre as quais um grupo social que deu ao movimento revolucionário uma unidade efetiva: a Burguesia.Os burgueses defendiam que somente por meio do livre mercado, isento de regras criadas pelo Estado, poder-se-ia garantir a igualdade e a prosperidade econômica.

 

Em agosto de 1789, a Assembleia Constituinte aprovou a famosa “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão”. Inspirada nos ideais iluministas, declarava que todos os homens nascem livres e iguais em direitos e que a única fonte de poder é o próprio povo.

 

O professor poderá apresentar a seguinte imagem para ilustrar a exposição. O texto documento "Declaração dos direitos do homem e do cidadão" será disponibilzado na atividade proposta para esta aula.

 

Declaração dos direitos do homem e do cidadão

Declaração dos direitos do homem e do cidadão.

Disponível em: http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a0/Declaration_of_Human_Rights.jpg

 

Atividade: análise de documento e debate

 

Do texto da declaração, podemos extrair muitas informações. Ele pode também ser interpretado de diferentes formas, como, por exemplo, um manifesto contra a sociedade hierarquizada de privilégios concedidos aos nobres e ao Alto Clero, no qual podemos perceber as principais exigências burguesas, entre elas a inviolabilidade da propriedade privada.

 

O professor deverá promover, na sala de aula, a leitura pelos alunos dos artigos da “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão”. Os artigos encontram-se disponíveis em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Declara%C3%A7%C3%A3o_dos_Direitos_do_Homem_e_do_Cidad%C3%A3o

 

Esta atividade será feita em sala de aula. O professor deverá imprimir e fazer uma cópia do texto da Declaração para cada grupo Após a leitura dos artigos, os alunos deverão responder à seguinte pergunta: O conteúdo da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão era a favor de uma sociedade democrática e igualitária? Explique, exemplificando com alguns artigos da declaração.

 

Os alunos deverão ser divididos em grupos para discutir a questão proposta. Cada grupo deverá apresentar sua conclusão, verbalmente, diante dos outros. Em seguida, o professor deverá organizar um debate entre os grupos, os quais, por sua vez, deverão apresentar, verbalmente, argumentos para justificar sua resposta.

 

Os alunos poderão fazê-lo a partir da leitura do conteúdo do seguinte site: http://www.algosobre.com.br/historia/revolucao-francesa-1789-1799.html. O acesso tem como objetivo auxiliar na resposta à questão proposta para esta aula.

 

Aula 3

 

O governo francês tinha gastos superiores à sua arrecadação. Em 1788, um relatório de finanças mostrou que o tesouro real estava praticamente vazio. A França era uma Monarquia constantemente abalada por guerras internacionais, principalmente contra a Inglaterra. O custo elevado da guerra acarretava dificuldades que levariam o país a uma crise política interna da qual, seis anos mais tarde, derivaria a Revolução.

 

Atividade: Assembleia dos Estados Gerais Os alunos deverão ser divididos em seis grupos. Cada grupo deverá fazer uma pesquisa na Internet sobre quais seriam os interesses dos conjuntos relacionados abaixo.

 

Grupo 1: “Interesses do Rei”.

Sites para pesquisa: http://www.mundoeducacao.com.br/historiageral/antecedentes-revolucao-francesa.htm

http://educacao.uol.com.br/historia/absolutismo-na-franca-formacao-do-estado-nacional-frances.jhtm

Grupo 2: “Interesses do Alto Clero da Igreja”.

Sites para pesquisa: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Igreja_Cat%C3%B3lica#Do_Regalismo_.C3.A0_Restaura.C3.A7.C3.A3o

http://educaterra.terra.com.br/voltaire/mundo/rev_francesa5.htm

Grupo 3: “Interesses da Nobreza”.

Sites para pesquisa: http://bibariqueveralui.sites.uol.com.br/revfrancesa.html

http://educaterra.terra.com.br/voltaire/mundo/rev_francesa5.htm

Grupo 4: “Interesses dos Burgueses”

Sites para pesquisa: http://www.brasilescola.com/historiag/revolucao-francesa2.htm

http://clioemquestao.wordpress.com/2010/03/11/revolucao-francesa-esquemas-de-aula/

Grupo 5: “Interesses dos Camponeses”.

Sites para pesquisa: http://www.colegioweb.com.br/historia/a-revolucao-francesa.html

http://www.brasilescola.com/historiag/revolucao-francesa.htm

Grupo 6: “Interesses dos Trabalhadores Urbanos, também conhecidos como Sans-culottes.

Sites para pesquisa: http://www.brasilescola.com/historiag/sansculottes.htm

http://www.paulosouza.org/hist003.htm

 

Lembrar os alunos que os camponeses, os burgueses e os trabalhadores urbanos (a “gente comum”) estão contidos no terceiro Estado, isto é, uma única entidade para representá-los na Assembleia.

 

Esta atividade poderá ser feita na sala de aula ou, se possível no auditório ou anfiteatro da escola. Os grupos deverão debater sobre os diferentes interesses apresentados na Assembleia, tomando para si os anseios de cada grupo representado. O professor poderá integrar o Grupo do Rei e deliberar qual dos grupos terá suas necessidades contempladas prioritariamente, considerando o grupo que teve a melhor argumentação.

 

Aula 4

 

Os anseios da nobreza ficaram conhecidos com uma “reação feudal” que traduzia a postura dos nobres diante dos problemas do Estado, principalmente relacionados à exploração do terceiro Estado. Os direitos sobre o monopólio da terra foram reforçados, bem como o seu papel de classe militarizada.

 

A “massa heterogênea” antiabsolutista, já presente na Assembleia dos Estados Gerais, revela, porém, uma “hegemonia burguesa” e uma reivindicação pela igualdade de condições.

 

O período decisivo que antecedeu e assistiu à reunião dos Estados Gerais foi marcado também pela crise econômica que fez com que o povo se levantasse contra o “tradicional emissário da miséria”: a administração real. O professor poderá usar imagem abaixo para ilustrar a exposição.

 

Trois ordres

Trois ordres. O terceiro estado carregando o primeiro e segundo estados nas costas.

Disponível em: http://www.moderna-contemp.uerj.br/outros_materiais/imagens/rev_fra/300px-Troisordres.jpg

 

Atividade: seminário

 

Após expor brevemente os aspectos relacionados acima, o professor deverá propor a seguinte questão aos alunos: “Podemos dizer que a Revolução começou como uma tentativa aristocrática de recuperar o controle do Estado?”

 

Valendo-se dos conhecimentos apreendidos na aula anterior, os alunos poderão responder a esta pergunta em um seminário. Dispostos em roda, a palavra será dada aos alunos que se elegerem. Para incentivar o debate, o professor poderá indagar se a frase porposta para a questão - "A Revolução Francesa começou como uma tentativa aristocrática de recuperar o controle do Estado" - está correta ou incorreta.

 

Conteúdo auxiliar disponível em: http://www.algosobre.com.br/historia/revolucao-francesa-de-1789-a.html

 

Aula 5

 

Nesta aula o professor irá trabalhar com os alunos as ideias que ficaram conhecidas como o lema da Revolução Francesa: “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”. Também irá propor uma análise sobre os significados de revolução.

Considerando-se a Revolução Francesa como um rompimento em relação a um regime vigente anteriormente ao seu triunfo, podemos entender a liberdade como o seu princípio norteador e o meio pelo qual a subversão de valores se concretiza. Para que a mudança se dê de fato, os homens têm de ser livres para promovê-la. A liberdade seria também o objetivo pelo qual o processo revolucionário se desenrolará e seus participantes lutarão.

 

Podemos distinguir aqui duas concepções de liberdade:

  • A liberdade individual, por meio da qual todos os homens são livres para ir e vir, sem que sejam constrangidos por nenhum outro homem ou instituição;

  • A liberdade para reivindicar a mudança em alguma esfera da vida pública, como uma forma de governo que atenda melhor às necessidades do povo a ele submetido.

 

Atividade: quadro comparativo

 

Os alunos deverão montar, em grupos, um quadro comparativo com o objetivo de identificar diferentes concepções de liberdade. Caberá ao professor apontar as duas concepções distintas de liberdade verificadas em dois momentos diferentes da Revolução:

  • A liberdade social, em que uma participação constante e intensa na vida pública garante uma condição plenamente livre e o cumprimento dos direitos do cidadão. Esta foi a liberdade aspirada durante o período jacobino;

  • A liberdade individual, em que há a igualdade jurídica, a qual garante a possibilidade de que todos os homens possam concorrer pela ascensão social por meio, exclusivamente, de seu mérito pessoal. No período pós-revolucionário, veio acompanhada de um desinteresse pela vida pública.

 

Conteúdo auxiliar disponível em: http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=435

 

A atividade poderá ser feita no laboratório de informática e os alunos poderão montar o quadro utilizando os recursos do computador. Os quadros comparativos poderão ser gravados e acessados sempre que os alunos sentirem necessidade.

 

A partir do exemplo dado acima sobre como abordar o conceito, os alunos também deverão montar quadros comparativos sobre a igualdade e a revolução. Sobre a igualdade, o professor também deverá apontar concepções distintas, como a igualdade formal e a igualdade real, a igualdade de direitos e a igualdade de condições.Conteúdo auxiliar, disponível em: http://www.montfort.org.br/old/index.php?secao=cadernos&subsecao=religiao&artigo=revolucaofrancesa&lang=bra

 

A respeito da ideia de revolução, o professor poderá chamar a atenção dos alunos para o fato de a revolução assumir um significado distinto daquele que estamos habituados: o de retorno a formas políticas já estabelecidas. Aqui o professor poderá recuperar a discussão da quarta aula. Conteúdo auxiliar, disponível em: http://educacao.uol.com.br/sociologia/ult4264u37.jhtm

 

Sobre a fraternidade no contexto da revolução, os alunos poderão partir do site http://www.mundodosfilosofos.com.br/lea4.htm

 

O objetivo da atividade é fazer com que os alunos possam analisar o processo revolucionário à luz das diferentes concepções que o orientaram, a fim de compará-las com as posturas adotadas na prática por aqueles que o levaram a cabo.

 

Aula 6

 

A Constituição promulgada em 1791 estabeleceu a separação dos três poderes, consagrou as liberdades individuais e determinou a eleição de deputados da Assembleia Legislativa, definindo a França como uma Monarquia constitucional e marcando o fim do Absolutismo. A burguesia se beneficiou do novo arranjo político, com a aprovação de leis que garantiam a liberdade de mercado, por exemplo.

 

A Assembleia pressupõe a igualdade entre os participantes, os Estados Gerais não. Aponta para uma França distinta do pré-1789, mas a sua fragilidade fica evidente devido à latência das contradições internas que permaneceram. A revolução foi, de fato, feita pelo terceiro Estado, por camponeses, pela grande e pequena burguesia e pelos sans-culottes em conjunto. As camadas populares, entretanto, sentiam-se prejudicadas, os camponeses sem terra, os trabalhadores urbanos sem medidas que os assistisse diretamente. Elas foram, então, levadas a novas jornadas de lutas para que suas necessidades fossem supridas. O povo estava disposto a aprofundar a Revolução.

 

“As revoluções” dentro da Revolução caracterizam-se por um conjunto de movimentos autônomos e simultâneos mobilizados por determinações diferentes. Há uma diversidade de anseios, mas foi a partir de todo o processo revolucionário que o povo francês percebeu a si mesmo como um agente capaz de modificar a situação vigente. Um motim de fome, por exemplo, assume uma conotação política a partir de então.

 

Atividade: pesquisa e seminário

 

Os alunos deverão pesquisar via Internet, em três grupos, os movimentos revolucionários abaixo relacionados.

Grupo 1: “A Revolução dos deputados” – o terceiro Estado proclama-se Assembleia Nacional.

Site para pesquisa: http://www.brasilescola.com/historiag/revolucao-francesa-assembleia-nacional.htm.

Grupo 2: “A queda da Bastilha” – as jornadas (motins) de Paris; a origem dos sans-culottes.

Site para pesquisa: http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=179

Grupo 3: “O Grande Medo” – os motins de fome.

Site para pesquisa: http://portaldoestudante.wordpress.com/2008/03/01/revolucao-francesa/

 

A partir dos temas pesquisados, o professor deverá propor a seguinte questão: o que evitou que a Revolução terminasse em 1791?

 

A resposta deverá ser construída em sala. O exercício poderá ser feito na forma de um seminário organizado pelo professor após as pesquisas realizadas nos sites sugeridos.

 

Aula 7

 

As ideias que viriam a caracterizar o processo revolucionário francês reverberaram não só nas esferas política, econômica e social, mudaram também os hábitos domésticos, o vestuário e até a contagem do tempo.

A aspiração à liberdade, à autonomia do indivíduo e à transformação tocou também a arte. Na Alemanha, Ludwig van Beethoven (1770-1827), um republicano simpático aos ideais revolucionários franceses, “revolucionou” a música ao desrespeitar as regras acadêmicas em suas composições, conhecidas por serem ousadas e livres, marcadas pela originalidade. O professor poderá utilizar a imagem abaixo para ilustrar a exposição.

 

Ludwig van Beethoven

Ludwig van Beethoven.

Disponível em: http://www.jblog.com.br/media/57/20110325-Beethoven.jpg

 

Atividade

 

Primeiramente, o professor deverá propor a seguinte atividade aos alunos: organizar, de forma objetiva, as principais consequências do processo revolucionário francês no mundo ocidental. A atividade deverá ser feita em grupo na sala de aula. Cada grupo deverá abordar um dos aspectos abaixo relacionados:

  • Nas instituições políticas.

Site para pesquisa: http://www.permanencia.org.br/drupal/node/1334

  • No domínio das ideias.

Site para pesquisa: http://www.silvafilho.com.br/noticias/a-revolucao-francesa-e-seus-efeitos-no-brasil/

  • Na esfera social.

Site para pesquisa: http://noradar.com/enem/index.php?option=com_content&task=view&id=69&Itemid=34

 

A tarefa poderá ser feita em tópicos. Os alunos deverão observar elementos que teriam influenciado as sociedades atuais.

Conteúdo auxiliar, disponível em: http://www.ufv.br/dee/evonir/46021.htm

 

Segundo a ideologia burguesa, todos têm condições de se tornarem bem-sucedidos, desde que se trabalhe o suficiente para tanto. Ver conteúdo auxiliar disponível em: http://histfacil.blogspot.com/2009/08/o-imperio-napoleonico-e-o-congresso-de.html

 

Quando dizemos que a Revolução Francesa inaugurou a contemporaneidade, compreendemos que ela introduziu valores verificados no mundo de hoje. Expostas estas constatações, o professor deverá propor as seguintes questões:

  • Se todos têm condições de alcançar o sucesso por meio do trabalho e do esforço pessoal, podemos dizer que vivemos sob um regime igualitário?

  • Na sociedade brasileira há igualdade de condições?

Para responder aos itens acima, os alunos deverão basear-se em suas próprias experiências como jovens no mercado de trabalho ou nas experiências de familiares e conhecidos. Também deverão retornar ao conceito de igualdade (e suas significações) trabalhado na quinta aula. As respostas deverão ser socializadas com a turma e um debate deverá ser orientado pelo professor.

 

Conclusão

 

Ao final destas aulas, os alunos deverão ser capazes de compreender os elementos que definiram o processo revolucionário francês, bem como identificar os componentes históricos que influenciaram as sociedades ocidentais atuais. O aluno terá acesso a diferentes perspectivas sobre fatos históricos consagrados e as ideias a eles relacionados. Poderá identificar, ainda, os aspectos que elegeram a Revolução Francesa à condição de acontecimento sem precedentes na história da humanidade.

Recursos Complementares

 

 


Avaliação

A avaliação deverá ser feita à medida que os alunos concluírem as atividades. Considerando a amplitude do tema trabalhado, é importante que os alunos construam o conhecimento sobre o processo histórico, explorando as ideias que o definiram e associando-o a temas atuais. Os gráficos e textos indicados apontam os dados a partir dos quais os alunos poderão avaliar as diferentes perspectivas sobre o tema, inclusive a que é indicada na aula.

As atividades em grupo têm a finalidade de promover o debate entre os alunos sobre os temas trabalhados, para que eles mesmos possam identificar a melhor direção ao responder às questões propostas. A partir do debate, os alunos poderão comparar suas conclusões, avaliando suas diferenças e compreendendo a diversidade de entendimentos possíveis.

O quadro comparativo proporciona um entendimento a partir do confronto de informações que se referem a um mesmo tema ou, ainda, a um mesmo termo, como é o caso da atividade proposta na terceira aula.

Atividades como a proposta na terceira aula visam a uma identificação dos alunos com o tema, bem como despertar seu interesse por meio de momentos descontraídos que extrapolem a ideia de transmissão de conteúdos.

O professor poderá avaliar as atividades propostas ao final de cada aula, observando, primeiramente, se os alunos concluíram as atividades. Em seguida, deverá observar, em cada aula, se as atividades contribuíram para que os alunos absorvessem o conteúdo, utilizando-o nas atividades seguintes.

As atividades de pesquisa poderão ser consideradas satisfatórias se os alunos forem capazes de prosseguir com o trabalho a partir do conteúdo acessado. As discussões, orientadas pelo professor, deverão suscitar questões e gerar respostas sobre o tema debatido. Os registros poderão servir de referência às atividades que solicitarem comparações e reflexões ao longo das aulas.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 2 classificações

  • Cinco estrelas 1/2 - 50%
  • Quatro estrelas 1/2 - 50%
  • Três estrelas 0/2 - 0%
  • Duas estrelas 0/2 - 0%
  • Uma estrela 0/2 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.