Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


“Música de protesto” durante a Ditadura Militar no Brasil - UCA

 

15/07/2011

Autor e Coautor(es)
Getúlio Ribeiro
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA

Leide Divina Alvarenga Turini; Elmiro Lopes da Silva

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Final História Cidadania e cultura no mundo contemporâneo
Ensino Fundamental Final História Nações, povos, lutas, guerras e revoluções
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Relacionar parte da produção musical brasileira à conjuntura política em fins da década de 1960
  • Analisar músicas e trajetórias de artistas brasileiros cuja produção/postura confrontou diretamente a Ditadura Militar
  • Discutir a questão da “censura prévia” ocorrida no período militar
Duração das atividades
07 aulas de 50 minutos
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

A instauração da Ditadura Militar no Brasil a partir de 1964.
 

Estratégias e recursos da aula

1

-

Abaixo, a discriminação dos aplicativos utilizados na aula e as especificações para executá-los no sistema Linux do Netbook do projeto UCA:

Kword- Menu K - Metasys - Aplicativos - Ferramentas de Produtividade - Suíte Escritório - Processador de Textos.

WxCam - Menu K - Aba Aplicativos – Multimídia. O Aplicativo “Visualizador de Imagens” abre o aplicativo de mesmo nome que nos permite visualizar as imagens armazenadas no disco do laptop ou em memória externa, como por exemplo, um pendrive.

Firefox - ícone “figura de um globo terrestre"  localizado na área de trabalho (Desktop).

-

ORIENTAÇÃO INICIAL

Nas três primeiras atividades desta aula, faremos a audição e análise de músicas lançadas entre os anos de 1968 e 1987, nos quais a sociedade brasileira viveu sob o Regime Militar e, depois de seu fim, sob suas históricas consequências.

Analisaremos "Música de protesto", ou seja, músicas com conteúdo contestador (caracterizadas pela denúncia e protesto contra a repressão, por análises sobre os problemas sociais, culturais, econômicos e políticos da nação). É preciso, no entanto, ressaltar que os documentos analisados NÃO correspondem à totalidade da produção musical contestadora do período.

-

PROFESSOR!

Todas as atividades desta aula poderão ser desenvolvidas com a colaboração do(a) professor(a) de Artes e/ou Música.

-

Atividade I- Músicas dos festivais

Na primeira atividade, analisaremos três músicas, as quais foram compostas e lançadas por artistas que participaram de alguns dos festivais musicais ocorridos no Brasil durante os anos 60 e começo da década seguinte. Tais eventos compõem a chamada "Era dos Festivais". Um número notável de compositores e intérpretes foram revelados nesses festivais, os quais serviram também como espaço de apresentação e difusão de canções que contestatavam as ações do Regime Militar. Para saber mais, visite o site: http://www.eradosfestivais.com.br/. Acesso em 16 de junho de 2011

 Dinâmica para desenvolvimento da atividade:

  • O professor poderá reproduzir as músicas para os alunos a partir de seu computador/aparelhagem de som.
  • Ou indicar aos alunos a localização das músicas na Internet por meio de seus respectivos links, informados abaixo.
  • Ouvir as músicas buscando contextualizá-las, ou seja, associá-las ao período da Ditadura Militar no Brasil.
  • Escutar acompanhando a letra e analisar os documentos musicais a partir das questões propostas.

-

Música 1- "Questão de ordem" com Gilberto Gil

Gilberto Gil concorreu com esta música no III Festival Internacional da Canção (FIC) - 1968. Para saber mais: http://www.eradosfestivais.com.br/festivais.php?idMidia=17&idFestival=10. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=BNeALhaMSjQ. Acesso em 16 de junho

gil

Compositor: Gilberto Gil

Disco: Gilberto Gil

Gravadora, ano: Philips, 1968

Mais informações acerca deste disco: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gilberto_Gil_%28%C3%A1lbum_de_1968%29. Acesso em 20 de junho

-

LETRA

Você vai, eu fico
Você fica, eu vou

Daqui por diante
Fica decidido
Quem ficar, vigia
Quem sair, demora
Quem sair, demora
Quanto for preciso
Em nome do amor

Você vai, eu fico
Você fica, eu vou

Se eu ficar em casa
Fico preparando
Palavras de ordem
Para os companheiros
Que esperam nas ruas
Pelo mundo inteiro
Em nome do amor

Você vai, eu fico
Você fica, eu vou

Por uma questão de ordem
Por uma questão de desordem

Se eu sair, demoro
Não mais que o bastante
Pra falar com todos
Pra deixar as ordens
Pra deixar as ordens
Que eu sou comandante
Em nome do amor

Você vai, eu fico
Você fica, eu vou

Os que estão comigo
Muitos são distantes
Se eu sair agora
Pode haver demora
Demora tão grande
Que eu nunca mais volte
Em nome do amor

Disponível em: http://www.vagalume.com.br/gilberto-gil/questao-de-ordem.html. Acesso em 16 de junho

Mais informações sobre este artista: http://www.gilbertogil.com.br/. Acesso em 16 de junho

-

Para a análise da música:

  1. Como é a introdução da música? Quais instrumentos você consegue identificar? Como é o som da guitarra?
  2. Como é a interpretação vocal do artista? Trata-se de uma interpretação convencional? Explique.
  3. Qual sensação nos transmite a segunda estrofe da letra? O que você entendeu sobre ela?
  4. Interprete os seguintes versos: "Se eu ficar em casa / Fico preparando / Palavras de ordem / Para os companheiros / Que esperam nas ruas". Qual a relação desses versos com as manifestações contra a Ditadura Militar? Explique.
  5. Qual a mensagem implícita na última estrofe da letra? Qual a relação desta mensagem com o momento político vivido pelo Brasil no final dos anos 60? Para ajudar na resposta, leia este texto sobre a "Passeata dos 100 mil": http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=314. Acesso em 16 de junho

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA.

-

Música 2- "É proibido proibir" com Caetano Veloso e Os Mutantes

Caetano Veloso concorreu com esta música no III Festival Internacional da Canção (FIC) - 1968. Para saber mais, visite este link do blog SOBRE TODAS AS COISAS: http://calamengau.blogspot.com/2008/02/proibido-proibir-caetano-veloso.html. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=-xkxIpeGVMc. Acesso em 16 de junho de 2011

proibido proibir

Compositor: Caetano Veloso

Disco: Singles

Gravadora, ano: PolyGram, 1999 (relançamento em CD)

-

LETRA

A mãe da virgem diz que não.
E o anúncio da televisão.
E estava escrito no portão.
E o maestro ergueu o dedo.
E além da porta há o porteiro, sim.
Eu digo não.
Eu digo não ao não.
Eu digo.
É proibido proibir.
É proibido proibir.
É proibido proibir.
É proibido proibir.

Me dê um beijo, meu amor
Eles estão nos esperando
Os automóveis ardem em chamas
Derrubar as prateleiras
As estátuas, as estantes
As vidraças, louças, livros, sim
Eu digo sim
Eu digo não ao não
Eu digo
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir
É proibido proibir.

Disponível em: http://www.vagalume.com.br/caetano-veloso/proibido-proibir.html. Acesso em 16 de junho de 2011

Mais informações sobre Caetano Veloso: http://www.caetanoveloso.com.br/?old. Acesso em 16 de junho de 2011

Mais informações sobre o conjunto Os Mutantes: http://mutantes.com. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. Como é a introdução da música? Você pode descrever o que escuta? Quais instrumentos você consegue identificar?
  2. Qual mensagem vemos na primeira estrofe? Você consegue relacioná-la ao momento político vivido no Brasil no final dos anos 60? Para ajudar na resposta, relembre sobre o AI-5: http://www.suapesquisa.com/ditadura/ai-5.htm. Acesso em 16 de junho de 2011
  3. Como você interpreta os seguintes versos: "Os automóveis ardem em chamas / Derrubar as prateleiras / As estátuas, as estantes"?
  4. Usando as suas palavras, explique como esta música contestava o Regime Militar.

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA.

-

Música 3- “Eu Quero É Botar Meu Bloco Na Rua" com Sérgio Sampaio

Sergio Sampaio concorreu com esta música no VII Festival Internacional da Canção (FIC) - 1972. Para saber mais: http://www.eradosfestivais.com.br/festivais.php?idMidia=23&idFestival=16. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=90sB4HZNCd0. Acesso em 16 de junho de 2011

bloco na rua

Compositor: Sérgio Sampaio

Disco: Eu quero é botar meu bloco na rua

Gravadora, ano: Philips, 1972

Para ler sobre o disco, acesse este link do blog Samba Rock: http://arquivodosambarock.blogspot.com/2008/08/srgio-sampaio-eu-quero-botar-meu-bloco.html. Acesso em 20 de junho de 2011

-

LETRA

Há quem diga que eu dormi de touca
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga
Que eu caí do galho e que não vi saída
Que eu morri de medo quando o pau quebrou

Há quem diga que eu não sei de nada
Que eu não sou de nada e não peço desculpas
Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira
E que Durango Kid quase me pegou

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu, por mim, queria isso e aquilo
Um quilo mais daquilo, um grilo menos nisso
É disso que eu preciso ou não é nada disso
Eu quero todo mundo nesse carnaval...
Eu quero é botar meu bloco na rua

Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Há quem diga que eu dormi de touca
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga
Que eu caí do galho e que não vi saída
Que eu morri de medo quando o pau quebrou

Há quem diga que eu não sei de nada
Que eu não sou de nada e não peço desculpas
Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira
E que Durango Kid quase me pegou

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Disponível em: http://www.vagalume.com.br/sergio-sampaio/eu-quero-e-botar-meu-bloco-na-rua.html. Acesso em 16 de junho de 2011

Mais informações sobre Sérgio Sampaio: http://sergiobenditosampaio.blogspot.com/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. Quais instrumentos você reconhece na música? Como é composto o arranjo da canção?
  2. Relacione os versos "Há quem diga que eu dormi de touca / Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga / Que eu caí do galho e que não vi saída / Que eu morri de medo quando o pau quebrou" ao momento político vivido no Brasil, no começo da década 1970. Para ajudar na resposta, leia este texto sobre a Luta Armada: http://www.jornalorebate.com/colunistas2/van11.htm. Acesso em 16 de junho de 2011
  3. Qual a mensagem principal desta música? Como a letra está contestando o regime? Use as suas palavras para responder.

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA.

-

PROFESSOR!

Durante a análise das músicas, o objetivo é que os alunos percebam/observem a contestação ao Regime Militar por parte desses artistas que participaram dos festivais da canção. Esta contestação é notável nas letras das músicas e suas possibilidades de interpretação, nos arranjos, instrumentações e formas de tocar/cantar.

-

Atividade II- Rock durante a Ditadura Militar

Nesta atividade analisaremos duas músicas, as quais foram compostas e lançadas por artistas ligados no Brasil ao gênero musical Rock, com carreiras ativas no começo da década de 1970. Por meio de suas músicas e posturas, tais artistas confrontaram a Ditadura durante os chamados "anos de chumbo", marcados pela intensa repressão militar. Para saber mais sobre esses anos, use este link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anos_de_chumbo#Os_anos_de_chumbo_no_Brasil. Acesso em 16 de junho de 2011

 Dinâmica sugerida:

  • O professor poderá reproduzir as músicas para os alunos a partir de seu computador/aparelhagem de som.
  • Ou indicar aos alunos a localização das músicas na Internet por meio de seus respectivos links, informados abaixo.
  • Ouvir as músicas buscando contextualizá-las, ou seja, associá-las ao período da Ditadura Militar no Brasil.
  • Escutar acompanhando a letra e analisar os documentos musicais a partir das questões propostas.

-

Música 1- "Ouro de tolo" com Raul Seixas

Esta música foi lançada no primeiro disco solo de Raul Seixas, que já havia lançado discos como integrante de conjunto musical, em fins dos anos 60. Neste primeiro disco, lançado em 1973, estão algumas das mais conhecidas músicas do artista, além da própria "Ouro de tolo". Mais informações sobre Raul Seixas, acesse o site do fã-clube oficial: http://raulsseixas.wordpress.com/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=-pbC1QNXTEI. Acesso em 16 de junho de 2011

ouro de tolo

Compositor: Raul Seixas

Disco: KRIG-HA, BANDOLO!

Gravadora, ano: Philips, 1973

-

LETRA

Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros por mês

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso na vida como artista
Eu devia estar feliz
Porque consegui comprar um Corcel 73

Eu devia estar alegre e satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado fome por dois anos
Aqui na Cidade Maravilhosa

Ah! Eu devia estar sorrindo e orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isso uma grande piada
E um tanto quanto perigosa

Eu devia estar contente
Por ter conseguido tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto: E daí?
Eu tenho uma porção de coisas grandes
Pra conquistar, e eu não posso ficar aí parado

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Pra ir com a família ao Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos

Ah! Mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco praia, carro, jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco

É você olhar no espelho
Se sentir um grandessíssimo idiota
Saber que é humano, ridículo, limitado
Que só usa dez por cento de sua
Cabeça animal
E você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial
Que está contribuindo com sua parte
Para nosso belo quadro social

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar

Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora de um disco voador

Eu que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada cheia de dentes
Esperando a morte chegar

Porque longe das cercas embandeiradas que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora de um disco voador


Disponível em: http://www.vagalume.com.br/raul-seixas/ouro-de-tolo.html. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. Como é a cadência (batida) desta música? O que você sente ao escutá-la?
  2. Qual a situação acerca de si mesmo expõe o autor da música? Explique, utilizando trechos da letra.
  3. Analise os seguintes versos: "E você ainda acredita que é um doutor, padre ou policial / Que está contribuindo com sua parte / Para nosso belo quadro social". Qual a relação desses versos com a situação política e econômica do Brasil no começo dos anos 70? Para ajudar na resposta, leia este texto sobre o "Milagre Econômico": http://www.historiabrasileira.com/brasil-republica/milagre-economico/. Acesso em 16 de junho de 2011
  4. Qual a principal mensagem desta música? De que forma ela contestava o regime? Use as suas palavras para responder.

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA.

-

Música 2- "Mulher barriguda" com Secos e Molhados

Esta música faz parte do primeiro disco da banda Secos e Molhados, lançado em 1973 e que fez considerável sucesso na época. Para ler sobre a carreira da banda, use este link: http://www2.uol.com.br/secosemolhados/secos/crono.htm. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=1Nfp-a7TD-4. Acesso em 16 de junho de 2011

mulher barriguda

Compositor: João Ricardo - Solano Trindade

Disco: Secos e Molhados

Gravadora, ano: Continental, 1973

 

LETRA

Mulher barriguda que vai ter menino
qual o destino
que ele vai ter?
que será ele
quando crescer?

Haverá guerra ainda?
tomara que não,
mulher barriguda,
tomara que não...

Disponível em: http://letras.terra.com.br/secos-molhados/138105/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. Quais instrumentos você pode identificar nesta música? Como é a sua cadência?
  2. Que problema social a letra da música está denunciando? Exemplifique.
  3. Você pode relacionar as preocupações expressadas nesta música com aquelas da música anterior? Explique.

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA).

-

PROFESSOR!

Durante a análise das músicas, o objetivo é que os alunos percebam/observem a contestação ao Regime Militar no começo dos anos 70. A música de Raul Seixas pode ser tratada como um "deboche" ao Regime Militar, que estava reprimindo categorias da sociedade e propagando o Milagre Econômico; enquanto que a música dos Secos e Molhados é uma denúncia sobre o crescimento demográfico desorganizado que o Brasil vivia - e ainda vive, além de dizer diretamente "não" à guerra.

-

Atividade III- Músicas pela redemocratização

Nesta atividade analisaremos três músicas, as quais foram compostas e lançadas nos anos 80, às vesperas e após a chamada "Redemocratização do Brasil", com o fim do Regime Militar. Por meio da análise das músicas e das posturas das bandas que as interpretam, o objetivo é que se perceba o confronto desses artistas com a Ditadura e com aquilo que restava dela, mesmo após a queda do regime. Para ler mais sobre essa geração de artistas, use este link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rock_brasileiro_na_d%C3%A9cada_de_1980. Acesso em 16 de junho de 2011

 Dinâmica sugerida:

  • O professor poderá reproduzir as músicas para os alunos a partir de seu computador/aparelhagem de som.
  • Ou indicar aos alunos a localização das músicas na Internet por meio de seus respectivos links, informados abaixo.
  • Ouvir as músicas buscando contextualizá-las, ou seja, associá-las ao período da Ditadura Militar no Brasil.
  • Escutar acompanhando a letra e analisar os documentos musicais a partir das questões propostas.

-

Música 1- "Inútil" com Ultraje a rigor

Esta música foi lançada em primeira versão pelo conjunto paulista Ultraje a Rigor no ano de 1983. Analisaremos o clipe feito para divulgação da banda em 1984, no qual utilizou-se a segunda versão gravada da música. Esta banda é uma das mais representativas do cenário surgido nos anos 80. Para saber mais sobre o conjunto, acesse: http://www.ultraje.com.br/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=9aHoWTs6xE0. Acesso em 16 de junho de 2011

inútil

Compositor: Roger Moreira Rocha

Disco: Nós vamos invadir sua praia

Gravadora, ano: Warner, 1984 (versão do clipe)

-

LETRA

(vô cantar tudo de novo, ô ?!)

A gente não sabemos
Escolher presidente
A gente não sabemos
Tomar conta da gente
A gente não sabemos
Nem escovar os dente
Tem gringo pensando
Que nóis é indigente...

"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!

A gente faz carro
E não sabe guiar
A gente faz trilho
E não tem trem prá botar
A gente faz filho
E não consegue criar
A gente pede grana
E não consegue pagar...

"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!

A gente faz música
E não consegue gravar
A gente escreve livro
E não consegue publicar
A gente escreve peça
E não consegue encenar
A gente joga bola
E não consegue ganhar...

"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
A gente somos "inúteu"!
"Inúteu"!
"Inúteu"!
"Inúteu"!
Inú! inú! inú...

Disponível em: http://letras.terra.com.br/ultraje-a-rigor/49189/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Atenção: esta música poderá ser analisada numa colaboração com o(a) professor(a) de Língua Portuguesa, que poderá discutir com os alunos as questões geradas a partir dos erros propositais na letra.

-

Para a análise da música:

  1. A letra da música está correta, gramaticalmente falando? Explique.
  2. Quais seriam as razões para a letra possuir tais "alterações"?
  3. Quais problemas enfrentados no Brasil são denunciados na letra? Explique.
  4. Como é a postura da banda durante o clipe? Você consegue perceber a rebeldia do conjunto Ultraje a Rigor? Exponha.
  5. Reflita sobre os versos: "A gente não sabemos / Escolher presidente / A gente não sabemos / Tomar conta da gente". Qual a relação desses versos com a Ditadura Militar? Para ajudar a responder, leia este texto sobre as "Diretas Já": http://www.historiabrasileira.com/brasil-republica/diretas-ja/http://www.historiabrasileira.com/brasil-republica/diretas-ja/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA.

-

Música 2- "Estado violência" com Titãs

Esta música foi lançada pelo conjunto paulista Titãs no ano de 1986, ou seja, logo após o fim do Regime Militar. Os Titãs também são uma das mais representativas bandas do cenário dos anos 80. Para saber mais sobre o conjunto, acesse: http://www.titas.net/index.php. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=f3_eP1SWFwE. Acesso em 16 de junho de 2011

estado violência

Compositor: Charles Gavin

Disco: Cabeça Dinossauro

Gravadora, ano: Warner, 1986

-

LETRA

Sinto no meu corpo
A dor que angustia
A lei ao meu redor
A lei que eu não queria...

Estado Violência
Estado Hipocrisia
A lei não é minha
A lei que eu não queria...

Meu corpo não é meu
Meu coração é teu
Atrás de portas frias
O homem está só...

Homem em silêncio
Homem na prisão
Homem no escuro
Futuro da nação
Homem em silêncio
Homem na prisão
Homem no escuro
Futuro da nação...

Estado Violência
Deixem-me querer
Estado Violência
Deixem-me pensar
Estado Violência
Deixem-me sentir
Estado Violência
Deixem-me em paz... (3x)

Disponivel em: http://letras.terra.com.br/titas/48970/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. Quais instrumentos você consegue identificar na introdução da música?
  2. Qual a posição do autor da música em relação ao Estado e seu poder sobre a sociedade? Explique.
  3. Relacione a Ditadura Militar aos seguintes versos: "Homem em silêncio / Homem na prisão / Homem no escuro / Futuro da nação". Este texto ajuda a responder: "Prisões políticas: lembranças de 68 que não podem ser esquecidas" - http://www.jornalcomunicacao.ufpr.br/node/3795. Acesso em 16 de junho de 2011

 

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA

-

Música 3- "Censura" com Plebe Rude

Esta música foi lançada pelo conjunto Plebe Rude no ano de 1987, ou seja, após o fim do Regime Militar. A banda foi formada em Brasília, tendo se mudado para o Rio de Janeiro após conseguir contrato com a gravadora EMI para seu primeiro disco, lançado em 1985. Para mais informações sobre este conjunto, acesse: http://pt.wikipedia.org/wiki/Plebe_Rude. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Link do YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=xCnoCp_1Zs8. Acesso em 16 de junho de 2011

censura

Compositores: Philippe Seabra e André X

Disco: Nunca fomos tão brasileiros

Gravadora, ano: EMI, 1987

-

LETRA

Unidade repressora oficial

A censura, a censura
única entidade que ninguém censura

Hora pra dormir
hora pra pensar
Porra meu papai
deixa me falar

Unidade repressora oficial

A censura, a censura
única entidade que ninguém censura

Contra a nossa arte está a censura
abaixo a postura, viva a ditadura
Jardel com travesti, censor com bisturi
corta toda música que vocês não vão ouvir

Unidade repressora oficial

A censura, a censura
única entidade que ninguém censura

Nada para ouvir, nada para ler
nada para mim, nada pra você
nada no cinema, nada na TV
nada para mim, nada pra você

Unidade repressora oficial
Unidade repressora oficial

-

Disponivel em: http://letras.terra.com.br/plebe-rude/125441/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

Para a análise da música:

  1. O que caracteriza o arranjo desta música? Sabe de qual gênero faz parte?
  2. Como a censura oficial é tratada na letra? Qual contradição é apontada acerca da existência da própria censura?
  3. Qual a relação desta música com a Ditadura Militar? Para responder, leia o texto: "Censura no Regime Militar" - http://www.historiabrasileira.com/brasil-republica/censura-no-regime-militar/. Acesso em 16 de junho de 2011

-

As questões devem ser anotadas e respondidas no caderno, ou no Kword, editor de texto do Linux/netbook UCA

-

PROFESSOR!

Durante a análise das músicas, o objetivo é que os alunos percebam/observem os protestos musicais contra o Regime Militar nos anos 80. A música do conjunto Ultraje a Rigor, por meio de sua letra recheada de erros propositais, denunciava de maneira humorada e rebelde alguns problemas do Brasil, como o analfabetismo e a existência da própria Ditadura (que não permitia a eleição direta para presidente). A música dos Titãs protestava contra as formas de repressão do Estado, como prisões e torturas. Por fim, a música da banda Plebe Rude denunciava a existência da censura, ocorrida durante o período militar e mesmo depois de seu fim.

-

Atividade IV- Parodiando nas aulas de história

 

3 atividades de casa

Como última atividade desta aula, propõe-se a realização de paródias pelos alunos.

Atenção: aqui os alunos poderão contar com a ajuda do(a) professor(a) de Língua Portuguesa, que irá esclarecê-los acerca das possibilidades da paródia e orientá-los na realização da tarefa.

-

ORIENTAÇÕES GERAIS:

  • A atividade poderá ser desenvolvida individualmente, ou em duplas, conforme critério do professor.
  • Os alunos devem fazer paródias a partir de músicas que fazem parte de seu cotidiano.
  • Os temas a serem explorados nas paródias devem ser relacionados à Ditadura Militar, tais como: as manifestações e vozes contra o regime; a censura e demais formas de repressão militar aos movimentos de oposição; a luta armada no Brasil; o milagre econômico; o movimento das Diretas Já.

-

Conheça o projeto "Charge & Paródia nas aulas de História", que poderá ajudar na realização desta atividade: http://gephiseseba.blogspot.com/2010/09/resumo-do-projeto-charge-parodia-nas.html. Acesso em 20 de junho de 2011

-

Algumas possibilidades de socialização e/ou exposição das paródias:

  1. Leitura/interpretação em sala de aula, pelo(s) próprio(s) autor(es).
  2. Publicação no jornal da escola, ou no blog da turma na Internet, das melhores paródias. Para informações acerca de como montar um blog, acesse: http://comomontarseublog.blogspot.com/. Acesso em 20 de junho de 2011
  3. Apresentação no festival de calouros da escola, ou em evento similar.

-

Recursos Complementares

Sugestões de leituras para o professor:

-

-

Aula do portal que pode ser consultada pelo professor no planejamento da aula:

-

Avaliação

Nesta aula o professor poderá avaliar o aprendizado dos alunos por meio da capacidade de analisar as músicas e de suas inquietações diante desses documentos, da leitura e interpretação dos textos sugeridos, da produção da paródia e demais registros produzidos nas atividades da aula.

Opinião de quem acessou

Quatro estrelas 7 classificações

  • Cinco estrelas 6/7 - 85.71%
  • Quatro estrelas 1/7 - 14.29%
  • Três estrelas 0/7 - 0%
  • Duas estrelas 0/7 - 0%
  • Uma estrela 0/7 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Neriane Pinto, COOPESA , Bahia - disse:
    nerianepinto@hotmail.com

    18/09/2013

    Quatro estrelas

    Muito legal! Vou utilizar a estratégia com os meus alunos do 2º ano.


  • Doraneis Batista da Silva, CIEP BRIZOLAO 312 RAUL RYFF , Rio de Janeiro - disse:
    doraneis@ig.com.br

    07/12/2012

    Cinco estrelas

    Achei a aula criativa e animada, além de desenvolver o pensamento crítico e questionador do aluno. Parabéns


  • Vânia Jordão, Casa do Estudante , Bahia - disse:
    ce.vania@terra.com.brva

    05/10/2012

    Cinco estrelas

    ótima iniciativa! com letra, link para vídeos e contexto histórico! recomendei aos meus alunos, embora não seja de nenhuma das áreas diretamente envolvidas no assunto. Sou de Biologia. Parabéns!


  • Evelyn Sena, Colégio Estadual Paulo Assis Ribeiro , Rio de Janeiro - disse:
    evelynsenna@oi.com.br

    31/08/2012

    Cinco estrelas

    muito boas as aulas, conteudo bem completo e explicativo.


  • Renna, E.E. Dr. Alfredo Cardoso , São Paulo - disse:
    sociologiapira@gmail.com

    16/05/2012

    Cinco estrelas

    Muito boa e interessante a estrutura do plano de aulas. No ano anterior utilizei algumas dessas músicas para desenvolver aulas do mesmo tema. Esse ano usarei algumas ideias do site também.


  • Giuliana Ribeiro Carvalho, ESC DE EDUCACAO BASICA , Minas Gerais - disse:
    giuribeiro@gmail.com

    24/08/2011

    Cinco estrelas

    Excelente aula! Ajuda a traçar um panorama muito interessante sobre a música de protesto produzida nesse período. Parabéns!


  • Thalia, ... , Rio de Janeiro - disse:
    thalia.thalia.esd@gmail.com

    11/08/2011

    Cinco estrelas

    Está otima era tudo q eu precisava


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.