Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Direitos Humanos: Direito à liberdade e à igualdade

 

17/04/2012

Autor e Coautor(es)
ALINNE GRAZIELLE NEVES COSTA
imagem do usuário

UBERLANDIA - MG ESC DE EDUCACAO BASICA

Leide Divina Alvarenga Turini

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Ensino Fundamental Final História Nações, povos, lutas, guerras e revoluções
Ensino Médio História Sujeito histórico
Ensino Médio História Cidadania: diferenças e desigualdades
Ensino Fundamental Final História Cidadania e cultura no mundo contemporâneo
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

O aluno poderá compreender as noções de liberdade e igualdade contidas na Declaração dos Direitos Humanos e refletir se os direitos apontados no documento são efetivamente respeitados nas sociedades atuais, a partir da análise de situações do cotidiano. Além disso, poderá identificar o papel dos movimentos sociais na defesa dos direitos prescritos na Declaração Universal dos Direitos Humanos. 

Duração das atividades
4 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

O ideário iluminista e o conceito de cidadania.

O contexto de origem e os propósitos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. 

Estratégias e recursos da aula

TODOS SOMOS IGUAIS EM DIREITOS 

 

A PROPOSTA DA PESQUISA

 

  • Professor, para estimular os alunos a desenvolverem uma pesquisa sobre os princípios de igualdade e liberdade na Declaração dos Direitos Humanos e seus impactos nas sociedades atuais, inicie as atividades propondo a eles a observação e análise das imagens abaixo. A primeira é de Eleanor Roosevelt, que foi  embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas entre 1945 e 1952, diplomata e ativista dos direitos humanos. A segunda é uma versão popular produzida por Frei Beto para os 30 artigos da Declaração dos Direitos Humanos. Além disso, apresente aos alunos o vídeo que ilustra o 1° artigo da Declaração dos Direitos Humanos.

 

IMAGEM A

 

declaração

 

Declaração Universal dos Direitos Humanos nas mãos de Eleanor Roosevelt

Imagem disponível em: http://www.alunosonline.com.br/sociologia/declaracao-universal-dos-direitos-humanos.html - Acesso em 15 de março de 2012.

 

IMAGEM B

 

DUDH

Disponível em: http://paginasverdes.org/tag/bolsas-para-direitos-humanos/

Acesso em 15 de março de 2012.

 

VÍDEO:

artigo 1

Disponível em: http://www.goodnesstv.org/fr/videos/voir/46183

Acesso em 15 de março de 2012.

 

 

  • As fontes acima relacionadas permitem ao aluno conhecer uma das várias personagens importantes na elaboração da Declaração dos Direitos Humanos e a identificar, em uma linguagem acessível, os valores universalmente desejáveis presentes na Declaração. Além disso, o vídeo traz uma releitura do artigo primeiro, principal artigo para a proposta dessa aula.

Antes de partir para o desenvolvimento dessa pesquisa, apresente de forma expositiva a Estrutura da Declaração Universal dos Direitos Humanos que, segundo estudiosos, pode ser dividida em quatro partes de direitos, abaixo relacionados. Questione os alunos se eles conseguem identificar essa estrutura na Declaração.

  • a primeira (artigos I a III) dedica-se aos direitos fundamentais que embasam todos os outros subsequentes - o direito à liberdade, à igualdade e à vida.
  • a segunda (artigos IV a XV) é voltada aos direitos civis e políticos - o direito à não escravidão ou servidão, à não violência, à cidadania, à proteção e reparação legais.
  • a terceira (artigos XVI a XXVII) engloba os direitos econômicos, sociais e culturais.
  • Na quarta (artigos XXVIII a XXX) estão citados os mecanismos de manutenção dos direitos.

- O próximo passo é disponibilizar aos alunos o 1° artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos impresso para que todos coletivamente possam lê-lo: 

Artigo 1° 

“Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.”

Disponível em: http://www.comitepaz.org.br/download/Declara%C3%A7%C3%A3o%20Universal%20dos%20Direitos%20Humanos.pdf  . Acesso em 15 de março de 2012.

 

Após leitura do artigo, faça uma roda de conversa com os alunos.

Professor, as rodas de conversa, metodologia bastante utilizada nos processos de leitura e intervenção comunitária, consistem em um método de  participação coletiva de debates acerca de uma temática, através da criação de espaços de diálogo, nos quais os sujeitos podem se expressar e, sobretudo, escutar os outros  e a si mesmos. Tem como principal objetivo motivar a construção da autonomia dos sujeitos por meio da problematização, da socialização de saberes e da reflexão voltada para a ação. Envolve, portanto, um conjunto de trocas de experiências, conversas, discussão e divulgação de conhecimentos entre os envolvidos nesta metodologia.

Para aprofundar a reflexão sobre a metodologia, sugerimos a leitura dos sites abaixo:

http://www.agb.org.br/XENPEG/artigos/Poster/P%20(36).pdf

 http://carolcampos.wordpress.com/2009/08/20/roda-de-conversa/

Os sites foram acessados em 29.03.2012

  

ATIVIDADE 1: A RODA DE CONVERSA

I .Organize os alunos para a roda de conversa, de maneira que todos possam ver os colegas e o professor.

II. Peça aos alunos para que, juntos, leiam o 1° artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

III. Levante algumas questões para serem discutidas pela turma, como:

a) Que princípios são apresentados nesse artigo?

b) O que você entende por direito à liberdade?

c) Pra você, o que significa direito à igualdade?

d) A ideia de que nascemos iguais, embora sejamos tão diferentes uns dos outros, ainda é, nos dias atuais, algo fácil ou difícil de ser compreendido? Justifique.

IV. Procure garantir a todos a oportunidade de expor suas opiniões. Para isso, estimule o debate direcionando as questões no sentido “horário” da roda, mas sem forçar nenhum aluno a falar. É importante que a participação seja espontânea. 

V. Após esse primeiro momento, divida os alunos em quatro grupos para que formem pequenas rodas. Cada grupo deverá criar uma charge, apresentando as suas ideias sobre os conceitos de liberdade e igualdade.

VI. Passe pelos grupos orientando o trabalho de criação das charges, instigando a comunicação entre todos, para que haja realmente uma produção coletiva que exprima o pensamento do grupo sobre a temática em questão.

VII.  Depois, organize novamente a roda de conversa e oriente-os para o trabalho de socialização das charges:

a. Cada grupo deverá expor as ideias  propostas por seus integrantes na elaboração da charge e indicar as que foram consideradas pertinentes e as que não puderam ser aproveitadas na produção final, bem como as razões da escolha realizada. Esta reflexão é relevante para que os alunos compreendam a importância das escolhas que fazemos, seja em relação às atividades escolares, seja em relação a outras situações vivenciadas no cotidiano. A charge deve apresentar o resultado do que o grupo entendeu que seria fundamental para a compreensão dos conceitos de igualdade e liberdade.

b. O professor deve orientar os alunos a observarem as semelhanças e/ou diferenças existentes nas propostas desenvolvidas por cada grupo e pedir que sistematizem as suas conclusões por escrito.

c. Após a apresentação das charges, os alunos devem montar um painel em sala de aula, onde exponham o resultado do trabalho realizado. 

 

 A PROBLEMATIZAÇÃO DO TEMA

 

ATIVIDADE 2:  TRABALHANDO COM REPORTAGENS 

 

REPORTAGEM 1: Jogador do Cruzeiro sofre ato racista em jogo da Superliga de Vôlei

O duelo entre Minas e Cruzeiro, realizado na noite da última quarta-feira, 29, em Belo Horizonte, pela Superliga Masculina de Vôlei (http://topicos.estadao.com.br/superliga), foi marcado por um ato racista contra o oposto Wallace, da equipe cruzeirense. O jogador foi chamado de "macaco" por uma torcedora durante o segundo set do confronto, que terminou com vitória do Minas, de virada, por 3 sets a 2.

Após o duelo, realizado no ginásio do Minas, Wallace mostrou indignação com o fato e admitiu que pensou até em agredir a torcedora que o xingou em mais de uma oportunidade durante o duelo. Ele foi vítima do ato racista pela primeira vez no segundo set e depois em outras partes do confronto. "Não dá para aceitar, essa ''fase'' de você ser agredido racialmente. É lamentável. Sinceramente, fiquei extremamente chateado."

(Reportagem disponível na integra em: http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,jogador-do-cruzeiro-sofre-ato-racista-em-jogo-da-superliga-de-volei,s,jogador-do-cruzeiro-sofre-ato-racista-em-jogo-da-superliga-de-volei,842623,0.htm .Acesso em 15 de março de 2012.)

 

REPORTAGEM 2:  Quase metade das mulheres já sofreu preconceito no trabalho

Apesar de as mulheres terem conquistado espaço no mercado de trabalho, o preconceito não deixou de existir. De acordo com uma pesquisa da revista Marie Claire e da organização Everywoman, ambas do Reino Unido, 46% sofreram sexismo (preconceito contra o sexo feminino) no escritório e 44% disseram que colegas homens já fizeram comentários inapropriados sobre sua aparência.

O levantamento ouviu a opinião de quase 3 mil mulheres entre 18 e 55 anos. Confira outros dados coletados sobre o assunto:

- 78% das entrevistadas afirmaram que ser atraente ajuda a se sair melhor no trabalho e, 60%, que as mulheres com sobrepeso são discriminadas;

- 63% acham que a idade da mulher é mais importante do que a do homem na empresa;

- 53% não pensam que a discriminação positiva (por exemplo, cotas de vagas para mulheres) seja algo bom;

- 71% discordam que devem dizer aos empregadores se planejam ter filhos; - 58% admitiram preferir trabalhar para chefes do sexo feminino;

- 61% acreditam que os homens têm melhores resultados na hora de conseguir aumento de salário e, 58%, para conquistar promoções;

(Reportagem disponível na integra em: http://mulher.terra.com.br/noticias/0,,OI5133075-EI16608,00-Quase+metade+das+mulheres+ja+sofreu+preconceito+no+trabalho.html .Acesso em 15 de março de 2012.)

 

REPORTAGEM: 3: Muçulmana acusa companhia Chevron de discriminação religiosa

Uma mulher muçulmana acusa a Chevron de discriminação religiosa porque, segundo alega, uma empregada de um posto de gasolina dessa empresa se negou a encher o tanque de seu automóvel se ela não tirasse seu véu islâmico (niqab).

"Nossa empregada pediu que a cliente tirasse seu véu por questões de segurança; quando ela se negou a tirar, a funcionária, por sua vez, também se negou a prestar o serviço", explicou nesta quinta-feira um porta-voz da Chevron, denunciada publicamente pelo Conselho de Relações Islâmico-americanas (CAIR, na sigla em inglês).
Em entrevista coletiva oferecida com o respaldo dessa associação, Al-Fleur Mohammed, de 39 anos, explicou na última quarta-feira que o incidente ocorreu em outubro, em um posto de gasolina de Boca Raton (sul da Flórida).
Na ocasião, a muçulmana ainda indagou a ordem da funcionária: "Perdão, mas este é meu direito religioso", declarou Al-Fleur, que explicou que a empregada disse que necessitava ver seu rosto, uma ordem não atendida. Na sequência, a empregada devolveu o dinheiro de Al-Fleur depois de se negar a atendê-la.
A muçulmana, mãe de quatro filhos, então chamou a Polícia e, mesmo assim, não conseguiu ser atendida no posto de gasolina. Após o incidente, a suposta vítima recorreu ao CAIR para que os diretores da Chevron reconhecessem que se tratou de um caso de discriminação religiosa. 

(Reportagem disponível na integra em: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2012/02/02/muculmana-acusa-companhia-crevron-de-discriminacao-religiosa.htm . Acesso em 15 de março de 2012)

 

REPORTAGEM 4:  Casal gay é agredido na região da Avenida Paulista

Um casal de homossexuais afirma ter sido agredido em frente a um restaurante da Rua Fernando de Albuquerque, na região da Avenida Paulista, em São Paulo. A agressão ocorreu na madrugada deste sábado (1º) quando o casal saía de um bar na Rua Bela Cintra. As vítimas registraram  boletim de ocorrência no 78º Distrito Policial - Jardins e foram orientadas a fazer exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal. O caso foi registrado como lesão corporal e  será investigado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). (...) começaram a provocar a ele e ao namorado em um posto de combustíveis que fica na esquina das ruas Bela Cintra e Fernando de Albuquerque, chamando-os de “viados”. Villa, então, pediu para que eles parassem com as provocações e atravessou a rua, em direção à sua casa, na Rua da Consolação. Os dois agressores, então, foram atrás do casal e continuaram com as provocações. 

(Reportagem disponível na integra em:  http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/10/casal-gay-e-agredido-na-regiao-da-avenida-paulista.html  .Acesso em 15 de março de 2012)

 

Orientações para a atividade:

I. Divida a turma de alunos em quatro grupos. Cada grupo ficará responsável por uma reportagem e deve recebê-la impressa.

II. Proponha aos grupos que façam a leitura da reportagem relacionando-a à temática dos Direitos Humanos, que é o tema central da aula. Professor, enquanto os grupos estão fazendo a leitura e discutindo as principais ideias da reportagem, passe entre eles e ouça um pouco o que estão conversando. Oriente os grupos a perceberem que as reportagens estão noticiando atos preconceituosos e que, portanto, ferem o direito à liberdade e à igualdade de seres humanos. O objetivo dessa atividade é que os alunos tomem consciência de valores que são socialmente aceitáveis e possam identificar também aqueles que não são.

III. Depois da leitura e reflexão sobre  as atitudes apresentadas nas reportagens e suas incoerências com os direitos aludidos no artigo 1° da Declaração, peça aos alunos que produzam um texto, expondo suas opiniões sobre o que foi lido na notícia e o que foi discutido pelo grupo. Oriente os alunos a escreverem seus textos deixando claro a importância do respeito ao ser humano, da não aceitação de nenhuma forma de opressão e de discriminação. O objetivo é que esta atividade estimule os alunos a entenderem que, para termos uma sociedade mais justa e digna, precisamos agir solidariamente uns com os outros. Sugira ainda que terminem o texto apresentando uma questão problema para a pesquisa. Para ajudar na construção do texto, os grupos poderão partir das perguntas abaixo:

Qual a sua opinião sobre a situação retratada?

Vocês já vivenciaram alguma situação semelhante?

Relacione a reportagem com o conteúdo do primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos. O que o grupo concluiu a respeito?

IV.  Os grupos devem apresentar os seus textos aos demais colegas e, em seguida, com a orientação do professor, devem sistematizar, por escrito, as principais ideias discutidas por toda a turma.

V. Cada grupo deve apresentar uma questão problematizadora que oriente a pesquisa que será realizada sobre os conceitos de igualdade e liberdade e os seus impactos nas sociedades atuais. Para esta aula, serão consideradas as duas questões apontadas no próximo item: os procedimentos para a realização da pesquisa.

 

pesquisa

 

OS PROCEDIMENTOS PARA A REALIZAÇÃO DA PESQUISA

  

I. Ainda divididos em quatro grupos, proponha aos alunos que selecionem fontes para o aprofundamento das seguintes questões de pesquisa:

Nas sociedades atuais, todos realmente são livres e iguais em direitos?  

Qual o papel dos movimentos sociais na luta pela liberdade e pela igualdade entre as pessoas? 

 Sugestão de fontes de pesquisa para os alunos (cada grupo pode ficar com uma das fontes citadas):

 

Principal noticiário televisivo da cidade onde moram

Principal jornal da cidade onde moram

Principal rádio da cidade onde moram

Sites na internet com informações sobre a cidade

 

II. Professor, oriente os alunos para dois momentos da pesquisa:

1° Momento: O grupo irá utilizar como fonte um dos meios de comunicação acima citados, para levantar suas hipóteses sobre as questões de pesquisa . Então, o grupo irá procurar nessa fonte notícias e informações que respondam às questões problematizadoras.

2° Momento: O grupo deverá procurar pessoas que representam os meios de comunicação citados para uma entrevista.

 

O DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA

 

I. Os grupos deverão reunir as principais notícias e informações encontradas nas fontes de pesquisa e sistematizá-las por escrito. 

II. Os grupos entrevistarão alguém que esteja diretamente ligado ao meio de comunicação pesquisado. A entrevista deverá ser filmada, desde que obtenham a autorização do entrevistado. Caso contrário, poderão registrar por escrito, garantindo o anonimato das pessoas envolvidas.

Para ajudá-los na entrevista, segue abaixo algumas questões:

a) Houve em sua cidade situações de violação dos Direitos Humanos, principalmente daqueles a que se refere o 1° artigo da Declaração?

b) Como se caracterizou a situação de violência à liberdade e à  igualdade dos sujeitos envolvidos? 

c) Como os habitantes de sua cidade reagiram aos fatos?

d) O que foi feito sobre a situação?

e) Algum movimento social de sua cidade se manifestou a respeito deste fato que se caracterizou como violação de Direitos Humanos?

f) Existe alguma personalidade ou instituição de sua cidade que se destaca na defesa do 1°artigo da Declaração dos Direitos Humanos?

g) Há em sua cidade experiências de proteção e valorização dos Direitos Humanos?

 

 

 

PRÁTICA

 

OS RESULTADOS DA PESQUISA

 

ATIVIDADE 3: APRESENTANDO OS  RESULTADOS DA PESQUISA

I. Os alunos deverão apresentar os dados coletados em um vídeo produzido por eles. A proposta é que cada grupo crie um vídeo apresentando o processo de investigação, indo das fontes escritas e iconográficas até as fontes orais, mostrando como construíram suas hipóteses às questões apresentadas, como se fosse um documentário sobre a temática.

Professor, sugira aos alunos que acessem o link abaixo; ele ensina como fazer um bom documentário de pesquisa: 

http://fehx3.blogspot.com.br/2009/08/dicas-de-como-fazer-um-documentario.html    Acesso em 29/03/2012

II. Após a apresentação dos vídeos de todos os grupos, coletivamente será feita uma análise e reflexão sobre os materiais apresentados por cada grupo. Professor, pergunte aos alunos se os vídeos apresentados conseguiram responder as questões problematizadas. Com as informações coletadas, analisadas e discutidas, os alunos deverão:

a. Elaborar um folder, coletivamente, que seja informativo, dobrável, contendo imagens e textos, abordando situações negativas e positivas de sua cidade em relação aos atos de discriminação e preconceito. Também é importante buscar conscientizar a população sobre a necessidade de colocar em prática o 1° artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “todos tem direito à liberdade e à igualdade”. Para isso, sugira aos alunos que formem grupos:

  • Para selecionar as principais informações;
  • Para selecionar as melhores imagens;
  • Para produzir o texto informativo;
  • Para concluir o folder com todos os elementos necessários.

 

Professor, para ajudar os alunos nessa atividade, sugira que eles acessem os links abaixo. Além de explicar qual a função pedagógica do folder, eles sugerem algumas dicas de como fazer um bom folder:

http://veele.wordpress.com/como-fazer-um-folder-pedagogico/

http://comofas.com/como-fazer-um-folder/    Acesso em 29.03.2012

Se for possível, reproduza o folder para ser distribuído. Combine com os alunos uma ida à feira do bairro para fazer a entrega do folder às pessoas presentes.

b. Promover um debate sobre a pesquisa realizada na escola, envolvendo alunos, pais e a comunidade escolar com os principais representantes dos Movimentos Sociais de sua cidade. Assim, todos os participantes terão uma dimensão da importância de cada segmento para a efetivação dos direitos humanos. 

Recursos Complementares

Sugestão de link para professores:

Artigo: Liberdade, igualdade e fraternidade na construção  dos direitos  humanos, de Giuseppe Tosi. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/dados/cursos/edh/redh/01/05_tosi_liberdade_igualdade.pdf  Acesso: 15 de março de 2012. 

 

Sugestão de link para professores e alunos:

Dicionário de Direitos de Humanos: Igualdade. Disponível em: http://www.esmpu.gov.br/dicionario/tiki-index.php?page=Igualdade  Acesso 15 de março de 2012.

 

Link do Portal que pode ser consultado pelo professor no planejamento de sua aula: 

Os direitos humanos são universais? Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=38014  Acesso 15 de março de 2012.

Avaliação

A avaliação deve permear toda a atividade pedagógica do professor. Desta forma, ao longo das propostas apresentadas, o professor poderá avaliar o aluno segundo sua participação em todo o processo de pesquisa e, principalmente, ao colocar em prática os resultados das informações coletadas. A Iniciação Científica dos jovens estudantes visa à formação de sujeitos pesquisadores críticos e reflexivos.

Opinião de quem acessou

Cinco estrelas 2 classificações

  • Cinco estrelas 2/2 - 100%
  • Quatro estrelas 0/2 - 0%
  • Três estrelas 0/2 - 0%
  • Duas estrelas 0/2 - 0%
  • Uma estrela 0/2 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Opiniões

  • Paulo Sérgio, Colégio Municipal Frei Cristóvão de Santo Hilário , Sergipe - disse:
    psordem@hotmail.com

    22/07/2013

    Cinco estrelas

    Tema atual e necessário à construção de uma sociedade crítica.


  • vitoria veloso, Cesec - Monsenhor Geraldo Mendes de Vasconcelos , Minas Gerais - disse:
    vitorinhavelosoarcos@hotmail.com

    26/04/2012

    Cinco estrelas

    Gostei da contextualização dos Direitos Humanos vividos na sociedade atual.


Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.