Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
VISUALIZAR AULA
 


Caminhos da Capoeira

 

09/07/2012

Autor e Coautor(es)
MARCELO INOCÊNCIO PEREIRA COSTA
imagem do usuário

CURITIBA - PR SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

ROSÂNGELA MENTA MELLO

Estrutura Curricular
Modalidade / Nível de Ensino Componente Curricular Tema
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo História Migrações, cultura e identidades
Ensino Fundamental Final Educação Física Atitudes, conceitos e procedimentos: esportes, jogos, lutas e ginásticas
Ensino Médio Língua Portuguesa Produção, leitura, análise e reflexão sobre linguagens
Educação de Jovens e Adultos - 2º ciclo Educação Física Esportes, jogos, lutas e ginásticas
Ensino Fundamental Final História Tempo cronológico
Ensino Médio Educação Física Luta: Valores históricos
Educação de Jovens e Adultos - 1º ciclo Língua Portuguesa Leitura e escrita de texto
Ensino Fundamental Inicial Educação Física Esportes, jogos, lutas e ginásticas
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Língua oral e escrita: prática de produção de textos orais e escritos
Ensino Fundamental Final Língua Portuguesa Língua oral e escrita: prática de escuta e de leitura de textos
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

- Identificar o período do tráfego transatlântico de pessoas e as possíveis relações com a manifestação da capoeira no Brasil;

- Relacionar as culturas que se fundiram na manifestação da capoeira no Brasil;

- Analisar o contexto que se deu criação da capoeira sua relação com a capoeira nos dias de hoje por meio de uma sistematização linear do tempo;

- Vivenciar movimentos da capoeira de forma lúdica e também de forma técnica no espaço escolar;

- As atividades propostas nesta aula poderão ser adaptadas para estudantes, desde o Ensino Fundamental Inicial ao Ensino Médio e para Educação de Jovens e Adultos, explorando-se conhecimentos da área de Língua Portuguesa, História e Educação Física, durante os estudos do contexto histórico da Capoeira no Brasil, nas leituras, estudos, produções textuais e nas atividades práticas do vivenciando a capoeira.

Duração das atividades
Aproximadamente 8 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

Leitura, análise e reflexão de textos e noções de tempo cronológico e linha do tempo.

Estratégias e recursos da aula
Que tal convidarmos nossos alunos para realizar uma viagem no tempo?
 
E durante esse caminho aprofundar na história da Capoeira, começando dentro dos navios negreiros e chegando até os dias de hoje.  E para conduzir essa viagem dentro da sala de aula nada melhor do que um bom livro que propicie elementos significativos para a compreensão dessa importante manifestação cultural, Patrimônio da Humanidade, a Capoeira.
1º Momento: apresentação da sinopse do livro a ser discutido e da metodologia que será utilizada para a leitura e apresentação do mesmo;
2º Momento: após o primeiro contato com o universo da capoeira chega o momento da organização e sistematização do conteúdo de forma linear, colocando a capoeira no tempo e espaço linear, com o objetivo de entender as relações temporais e causais entre diferentes tipos de acontecimentos;
3º Momento: após as etapas de leitura e socialização e da construção em grupo da linha do tempo, chega o momento de vivenciar a capoeira na prática, da experimentação dos movimentos.

Atividade 1 - Leitura e Diálogo Colaborativo


Para o primeiro momento da aula, a sugestão é a leitura do livro "A Arte da Capoeira", de Camile Adorno. Essa obra apresenta de forma linear a historicidade da capoeira, iniciando pelo "O caminho da Capoeira" e finalizando em "A Capoeira hoje".

Para tornar a leitura mais dinâmica a sugestão e a utilização do método de fácil utilização para a criação de uma rede viva de diálogo colaborativo sobre conhecido como "World Café".
Capa do livro a arte da capoeira  

Prefácio
 

"Herança africana legada à cultura brasileira, o jogo da Capoeira significa valioso contributo à formação da nossa identidade cultural. Neste livro, Camile Adorno estabelece os caracteres delineadores da Capoeira, propiciando uma oportunidade de iniciação à arte. Na leitura desse tema ampliam-se as possibilidades de compreensão da nossa história, onde se insere a Capoeira e que preservou a lembrança das lutas sociais que forjaram a cidadania brasileira. Esta obra é um passo importante para se promover o resgate das tradições da Capoeira divulgando essa bela expressão nacional".
 
Kleber Adorno

 

 

Livro disponível na íntegra em: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/camille-adorno/a-arte-da-capoeira.php acessado em: 10/05/2012

A leitura deve ser realizada pelo pequeno grupo de acordo com os temas específicos, para depois por meio da dinâmica "World Café" ser socializada com o grande grupo, assim ao término dessa atividade espera-se que todos participantes tenham contato com o livro como um todo, além de adquirir um novo significado para o aluno, transforma o mesmo em um observador da história viva, pulsante, tornando essa tarefa muito mais prazerosa, dinâmica, instrutiva e divertida.

Desenvolvimento: dividir a turma em cinco grupos, onde cada grupo terá um determinado recorte do livro para abordar seu tema. Exemplos de temas para cada grupo:

Grupo 1


- O caminho da Capoeira
- O que é a Capoeira
- Itinerários

Grupo 2


- As origens
- Zumbi dos Palmares: o mestre da resistência
- A lei áurea

Grupo 3


- Capoeira & Capoeiras
- A Capoeira no passado
- Mestre Pastinha

Grupo 4


- Mestre Bimba
- Na roda de Capoeira
- A música

Grupo 5


- O jogo de Angola
- Os movimentos
- A Capoeira hoje

O Passo a Passo do World Café
World Café


São estabelecidas rodadas de progressivas de diálogo (geralmente três) de aproximadamente 20 a 30 minutos cada.

São definidas perguntas ou questões que genuinamente importam para as pessoas.


Encorajam-se tanto os anfitriões de mesa quanto os participantes a escrever, rabiscar e desenhar ideias-chave em suas toalhas de mesa ou anotar ideias- chave em grandes fichas, post-it ou descansos de prato no centro do grupo.

Após completar a rodada inicial de diálogo, solicita-se que uma pessoa permaneça na mesa como a “anfitriã”, enquanto as outras atuam como viajantes ou “embaixadores do significado”.

Os viajantes levam ideias-chave, temas e perguntas para as suas novas conversas.

Pede-se para que o anfitrião da mesa dê boas-vindas aos novos convidados e brevemente compartilhe as ideias principais, temas e perguntas da rodada inicial.

Os convidados são incentivados a ligar e conectar ideias provenientes das conversas das mesas anteriores — escutando com atenção e refletindo sobre as contribuições uns dos outros.

Ao proporcionar a oportunidade para que as pessoas se movam em diferentes rodadas de diálogo, ideias, perguntas e temas começam a se conectar. Ao final da segunda rodada, todas as mesas ou grupos de conversação na sala serão “polinizados” com insights de conversas anteriores.

Na terceira rodada de diálogo, as pessoas podem voltar às suas mesas iniciais para sintetizar suas descobertas, ou podem continuar viajando às outras mesas, deixando o mesmo ou um novo anfitrião à mesa. Às vezes, uma nova pergunta que ajuda a aprofundar a investigação é colocada para a terceira rodada de conversa.

Conclusão da atividade: depois de diversas rodadas de diálogo, inicia-se um período de compartilhamento de descobertas e insights em uma conversação todo o grupo. São nessas conversas estilo “plenária ou assembleia” que os padrões podem ser identificados, o conhecimento coletivo cresce e as possibilidades para ação surgem.

Disponível em: http://inovacaoeestrategia.com.br/2010/04/mais-sobre-o-world-cafe-3-de-3/ acessado em: 10/05/2012

Atividade 2 - Linha do Tempo

Na escola, a compreensão das múltiplas experiências temporais pode provocar nos alunos o desenvolvimento de uma consciência histórica crítica e/ou genética. Os historiadores da Nova História Cultural tenderam a adotar o conceito de temporalidade criado por Fernand Braudel relativo à longa duração (estruturas), à média duração (conjunturas) e a curta duração (acontecimentos). Diretrizes Curriculares de História (p. 62). Disponível em: http://www.historia.seed.pr.gov.br/ acessado em 11/05/2012


Apresenta-se aos alunos o que é linha do tempo, eles são agrupados por tema de interesse e pesquisam em vários recursos o assunto. Depois eles montam suas próprias linhas do tempo com as imagens selecionadas e os textos editados. No final da atividade, teremos a contextualização das informações assimiladas num grande debate reflexivo e de criação.

Método:


Aluno: (descrever o que o aluno faz na atividade passo a passo. Ex: 1 - aluno clica no menu. 2 - aluno explora ambiente. 3 - aluno escreve as respostas).

1. O aluno clica na ferramenta de criação de linha do tempo;
2. Define quantas linhas paralelas vai criar e preenche os títulos;
3. Insere os dados (textos, imagens e datas) dos acontecimentos relevantes;
4. Clica no botão visualizar e publicar;
5. Pode visualizar as linhas do tempo de outras pessoas.

Professor: (Descrever o que o professor faz na atividade passo a passo. Ex: 1 - Professor guia os alunos na atividade. 2 - Professor observa aluno sem interferir. 3 - Professor faz perguntas ao aluno após completar o passo 3).

1. Determina o tema de pelo menos uma das linhas do tempo que os alunos criarão;
2. Determina o processo de avaliação preenchendo uma ferramenta de rubrica da atividade;
3. Orienta processo de relacionamento entre linhas;
4. Organiza discussões após a visualização dos resultados obtidos;
5. Orienta o processo de preenchimento das rubricas e discussão sobre a aprendizagem.
 

Linha do Tempo

 

Ficha Técnica

 

Estrutura curricular: Educação Básica, Ensino Fundamental Final, Pluralidade Cultural, Ser humano como agente social e produtor de cultura.Educação Básica, Ensino Fundamental Inicial, Ética, Diálogo.

Objetivo: entender as relações temporais e causais entre diferentes tipos de acontecimentos.

Descrição: ferramenta de pensamento (objeto de aprendizagem customizável) que leva à reflexão e discussão.

Contexto: (descrever em no máximo três linhas como deve acontecer esta atividade, se há materiais de suporte, se a sala necessita de um arranjo especial de cadeiras, se deve haver preparação de algum material).

Os alunos usam a simulação como local para organizar os dados encontrados em pesquisa encomendada pelo professor. A possibilidade de criação de mais de uma linha do tempo concomitante permite ao aluno a perceber relações causais e temporais entre fatos de seu interesse pessoal e fatos “históricos” ou relevantes no contexto curricular. O preenchimento de informações na simulação não precisa ser em período de aula. É interessante visualizar e discutir na presença do professor.

Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnica.html?id=20688 acessado em: 10/05/2012

 

Atividade 3 - Escola - Série Atividade - Capoeira - parte 1 e 2

Para aprofundar os conhecimentos dos alunos e proporcionar mais informações sobre o tema, a sugestão é a visualização dos vídeos seguindo a metodologia de José Manuel Moran, usando como sugestão a apresentação do vídeo como conteúdo, o qual mostra determinado assunto, de forma direta ou indireta. De forma direta, quando informa sobre um tema específico orientando a sua interpretação. De forma indireta, quando mostra um tema, permitindo abordagens múltiplas, interdisciplinares. O professor pode propor antes da apresentação dos vídeos um roteiro, o qual os alunos deverão responder os questionamentos em seu caderno, para posteriormente retomá-los durante o debate em grupo.

Sugestão de Roteiro:

- A capoeira é arte, filosofia, dança, luta ou esporte?

- Por que a capoeira era considera como luta de resistência? 
 
- Qual a importância da ginga para o capoeirista?
 
- Quais são os movimentos característicos (ofensivos, defensivos e acrobáticos) da capoeira? 
 
- Como é a formação da roda de Capoeira Angola e da Capoeira Regional?
 
- Quais são os benefícios que a capoeira pode proporcionar a saúde?
Ficha Técnica
 
Objetivo: identificar a capoeira como elemento cultural do movimento humano brasileiro a partir dos seus aspectos histórico-sociais; Apresentar os fundamentos básicos da capoeira, estimulando os alunos a vivenciarem as diferentes formas de execução, entendendo a função de cada um dos fundamentos e de seus desdobramentos; Reconhecer e vivenciar os diferentes tipos de ritmos e possibilidades de movimento do corpo por meio da musicalidade e instrumentos musicais da expressão; Reconhecer as principais regras, códigos e elementos simbólicos do jogo e desenvolvimento da capoeira, sua contextualização e adaptabilidade perante situações específicas; Estimular a discussão sobre a importância do ensino e prática da capoeira pela educação física escolar enquanto manifestação cultural esportiva brasileira; Reconhecer os principais personagens da modalidade como detentores da cultura popular, estimulando a reflexão crítica sobre a valorização dos mesmos pelo país.
 
Descrição: é fato que a capoeira é uma manifestação cultural esportiva genuinamente brasileira. Expressão de matrizes africanas com gênese em solo brasileiro, devido ao contexto da escravidão no período colonial português, apresenta em seu desenvolvimento uma trajetória marcada por diversos aspectos que merecem atenção das escolas e professores de Educação Física.
 
Publicado em16/02/2012
Capoeira 1 Capoeira 2
Parte 1 - Tamanho: 45,1 MB
 
 
• Disponível em: Ensino Fundamental Final: Educação Física: Vídeos
 
 
Parte 2 - Tamanho: 43,464 MB
 
 
• Disponível em: Ensino Fundamental Final: Educação Física: Vídeos
Conclusão da atividade: após a visualização dos vídeos, propor aos alunos uma discussão sobre os temas abordados, retomando as questões do roteiro “Leitura Globalizante”. Realizado essa discussão, solicitar aos alunos o registro de suas considerações sobre a atividade no caderno.
 
Sugestão: para fundamentar a importância do uso desse recurso (vídeo) na sala de aula e de como orientar os alunos com as questões pertinentes no roteiro, o professor pode fazer a leitura do artigo "O Vídeo na Sala de Aula", de José Manuel Moran (Especialista em mudanças na educação presencial e a distância). Esse artigo apresenta propostas de uso do vídeo, comenta sobre o que seria inadequado em sua utilização e também como analisar essa linguagem audiovisual.
 
Veja o artigo disponível na íntegra em:
 
MORAN, José Manuel. O vídeo na sala de aula. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/vidsal.htm acessado em 01/04/2012

 

Atividade 4 - Vivenciando a Capoeira

 

1ª Capitão do Mato – Capoeira

Objetivo: trabalhar os movimentos de capoeira de forma lúdica.

Materiais: quadra de esportes ou local amplo.

Desenvolvimento: os alunos ficam dispostos livres num espaço determinado, o professor escolhe um ou mais alunos dependendo do numero total, para ser o “capitão do mato” (sujeito que capturava os escravos fugitivos). Este aluno deverá pegar os demais que devem correr para fugir, como a tradicional mãe cola, porém a criança que for pega deve permanecer abaixada na esquiva de cocorinha e os demais têm a tarefa de salvar o colega executando um movimento da capoeira que o professor deve estabelecer antes (aú, meia lua, armada e vários outros). É importante que o professor comente sobre a figura do capitão do mato e dos escravos e ainda sobre o nome dos golpes aplicados.

Disponível em: http://www.cdof.com.br/aulas29.htm acessado em: 11/05/2012

 

2ª  Capoeira com bexiga

Objetivo: diagnosticar o desenvolvimento da turma de forma lúdica.

Materiais: quadra, (balão, bexiga).

Desenvolvimento: aquecimento com bexigas, cada criança receberá uma bexiga, que deverá ser enchida, todas os alunos deverão realizar os movimentos que o professor dará o comando:

1º - colocar a bola no alto da cabeça;

2º - colocar a bola para os lados (esquerdo/direito);

3º - colocar a bola entre as pernas;

4º - colocar a bola para traz;

5º - abrir a perna e encostar a bola no pé (esquerdo/direito);

6º separados pela quadra cada aluno vai jogar sua bola e bater com uma das mãos (ex.esq.) sem deixar a bexiga cair (galopante), depois faz com a outra mão.

7º jogar a bexiga para o alto e acertar a bola fazendo um movimento de capoeira (com os pés) (exemplo: benção, meia lua de frente, armada);

8º separados em dupla um indivíduo vai jogar para o outro tentar acertar com um golpe;

9º cada aluno vai jogar sua bola para o alto e tentar fazer um floreio antes que a bola caia (ex. aú).

Roda: saíram dois alunos para jogar com uma bexiga no ar eles deverão jogar, mas sem deixar a bexiga cair (os dois podem bater a bexiga para o alto).

Disponível/adaptado em/de: http://www.cdof.com.br/aulas28.htm#5 acessado em: 11/05/2012

 

3º Dança da Cadeira de Capoeira

Objetivo: aquecimento, equilíbrio, lateralidade.

Materiais: cadeiras pequenas.

Desenvolvimento: colocamos as cadeiras em círculo, com o assento para o lado de dentro da roda. Para aquecer os alunos se posicionarão em volta das cadeiras do lado de fora. O professor tocando o berimbau ou pandeiro.


Começam as atividades, primeiro andando (em coluna), batendo palmas e cantando o coro (qualquer musica, ex: cirandas), depois sugere outros, passos laterais, (ao sinal do professor trocar o lado), elevações de joelhos, andar de costas, correr, pular, caminhar como sapos, etc. Quando a música parar, todos deverão sentar-se, o que sobrar sai (toca o pandeiro), quando o próximo sair, troca de lugar com o que estava de fora.

Na segunda parte eles executaram exercícios de pernas giratórios (golpes de capoeira), meia lua de frente, uma a uma das cadeiras caminhando lateralmente (ao sinal do professor troca-se de lado), depois meia lua de compasso (vira de costas, mãos no chão e passa o pé por cima da cadeira). Para terminar os alunos vão saindo para ver o vencedor.

Disponível em: http://www.cdof.com.br/aulas28.htm#17 acessado em: 11/05/2012

Aplicação à Realidade

Chega o momento de convidar todos para um World Café, ou seja, um momento para todos os alunos exporem ativamente seus entendimentos relacionados aos temas propostos e ligar a essência das suas descobertas aos círculos de pensamento em constante ampliação, características evidente no Word Café. Para isso a sugestão é formar um único circulo na sala de aula ou na quadra esportiva, realizar revisão sobre as conversações acertadas nos três momentos, onde o professor pode propor questões de forma linear abordando o tema principal “capoeira”.

Sugestões de questões norteadoras:

- Qual a relação entre os navios negreiros que trouxeram os negros africanos para serem escravizados no Brasil colonial com a Capoeira?

- Qual a relação de Zumbi dos Palmares com os quilombolas?

- Os negros agiam com malícia dissimulando sua verdadeira intenção da capoeira ao enfrentar os senhores de que forma?

- A Lei Áurea assinada pela Princesa Isabel trouxe a liberdade os negros escravizados, mas qual consequência pode citar com essa “tal liberdade”?

- Comentem sobre os grandes mestres capoeiras citados no livro:

- A capoeira chegou ser proibida por lei sua prática, mas e hoje, como ela é vista pela sociedade?

- Outras.

Recursos Complementares

Sugestão de sites para pesquisa:

- ABADÁ - Capoeira. Disponível em: http://www.abadacapoeira.com.br/ acessado em 12/05/2012
 
- Capoeira Santista. Disponível em: http://www.capoeirasantista.com.br/ acessado em 12/05/2012
 
- Capoeira do Brasil. Disponível em: http://www.capoeiradobrasil.com.br/ acessado em 12/05/2012
 
- Sua Pesquisa: Disponível em: http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/historia_da_capoeira.htm acessado em 12/05/2012
 
- How Stuff Works - Como funciona a capoeira. Disponível em: http://esporte.hsw.uol.com.br/capoeira.htm acessado em 12/05/2012
Avaliação
- A avaliação deve se caracterizar como um processo contínuo, permanente e cumulativo, tal qual preconiza a LDB no 9394/96, em que o professor organizará e reorganizará o seu trabalho. (Fonte: Diretriz Curricular de Educação Física do Paraná, pg.77)
 
- Para a avaliação dessa aula pode-se utilizar alguns instrumentos de avaliação de acordo com cada atividade proposta.
 
- Acompanhamento do desenvolvimento de cada aluno, sua participação no debate (Word Café), sua interação durante a apresentação e discussão dos vídeos, as dúvidas ou respostas dos mesmos.
 
- Apresentação dos trabalhos, o desenvolvimento de cada grupo, a organização, a forma de apresentação individual e coletiva.
 
- Durante as atividades práticas, verificar as dinâmicas de criação de jogos, a socialização bem como a participação e a contribuição no desenvolvimento de algumas atividades em grupo.
Opinião de quem acessou

Sem estrelas 0 classificações

  • Cinco estrelas 0/0 - 0%
  • Quatro estrelas 0/0 - 0%
  • Três estrelas 0/0 - 0%
  • Duas estrelas 0/0 - 0%
  • Uma estrela 0/0 - 0%

Denuncie opiniões ou materiais indevidos!

Sem classificação.
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.