Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Explorando a Ginástica para Todos

 

03/06/2012

Autor e Coautor(es)

ROSÂNGELA MENTA MELLO

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Inicial Educação Física Esportes, jogos, lutas e ginásticas
Ensino Fundamental Final Educação Física Atitudes, conceitos e procedimentos: esportes, jogos, lutas e ginásticas
Ensino Fundamental Final Educação Física Atitudes, conceitos e procedimentos: atividades rítmicas e expressivas
Ensino Fundamental Inicial Educação Física Atividades rítmicas e expressivas
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

- Vivenciar a prática da ginástica a partir dos princípios da ginástica artística, ginástica rítmica, trampolim, acrobática e aeróbica;

- Identificar os elementos gímnicos: saltar, equilibrar, balançar, girar, rolar, trepar, etc;

- Explorar os mais variados materiais tradicionais ou não tradicionais (como tecidos, jornais, garrafas de plástico, etc).

Duração das atividades
Aproximadamente 6 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Não há necessidade de conhecimentos prévios.

Estratégias e recursos da aula

Para explorar os conhecimentos dos alunos sobre as manifestações gímnicas e para o entendimento de suas principais características essa aula será dividida em três momentos.

1º Momento: introduzir o conteúdo abordando o significado do termo "Ginástica para Todos", seus benefícios para a consciência corporal por meio do controle corporal e da concentração. Para aprofundar o tema, os alunos realizarão pesquisas sobre as características específicas que difere a Ginástica para Todos das outras ginásticas;

2º Momento: demonstração dos vídeos produzidos pela TV Escola, Série Atividade - Ginástica para todos - parte 1 e 2,  oportunizando um contato visual com a Ginástica para Todos e a leitura do Guia do Professor, o qual descreve passo a passo, cinco atividades corporais,  onde o aluno é convidado a explorar o conhecimento que possuem sobre os itens em questão e a vivência de elementos da ginástica.

3º Momento: confecção e exploração de materiais tradicionais e não tradicionais com objetivo de propiciar aos alunos um contato direto com alguns aparelhos presentes nessa manifestação gímnica.

Introdução ao conteúdo:

Giastica para todos
Durante recente congresso da FIG (Federação Internacional de Ginástica), onde mais de 90 Federações Nacionais foram representadas, uma importante e monumental decisão foi feita. A partir de Janeiro de 2007 a modalidade Ginástica Geral será conhecida como Ginástica para Todos. Esta mudança tem muito mais significado para o esporte Ginástica que simplesmente uma mudança de um nome. A mudança sinaliza claramente tanto para a comunidade ginástica como o público em geral o importante papel que a Ginástica Geral representa como a base para todas as atividades da FIG. Além disso, o novo nome proporciona um entendimento imediato de que a modalidade oferece uma ampla gama de atividades e é de fato para todas idades, habilidades, gêneros e culturas.
 
A realização prática das atividades corporais permitirá ainda que o aluno melhore sua consciência corporal e, consequentemente, aprimore suas habilidades motoras básicas, que poderão ser utilizadas para a realização de sequencias ginásticas e/ou em outras modalidades que necessitem do controle corporal e concentração para a realização e finalização de um determinado movimento, demonstrando habilidades em criar e recriar movimentos a partir do conhecimento prévio das técnicas básicas de execução. Nesse sentido, os alunos deverão conhecer a forma técnica e a variação de execução dos elementos corporais.
 
 
Imagem disponível em:
http://www.fig-gymnastics.com/vsite/vnavsite/page/directory/0,10853,5187-188407-205629-nav-list,00.html  Acessado em: 10/05/2012
Fonte: GINASTICAS. Ginástica Geral: Ginástica para Todos. Mais do que uma justa mudança de nome. Disponível em:  http://www.ginasticas.com.br/conteudo/gimnica/gin_geral/ginasticas_com_gimnica_ginastica_para_todos_por.pdf  acessado em: 05/05/2012
 

Atividade 1 - Pesquisando as Modalidades da Ginástica

 
A Ginástica para Todos, possui características específicas que a difere das outras ginásticas. Para a Confederação Brasileira de Ginástica “essa é uma modalidade bastante abrangente que, fundamentada nas atividades ginásticas como (Ginástica Artística, Ginástica Rítmica, Ginástica Acrobática, Ginástica Aeróbica e Ginástica de Trampolim).  A partir de pesquisas (internet, textos impressos, outros) formar cinco grupos para pesquisar cada tipo de ginástica descrito, onde deve constar o histórico, as provas, alguns exercícios e algumas regras da ginástica solicitada ao grupo.
 
Conclusão da atividade: criação e compartilhamento dos dados pesquisados no Google Docs.
 
Elaboração de textos colaborativos no Google Docs
 
 No laboratório de informática as respostas serão compartilhadas em forma de textos colaborativos elaborados no Google Docs. Caso a escola não ofereça laboratório de informática, o professor deverá disponibilizar os textos sugeridos e os alunos, em seus grupos, produzirão suas respostas em forma de cartazes para exposição em sala de aula.
 
 Google Docs
 Texto de apoio:  "Como criar textos colaborativos utilizando o Google Docs" - Tutorial elaborado pela professora Juliana Souza Dias.
 
 Dias, Juliana Souza. Como criar textos colaborativos utilizando o Google Docs . Disponível em:  https://docs.google.com/Doc?id=dcdf798z_12chsmbcdf&hl=pt_BR acessado em: 04/04/2012
TV Escola - Série Atividade - Ginástica para todos - parte 1 e 2
 

Para aprofundar os conhecimentos dos alunos e proporcionar mais informações sobre o tema, a sugestão é a visualização dos vídeos seguindo a metodologia de José Manuel Moran, usando como sugestão a apresentação do vídeo como conteúdo, o qual mostra determinado assunto, de forma direta ou indireta. De forma direta, quando informa sobre um tema específico orientando a sua interpretação. De forma indireta, quando mostra um tema, permitindo abordagens múltiplas, interdisciplinares. O professor pode propor antes da apresentação dos vídeos um roteiro, o qual os alunos deverão responder os questionamentos em seu caderno, para posteriormente retomá-los durante o debate em grupo.

Os vídeos e as atividades propostas, por meio da prática sistematizada da ginástica de solo, objetivam possibilitar ao aluno o reconhecimento das habilidades locomotoras e coordenativas do movimento em situação estática e dinâmica do exercício. Essa ação de vivência e experimentação do movimento possibilitará ao aluno refletir acerca de suas potencialidades e limitações durante a realização dos elementos gímnicos.

O reconhecimento da técnica básica de execução dos elementos corporais permitirá ao aluno criar, recriar e inovar na forma de execução do movimento, minimizando os riscos de possíveis lesões durante a execução dos exercícios.
 
Sugestão de Roteiro:
 
- A Ginástica para todos desenvolve quais capacidades?
 
- O que é Gymnaestrada?
 
- Quais são os movimentos pré-acrobáticos?
 
- O equilíbrio é uma habilidade importante para os praticantes de ginástica, em quais exercícios podemos treinar essa habilidade motora?
 
Conclusão da atividade: após a visualização dos vídeos, propor aos alunos uma discussão sobre os temas abordados, retomando as questões do roteiro “Leitura globalizante”. Realizado essa socialização, solicitar aos alunos registrem suas considerações sobre a atividade no caderno.
 
Sugestão: para fundamentar a importância do uso desse recurso (vídeo) na sala de aula e de como orientar os alunos com as questões pertinentes no roteiro, o professor pode fazer a leitura do artigo "O Vídeo na Sala de Aula", de José Manuel Moran (Especialista em mudanças na educação presencial e a distância). Esse artigo apresenta propostas de uso do vídeo, comenta sobre o que seria inadequado em sua utilização e também como analisar essa linguagem audiovisual.
 
Veja o artigo disponível na íntegra em: MORAN, José Manuel. O Vídeo na Sala de Aula. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/vidsal.htm acessado em 01/04/2012
Ficha Técnica
 
Estrutura curricular: Educação Básica::Ensino Fundamental Final::Educação Física::Atitudes, conceitos e procedimentos: esportes, jogos, lutas e ginásticas
 
Objetivo: identificar diferentes elementos da ginástica de solo. Conhecer os limites e potencialidades corporais a partir dos exercícios gímnicos. Conhecer a técnica básica de realização dos movimentos gímnicos de solo. Compreender o processo de realização dos movimentos, reconhecendo os procedimentos corporais básicos para evitar possíveis acidentes. Vivenciar a execução de exercícios que combinam força, agilidade, flexibilidade, equilíbrio e coragem durante a realização de um movimento. Experimentar possibilidades de rolar e recuperar o equilíbrio, promovendo adaptação às rotações
 
Descrição: os vídeos e as atividades propostas, por meio da prática sistematizada da ginástica de solo, objetivam possibilitar ao aluno o reconhecimento das habilidades locomotoras e coordenativas do movimento em situação estática e dinâmica do exercício. Essa ação de vivência e experimentação do movimento possibilitará ao aluno refletir acerca de suas potencialidades e limitações durante a realização dos elementos gímnicos. 
 
Data de publicação: 16/02/2012
ginastica1 ginatica2
Parte 1 - Tamanho: 45,239 MB
 
 
• Disponível em: Ensino Fundamental Final: Educação Física: Vídeos
Parte 2 - Tamanho: 45,945 MB
 
 
• Disponível em: Ensino Fundamental Final: Educação Física: Vídeos

Atividade 2- Reconhecimento Corporal

Propor aos alunos a experimentação de algumas atividades que solicite as habilidades motoras que os alunos já possuem e proporcionar novas práticas corporais, importantes para os praticantes de ginástica.

Aula com formato circuito
 
1ª - Estica aqui e puxa ali
 
Alongar o corpo, aumentando o grau de amplitude articular. Utilizando o corpo de seu colega, vamos descobrir um mundo diferente com criatividade.
 
2ª Lançar e rolar
 
Em duplas, com a utilização de uma bola e um colchonete, damos inicio a brincadeira, o colega lança a bola e o outro colega rola (realiza movimento corporal), levanta e pega a bola no ar (troca-se de posição).
 
3ª- Acerte o alvo
 
Duas fileiras, ao sinal o colega lança o arco no corpo do outro colega situado a sua frente. O aluno da outra fileira corre e retira. Trocassem de posição, todos realizam a atividade.
 
4ª - Fitas mágicas
 
Alunos terão um bastão de fita e irão realizar alguns movimentos demonstrados pelo professor estimulando as ao mundo da fantasia.
 
5ª - Campo minado
 
Amarrar uma corda em dois cones e um colchonete e ao sinal do professor a criança deverá realizar vários rolamentos sem encostar-se à corda.
 
6ª - Brincadeira do M
 
Forma-se um quadrado no espaço disponível, com 12 alunos (forma se um M) cada ponto 2 crianças e cones para marcar as posições. Ao sinal do professor, as 2 crianças que sobraram lançam a bola para os primeiros da fila, e estas crianças que receberam a bola dão continuidade ao exercício. Os alunos que iniciaram a atividade irão fazer  várias cambalhotas, no final um dos alunos pega a bola no ar e se deslocam para a 1ª posição enquanto ocorre a última troca o posicionamento.
 
Atividades com corda
 
1ª - Pula corda
 
A criança neste momento se familiariza com a corda, pula corda frontal, passar correndo debaixo da corda.
 
2ª - Casa de corda
 
A criança forma um circulo com no chão com a corda (casa) ao comando do professor o mesmo devera saltar para as mais diversas direções.
 
3ª - Corda viva
 
As crianças deverão saltar as cordas que estarão dispostas no chão, “tome cuidado, pois a corda pode te pegar”.
 
4ª - Caminho da cobra
 
As crianças deverão caminhar sobre as cordas dispostas no chão.
 
5ª - Cabo de Força
 
Os alunos entrelaçam a corda curta, cada aluno deve puxar a corda para seu lado.
 
6ª - Carrinho de mão
 
Em dupla, o aluno com a corda entrelaçada na  altura do abdômen devera efetuar a tração,  enquanto seu colega segura a corda e efetua a  frenagem.
 
6ª - Brincadeira do relógio
 
O professor fina no centro girando cada vez mais rápido a corda longa, as crianças deverão saltar a mesma.
 
Fonte: Rocha C.G.R, Menezes L.M, Rocha M.B, Costa W.S. Proposta de inclusão da Ginástica Geral (Ginástica para Todos) nas aulas de Educação Física. Disponível em: http://www.ginasticas.com.br/conteudo/gimnica/gin_geral/ginasticas_com_gimnica_proposta_inclusao_gg_efescolar.pdf acessado em: 10/05/2012
 
Para a realização de mais atividades/vivencias práticas a sugestão é a leitura do  Guia do Professor referente aos vídeos  TV Escola - Série Atividade - Ginástica para Todos - parte 1 e parte 2, que estão anexados juntos com os vídeos para  download. Nele o professor encontra atividades que oportunizam aos alunos a realização de alguns fundamentos da ginástica, como os saltos, equilíbrio, balanço, giro, rolamento, entre outros.
 
Sugestão: realizar as cinco aulas listadas abaixo e propostas nos textos da TV Escola, onde por meio dessas atividades os alunos experimentarão a forma técnica e a variação de execução dos elementos corporais:
Aula 1 - Rolamento para frente Aula 2 - Rolamento para trás Aula 3 - Roda ou estrela Aula 4 - Parada de três apoios ou parada de cabeça Aula 5 - Parada de dois apoios, apoio invertido ou parada de mãos

Atividade 3 - Construção de materiais tradicionais e não tradicionais

Chega o momento de confecção de materiais manipulados na ginástica, materiais tradicionais e não tradicionais. Sugerimos a construção de seis desses elementos gímnicos: balangandã, arco, bola, corda, fita e maças. Ao término dessa atividade deve-se reservar um tempo para que os alunos vivenciem livremente com os materiais produzidos, explorando e manipulando o material.

Balangandã 
 
1- Dobre uma folha dupla de jornal ou papel crepom ao meio no sentido do comprimento, dobre novamente, e novamente (3 vezes).
 
2- Cole com fita crepe 4 tiras compridas de papel crepom, uma de cada cor, de preferência.
 
3- Dobre mais uma vez, formando uma tira de jornal. (prendendo as tiras de crepom).
 
4- Enrole a tira, como um rocambole
 
5- Amarre com barbante o rolinho que se formou, dê dois nós firmes. Corte o excesso de um lado e deixe o barbante sobrando de outro, para que o aluno possa segurar.
 
 
Arco: sua confecção pode ser feita a partir de conduítes (canos de PVC) de 80 a 90 cm de diâmetro, unindo suas pontas com uma fita adesiva, como também substituído pelo bambolê, material barato e que muitas escolas possuem.
 
Bola: geralmente as escolas também contam este material que não tem um preço muito alto, mesmo porque a bola de GR pode ser substituída por uma bola de plástico com a qual os alunos geralmente têm contato nas brincadeiras extraescolares. Entretanto, há algumas soluções para a confecção de bolas, como as bolas de meia preenchidas por folhas de jornal (várias camadas) com seu acabamento (parte exterior) feito por bexigas. Outra opção é encher uma bexiga com areia ou painço, envolvê-la com jornal com forro de fita crepe ou fita adesiva larga. Nesse caso, é preciso ter cuidado com o peso da bola que variará de acordo com a quantidade de areia ou painço. Recomendamos que não exceda os 400 gramas (que é o peso de uma bola oficial de GR).
 
Corda: outro aparelho também muito encontrado nas escolas e no cotidiano dos alunos é a corda. Para sua adaptação, sugerimos as cordas feitas de folhas de jornal enrolado e torcido, envolvidas com fita adesiva larga. Outras opções são o feitio de tranças de barbante grosso, de elástico ou de tecidos velhos, como lençóis e toalhas cortados em tiras.
 
Fita: já este aparelho é raro de ser encontrado nas escolas. Nas experiências que vimos desenvolvendo, é um dos que mais desperta a curiosidade dos alunos e dos que eles mais gostam de manipular. Ele é composto de uma parte rígida, comprida e cilíndrica, de uns 35 cm, que chamamos de estilete. Sua outra parte é flexível, de tecido (cetim, seda, etc.) de aproximadamente 7 cm de largura com 5 ou 6m de comprimento, nas medidas oficiais. Porém, para o público infantil, recomendamos que o comprimento do tecido tenha em torno de 3 a 5m dependendo da estatura da criança. A interligação entre o estilete e o tecido é feita por uma peça pequena, denominada girador, e também um pequenino gancho. A adaptação desse aparelho pode ser feita da seguinte forma: para substituir o estilete, podemos usar um cabinho do mata-moscas (sem a parte de borracha), uma canaleta de pasta escolar, um pedaço de bambu fino e cortado no tamanho do estilete ou mesmo a parte de madeira reta do cabide – tanto na alternativa do pedaço de bambu como na do cabide, recomendamos que a madeira tenha sido lixada, dando um acabamento arredondado ao “estilete”. O girador pode ser feito com um pequeno parafuso com a ponta em círculo (nas lojas de material de construção encontramos este item) ou um pedaço de arame fino, em conjunto com uma peça que é utilizada para pesca, denominada snap com girador. Já o tecido da fita pode ser feito de tiras de pano velho como lençóis ou toalhas de mesa, TNT, papel crepom ou jornal (porém os papéis têm uma durabilidade menor).
 
Maças: este também é um aparelho incomum nas escolas, porém também desperta a curiosidade dos alunos. As maças são utilizadas sempre em pares e podem ser feitas de madeira, borracha ou microfibra. Elas se assemelham ao malabares, e cada uma delas é composta pela cabeça (que parece uma bolinha), pescoço (parte alongada e cilíndrica) e corpo, que é a parte cilíndrica, porém mais larga que o pescoço. Ela pode ser adaptada por garrafas pets de 600 ml com água ou outros materiais, como pedrinhas ou grãos, variando o peso de acordo com a idade e habilidade das crianças.
 
Referência: TOLEDO, Eliana. Fundamentos da ginástica rítmica. In: NUNOMURA, M; TSUKAMOTO, M.H. C. Fundamentos das ginásticas. Jundiaí: Fontoura, 2009. p.143-172.
 

Aplicação à realidade

 Para (BERTOLINI, 2005), a Ginástica para Todos é baseada nos princípios do (a): prazer, participação, não competição, qualidade de vida, diversidade, valores culturais, estética e criatividade. Nesse sentido, levando em consideração os princípios citados, o professor pode propor aos alunos a exposição dos dados pesquisados no Google Docs para toda a classe e por meio de questionamentos para os alunos buscar a opinião deles sobre como foi vivenciar todas as atividades, desde o significado do termo "Ginástica para Todos", seus benefícios para a consciência corporal, a vivência de elementos da ginástica e a confecção e exploração de materiais tradicionais e não tradicionais. Dessa forma o professor pode diagnosticar se atingiu todos os seus objetivos.

Referência: BERTOLINI, Cláudia Mara. Ginástica Geral na escola: uma proposta pedagógica desenvolvida na rede estadual de ensino. Dissertação de Mestrado: UNICAMP – Campinas, 2005.

Disponível em: http://www.ginasticas.com/conteudo/gimnica/gin_geral/ginasticas_com_gimnica_claudia_mara_bertolini.pdfca_claudia_mara_bertolini.pdf. Acesso em 19/06/11.

Recursos Complementares

Artigo:

- SILVA, Débora Alice Machado da. A ginástica geral e seus tempos-espaços-objetos lúdicos: reflexões introdutórias sobre os espaços da cultura lúdica infantil na escola. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd90/ginas.htm acessado em: 06/05/2012

Livro com atividades práticas:

- SILVA, Paula Cristina da Costa. Conhecimento e Metodologia do Ensino da Ginástica. Ne@a Universidade Aberta do Brasil. Disponível em: http://issuu.com/samirabolonha/docs/ginastica?mode=window&pageNumber=1 acessado em: 06/05/2012

 

Sites:

- Confederação Brasileira de Ginástica. Disponível em: http://cbginastica.com.br/cbg/ acessado em 10/05/2012

- Educação Física - Escola Básica de Vilar de Andorinho. Técnica básica de execução de alguns elementos corporais. Disponível em: http://mignas70.wordpress.com/2%C2%BA-periodo/habilidades-motoras/  acessado em: 06/05/2012

- Tutorial "Google Docs". Crie documentos, planilhas e apresentações on-line. Disponível em:  http://www.google.com/google-d-s/intl/pt-BR/tour1.html acessado em: 05/05/2012

Vídeos:

- Youtube. Balangandã passo a passo. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=54T2dPIBb0I acessado em: 06/05/2012

- Youtube. Gymnaestrada 2011. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=xgI-_PXbr2w acessado em: 10/05/2012

Avaliação
- A avaliação deve se caracterizar como um processo contínuo, permanente e cumulativo, tal qual preconiza a LDB no 9394/96, em que o professor organizará e reorganizará o seu trabalho. (Fonte: Diretriz Curricular de Educação Física do Paraná, pg.77)
 
- Acompanhamento do desenvolvimento de cada aluno, a criação e elaboração de movimentos e sequências não oficiais, a construção e a manipulação dos aparelhos alternativos, a participação no debate, as dúvidas ou respostas dos mesmos. Apresentação dos trabalhos, Google Docs, o desenvolvimento, a organização, a forma de apresentação individual e os debates coletivos.
 
Opinião de quem acessou

Três estrelas 5 classificações

  • Cinco estrelas 2/5 - 40%
  • Quatro estrelas 1/5 - 20%
  • Três estrelas 1/5 - 20%
  • Duas estrelas 1/5 - 20%
  • Uma estrela 0/5 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Clara Reis, Escola Estadual Francisco Derosa , São Paulo - disse:
    Clarareis2003@outlook.com

    09/08/2016

    Duas estrelas

    Eu achei que os resultados não foram muito objetivos,detalhados e muito menos apareceu aquilo que eu procurava. Mais também apareceu muitos coisas interessantes sobre a ginastica e educação física,que também é muito interessante para os alunos.


  • Juliana Leal, URI São Luiz Gonzaga , Rio Grande do Sul - disse:
    jumartins1703@hotmail.com

    06/09/2015

    Cinco estrelas

    Ótimas aulas era isso que procurava, parabéns!


  • Maxsuel dos Santos, Escola Municipal de Educação Básica Luciano Alves da Silva , Alagoas - disse:
    mxs25@globomai.com

    22/05/2015

    Quatro estrelas

    Além de trazer uma inovação para escola propociona ao estudante uma gama maior de conhecimento de outras modalidades esportivas e ajuda no termino do desenvolvimento motor da criança e do adolecente.Muito obrigado pela contribuição.


  • Eliana, colégio estadual qualquer , Paraná - disse:
    morenachaves@yahoo.com.br

    09/10/2013

    Três estrelas

    Antes de qualquer coisa, é bom ter um apoio bom como este para as aulas. Este planejamento é bom, mas penso que um pouco confuso.


  • Lucilene Gomes Cunha, Leopoldo Dalmolin , Mato Grosso do Sul - disse:
    kunhagom@gmail.com

    30/08/2012

    Cinco estrelas

    Adorei as atividades são ótimas, elas fazem o perfil de minhas aulas. Parabéns.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.