Portal do Governo Brasileiro
Início do Conteúdo
JORNAL
Edição 4 - Família na Escola
30/08/2008
 
ou
Notícias
 

Interação escola-família contribui para a aprendizagem

Alunos em Mortugaba (BA)

Alunos em Mortugaba (BA)

Autor: Lucilia Pereira Rocha


A interação da escola com a família dos alunos foi apontada por 14 redes municipais, entre 37 pesquisadas, como um dos fatores importantes para o sucesso da aprendizagem. As relações com a comunidade foram citadas por 12. Os resultados do estudo, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Ministério da Educação, e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), deram origem à publicação Redes de Aprendizagem – boas práticas de municípios que garantem o direito de aprender.

Os resultados da pesquisa mostram que as escolas adotam diferentes estratégias para concretizar a aproximação escola-família. Em Mortugaba, município localizado no sudoeste da Bahia, a 743 Km de Salvador, a Escola Municipal Décio Carvalho desenvolveu um projeto de matemática, em 2007, que mobilizou pais e alunos de 1ª a 4ª série do ensino fundamental. A escola promoveu uma feira na rua, em frente à escola, para que os alunos tivessem experiências concretas de aprendizagem relativas ao sistema monetário. Os alunos venderam verduras, ovos, frangos, salgados e doces. Os pais participaram, ajudando a conseguir os produtos a serem vendidos, fazendo quitutes, e também trabalhando nas barracas. A comunidade foi convidada a participar, por meio de carro de som e notícias na rádio.

A atividade foi tão bem sucedida que será realizada novamente este ano. “Os alunos gostaram muito, por ser uma atividade real, concreta. Mesmo alguns estudantes que não gostavam muito de matemática, agora pedem para a escola fazer de novo a feira”, salienta a diretora da escola, Rosimeire Guimarães Souza.

No extremo noroeste do Estado de São Paulo, no município de Sud Menucci, as escolas oferecem vários projetos, tanto a alunos como a suas famílias, por meio das Associações de Pais e Mestres (APM). No projeto Tempero de Mãe, por exemplo, as APMs selecionam e contratam mães de alunos para ajudar no preparo da merenda escolar. E no projeto Pais participantes, Filhos atuantes, são oferecidas diversas palestras aos pais, durante o ano letivo, para que eles possam ter uma visão ampla do contexto escolar. Também são oferecidas oficinas de leitura e de contar histórias, que eles realizam juntos com os filhos. E nos finais de semana, o projeto Escola da Família abre as instituições, colaborando para fortalecer o vínculo entre a família e a escola.

“São várias atividades que desenvolvemos para agregar os pais à escola. Fazemos dinâmicas para que os pais possam interagir com as crianças, trabalhamos questões relativas à higiene e alimentação, e de como deve ser a ajuda nas tarefas de casa”, explica a diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professor Victor Padilha, em Sud Menucci, Darlei Regina Castilho Gitti. “A escola não é de primeiro mundo. Ainda não atingimos esse patamar, mas estamos caminhando”, diz Darlei. Para ela, sozinho ninguém faz nada, mas em equipe, pegando uma habilidade de cada um, as coisas acontecem.

Segundo Carlos Roberto Ragonha, duas filhas, que integra a APM dessa escola há três anos, o empenho dos pais ajudou a elevar o nível de ensino da Professor Victor Padilha, em 2007. “Os pais se reuniam de quinze em quinze dias, para exigir mais empenho dos professores e mais dedicação dos alunos. Nem os próprios pais eram esquecidos. Eles também recebiam cobranças por uma maior participação.”

(Fátima Schenini)

ENQUETE

Ajude-nos a escolher o tema da próxima edição do Jornal do Professor. É só clicar em uma das opções abaixo!

Fim do Conteúdo
REPORTAR ERROS
Encontrou algum erro? Descreva-o aqui e contribua para que as informações do Portal estejam sempre corretas.
CONTATO
Deixe sua mensagem para o Portal. Dúvidas, críticas e sugestões são sempre bem-vindas.